Mourinho encontra caminho promissor no United




Que José Mourinho é um dos maiores treinadores da história do futebol mundial, é inegável. Desde o seu trabalho com o Porto em 2003-2004, ele alcançou este estágio. Apesar dos sucessos com Real Madrid e Internazionale posteriormente, foi a Premier League, com o Chelsea, que o Special One fez sua casa. E ao comandar o Manchester United, seu segundo clube em território inglês, ele confirma esta máxima.

Após uma boa temporada 2016-2017, onde conquistou três títulos e iniciou um trabalho que só não foi mais reconhecido por conta dos constantes erros em finalizações dos atacantes, Mourinho faz campanhas perfeitas com os Red Devils na Champions e na Premier League 2017-2018. Mourinho sabe que na Premier é difícil dominar totalmente, mas não impossível. Um estilo de jogo mais cadenciado, ou totalmente reativo, é contracultural. Conte teve sucesso implantando um modelo diferente, mas van Gaal, por exemplo, não conseguiu o mesmo. Até Guardiola sentiu que seria difícil implantar a sua filosofia desde o começo, e foi passando a implantar o domínio gradativamente, fazendo a transição, da primeira para a segunda temporada.

Mas, se quiser ser competitivo na Inglaterra e na Europa, Mourinho também não poderia apenas se render à intensidade inglesa, e elaborou assim um modelo de jogo com ações rápidas, combinadas à elementos do seu característico jogo de posição, que é diferente do de Guardiola, por exemplo. A troca de bolas deste United tem saídas pelo meio, com o recém-chegado Matic, mas é bastante lateralizada, aproveitando as saídas qualificadas de Valencia pela direita. As inversões de jogo são rápidas no terço final, embora a base das jogadas possa ser iniciada com mais cadenciamento. Ao perder a bola, o time já busca o roubo em zonas mais adiantadas, e assim usa um elemento típico da Premier League para armar mais perto gol. Contudo, não se submete só à isto, e não sofre tanto na defesa.

Muito se fala sobre o crescimento dos ingleses. Mesmo com muita competitividade, é esperado que pelo menos um britânico chegue nas semifinais da Champions, e o Arsenal tentará manter o domínio inglês na Europa League, conquistada justamente pelo United de Mourinho na última temporada. Até onde os times da Premier League irão nas competições da UEFA, é algo que só será conhecido no primeiro semestre de 2018. A derrota do United na Supercopa da Europa, para o Real Madrid, mostra que ainda há escalas para evoluir, mas a capacidade no jogo físico, e a mescla do jogo com bola pelo chão geraram problemas em algumas circunstâncias aos merengues, mostrando que os Red Devils estão no caminho, assim como outros times da Premier, para competir em igualdade com os clubes espanhóis, se não nesta, nas próximas temporadas.




Imagem: Premier League
Tecnologia do Blogger.