Guia da Champions League 2017-2018: Monaco

Guia da Champions League 2017/18: Monaco


Guia da Champions League 2017/18: Monaco



Depois de uma temporada fantástica, onde conquistou o título da Ligue 1 após 17 anos de jejum, e chegou nas semi-finais da Champions League, eliminando com sobras o Borussia Dortmund e o Manchester City, só caindo diante da Juventus, o Monaco tenta manter o grande nível. Tarefa que não será fácil para Leonardo Jardim, após as saídas do lateral-esquerdo Mendy e dos meias Bernardo Silva e Bakayoko, e do atacante Mbappé, principal nome da equipe na temporada de sucesso. Outro nome a sair foi o o experiente delantero Valère Germain, vendido ao Olimpique de Marselha.

A saída, foi seguir apostando no trabalho de garimpo no mercado. A principal contratação, foi a de Youri Tielemans, um atleta que se encaixa muito bem com a nova realidade do clube. Outrora Outsider, agora os Rouges terão a a missão, de em vários jogos, propor jogo com a posse e controlar a redonda. O belga é muito mais um jogador de controle no meio-campo, do que o físico Tiemoué Bakayoko, além de ter melhor capacidade arrematar ao gol de longe, arma por vezes pouco utilizada pela equipe na temporada passada.

Também neste sentido, dá para se imaginar que o lateral-esquerdo brasileiro Jorge, seja o substituto de Benjamin Mendy no setor. Com maior capacidade para atuar por zonas interiores do campo, ele deve dar mais opções para o controle, deixando com o extremo do setor, possivelmente o também brasileiro Boschilia, a função de maior ataque com agressividade. No outro extremo, dá para imaginar Rony Lopes como substituto de Bernardo Silva, numa troca que, não vai exatamente neste sentido, já que Bernardo era um jogador bastante pronto para o controle e o jogo de posição.

AS Monaco - Football tactics and formations


Outros nomes que chegaram foram o lateral-esquerdo holandês Kongolo, os atacantes Jovetic e Diakhaby, o mediocentro Meïté (ex-Zulte-Waregem), os extremos Ghezzal (ex-Lyon) e Mboula (ex-Barcelona B), e o experiente goleiro Diego Benaglio (ex-Wolfsburg). Mesmo se reforçando bem, será complicado para os monegascos manter a mesma toada da temporada passada, quando aliavam consistência defensiva, tanto nas fases posicionais, como nas de transição, e uma verticalidade enorme.

A experiência de João Moutinho e Falcao García, serão fundamentais nesta remontagem. Jardim já se mostrou competente, e não deve deixar o time perder muito nível. Colocado na chave G da Champions League, o Monaco terá a concorrência de Porto, Besiktas e RB Leipzig. Uma chave acessível, sem nenhuma potência, mas que merece cuidado, e será complicada.




Imagem: Monaco
Tecnologia do Blogger.