Guia da Champions League 2017-2018: Paris Saint-Germain




Guia da Champions League 2017/18: Paris Saint-Germain



Desde que foi comprado pelo grupo catariano, no começo desta década, o Paris Saint-Germain assumiu a missão de se tornar uma referência no mundo do futebol, montando um time estrelar, que pratica um modelo de  jogo exemplar, e conquista títulos. Neste sentido, podemos entender por conta de que os Árabes foram à Barcelona, e pagaram 220 milhões de euros para contar com Neymar, o cara considerado em massa o principal candidato ao trono do futebol mundial, após o fim da era Messi/Cristiano Ronaldo. Não contente, o clube da capital francesa ainda vai pagar cerca de 166 milhões de euros, pois requisitou um empréstimo com opção de compra, para tirar a grande revelação do futebol francês, Kylian Mbappé, do Monaco. 


A chegada de Neymar vem ao encontro das recentes movimentações do Paris. O clube, na temporada passada, mandou embora Laurent Blanc, e foi à Espanha buscar Unai Emery, então tricampeão da Europa League com o Sevilla, para o comando técnico. A intenção, era melhorar o trabalho em campo, com o time passando a de fato dominar os rivais, não só pela qualidade técnica, mas pela maneira como atua em campo. Neste sentido, dá para dizer que se esperava mais de Emery na última temporada, onde o clube parisiense contrastou bons e maus momentos, como foi contra o Barcelona na Champions League.

A grande questão para o Paris, é que com Neymar, o ritmo do seu jogo deverá mudar. Ney tem tudo para ser o "dono" do time, tomando este papel de Marco Verratti, o que pode significar um time mais elétrico, como se viu em Agosto. A questão, é que isto vai de certo modo contra o modelo de jogo que Emery usava no Sevilla. O técnico espanhol parece estar mudando o estilo de jogo da equipe após alguns insucessos, e no momento, é complicado saber quais serão os resultados disso. A ida de Krychowiack, homem de confiança de Emery desde os tempos de Sevilla, para o West Bromwich, por exemplo, foi algo sintomático.

O PSG deve seguir atuando no 4-3-3, com Aréola no gol, Daniel Alves na lateral-direita, Kurzawa na esquerda, e Thiago Silva e Marquinhos na zaga. Os laterais devem apoiar ainda mais por dentro, ocupando zonas interiores com a presença de Dani. O principal problema da defesa na temporada passada foi na fase posicional, e algumas correções serão necessárias, para competir em bom nível, especialmente na Europa.


PSG - Football tactics and formations


No meio-campo base, Thiago Motta deve atuar entre as linhas, atrás de Rabiot e Verratti, formando uma trinca de muita qualidade, que só precisa de poderes para atuar. Na frente, Neymar será o dono da extrema esquerda, com Cavani no centro, e Mbappé, ou Dí Maria na direita. O jovem francês deve ter chegado para ser titular, o que pode levar o argentino a atuar no meio, como interior, ou ao banco.

A chave B desta Champions League, com Anderlecht, Celtic e Bayern, não deverá ser complicada para avançar às oitavas-de-final, mas exigirá bom nível para terminar na primeira posição e evitar um confronto complicado nas oitavas-de-final, como foi contra Chelsea e Barcelona em temporadas recentes.



Imagem: PSG
Tecnologia do Blogger.