As decepções da temporada européia



Com o encerramento da temporada 2016-2017, os campeões das cinco principais ligas européias, já são conhecidos, assim como as grandes decepções. Vários clubes investiram pesado na janela de Verão, contratando reforços e gerando expectativas, que não foram cumpridas. Vamos relembrar o que ocorreu com eles.


Valencia foi a maior decepção em La Liga


Se o Real Madrid foi a grande confirmação de La Liga 2016-2017, dá para dizer que Barcelona, Atlético de Madrid, Valencia, e até mesmo o Sevilla, no final da temporada, decepcionaram. O desempenho dos andaluzes, na primeira metade da temporada, contudo, superou as expectativas, fazendo com que a média da equipe, fique mediana. O Barça poderia ter rendido mais do que rendeu, mas lutou pelo título espanhol e conquistou a Copa do Rei, salvando a época. Tentando melhor o seu jogo propositivo, o Atlético de Madrid perdeu em consistência ao defender sua área e arredores, mas ainda se manteve competitivo, e alcançou vaga direta para a próxima UEFA Champions League.

Assim, podemos afirmar que mais uma vez, o Valencia foi a grande decepção de La Liga. Mesmo com mais recursos que a maioria dos seus concorrentes, os Ches, pela terceira temporada seguida, foram decepcionantes, trocando de comando com frequência, e passando por comandantes totalmente diferentes. Pako Ayestarán, Voro e Cesare Prandelli foram os líderes de um clube que a todo se defendeu e atacou de maneira errada, e só não lutou de fato contra o rebaixamento por conta da força do elenco, que ainda tinha nomes de muita qualidade, como o ótimo zagueiro argentino Ezequiel Garay, o defensor francês Mangala, e os bons Carlos Soler e Simone Zaza.


Leicester e West Ham decepcionaram em uma Premier League onde ninguém surpreendeu



Manchester City, Manchester United e Arsenal decepcionaram bastante nesta Premier League. O City, tirando raros momentos, nada foi um time de Pep Guardiola, propondo o jogo com posse e atacando e defendendo de maneira organizada, se submetendo ao caos da Premier League. A terceira colocação na tabela, aliada ao fato de estar ser a primeira temporada de Pep no Etihad, minimizam um pouco a decepção. Manchester United e Arsenal também foram pobres na EPL, ficaram fora do G-4, mas conquistaram títulos de Copas nacionais (os Red Devils também faturaram a Europa League).

 Assim, ao falar de decepções nesta EPL, não dá para fugir de West Ham e Leicester (embora Swansea, Syoke City, e até o Crystal Palace também pudessem ser citados). Os Hammers, saíram de um 7º para um 11º lugar, errando demais na contratação de reforços, em uma temporada onde geravam expectativas. O argentino Manuel Lanzini acabou sendo a principal figura da equipe comandada por Bilic. Já o Leicester, saiu do título de 2015/16, para um 12º lugar. Um boicote ao técnico Claudio Ranieri teria sido a principal razão para a queda de rendimento.


Bayer Leverkusen, Schalke 04 e Borussia Mönchengladbach decepcionaram na Bundesliga


Bayer Leverkusen, Schalke 04 e Borussia Mönchengladbach decepcionaram demais nesta Bundesliga. Se os potros e os meineiros já são decepções constantes, os aspirinas vinham de sete temporadas seguidas disputando competições da UEFA, sendo quatro participações seguidas na Champions League, onde só eliminados nas oitavas-de-final. Contudo, em  2016-2017, encerraram a Bundesliga numa decepcionante 12ª colocação, pouco acima da zona de descenso.

O técnico Roger Schmidt foi demitido na metade da temporada, após fracassar na tarefa de dar um padrão de jogo razoável ao time. O turco Tayfun Korkut assumiu o seu lugar, e de fato, pouco evoluiu o time, que seguiu praticando um jogo muito limitado.

Internazionale mais uma vez fracassou na Itália


Após gastar 134,4 milhões de euros na janela de verão, a Internazionale não passou da fase de grupos da Liga Europa, sendo lanterna em uma chave que dividiu com Sparta Praga, Hapoel Be'er Sheva e Southampton, caiu nas quartas da Copa da Itália, e terminou a Serie A na  na sétima posição. Ainda no comecinho da temporada, trocou Roberto Mancini por Frank de Boer, que depois foi substituído por Stefano Pioli, que no final das contas, nem terminou a temporada.

O clima interno na Inter não é bom. Todos os técnicos tiveram atritos com a diretoria, e isto refletiu no bom grupo de jogadores, que não rendeu. Os vários gols protagonizados por Icardi chegaram a mascarar uma temporada péssima, que sem os tentos do argentino, poderia ter sido pior.

Paris Saint-Germain ficou devendo na França



Outrora hegemônico na França, o milionário Paris Saint-Germain era o atual tetracampeão nacional, mas na temporada 2016-2017, apesar das conquistas da Supercopa da França, da Copa da França e da Copa da Liga Francesa, ficou devendo. Unai Emery começou o seu trabalho sem conquistar a Ligue 1, que parou nas mãos do competente Monaco. Além do mais, a eliminação para o Barcelona na Champions, por conta das circunstâncias, foi frustrante.



Imagem: ESPN/Getty Images


Tecnologia do Blogger.