Guia da Champions League 2017-2018: Manchester United

Guia da Champions League 2017-2018: Manchester United


Desde a chegada de José Mourinho ao Old Trafford, a ordem parece ter voltado. O Manchester United, desde a temporada passada, voltou a ser competitivo, tanto na Inglaterra, quanto no continente, onde inclusive conquistou a Europa League 2016/17, que lhe deu a vaga para voltar a disputar a Champions, na atual temporada.

O United joga, neste começo de temporada, o melhor futebol da Premier League, apesar da pouca mostra. O time de Mourinho se estruturou bem no típico 4-2-3-1 do treinador. Já na temporada passada, os resultados domésticos poderiam ter sido melhores, não fossem os vários gols desperdiçados, que deixavam o time muito dependente de Ibrahimovic para marcar. Neste sentido, a chegada de Romelu Lukaku ao elenco, trouxe mais uma opção para o setor ofensivo, e pode auxiliar a equipe a balançar as redes, especialmente até o sueco se curar totalmente da lesão sofrida em abril. 


O Manchester United, dentro de seu 4-2-3-1, se defende bem, dá poucos espaços, apresenta possibilidades de variação para outros sistemas, e ataca com equilíbrio. A movimentação dos três meias, aliada ao jogo de costas de Lukaku, é as chagadas de Pogba, são fundamentais tanto nas transições, quanto no ataque posicional, abrindo espaços, mesmo em defesas mais fechadas. Neste sentido, a chegada de Matic, foi fundamental, dando mais liberdade para Pogba se somar aos meias, além de ser mais um jogador de estatura elevada e bom arremate de fora da área,que guarnece bem o sistema defensivo. Outra alternativa, seria o 4-3-3, com Herrera ingressando no XI titular, atuando ao lado de Pogba como interior, dando mais liberdade ainda ao francês, para fazer a diferença com seus arremates e o jogo físico.





O fato de ter vários jogadores de estatura elevada, facilita bastante o jogo físico do Manchester United, arma que pode ser bastante usada nos jogos da Champions League, especialmente com a entrada de Marouane Fellaini na equipe. O time é o favorito da chave A, mas não pode se acomodar muito, já que em 2012, caiu em um grupo onde também tinha a companhia de Benfica e Basel. Desta vez, o CSKA, também está na chave. 

O time de Mourinho ainda não está no mesmo nível dos quatro/cinco mais fortes do continente, mas apresenta margem para evoluir, e pode chegar neste estágio, dependendo do decorrer da temporada. Os Red Devils tem camisa, tradição, um treinador que conhece a competição, e condições técnicas e táticas para competir bem em uma UCL, algo que há anos, os ingleses não apresentavam plenamente.



Imagem: Premier League
Tecnologia do Blogger.