A solidez defensiva da Juventus

A solidez defensiva da Juventus

Um dos times mais completos e equilibrados da história do futebol, a Juventus 2016-2017 se caracteriza pela capacidade associativa no ataque, e a solidez defensiva. A Juventus defende muito bem a sua área e arredores, sem necessariamente escalar uma grande quantidade de jogadores especialistas no setor defensivo. O esforço coletivo e a organização bianconera se sobrepõe ao sistema tático e as características do adversário, controlando até mesmo ataques como o do Barcelona e o do Monaco, os mais efetivos da Europa. Esta foi a chave para a Juventus alcançar a final da UEFA Champions League, e seguir sonhando com o título de campeã da Europa.

Allegri não tem escalado um pivote específico na frente da área, mas sim um double-pivote, com Pjanic e Khedira, ou Marchisio. Contudo, atrás, a  zaga tem sido formada com Bonucci e Chiellini, com Barzagli, zagueiro de origem, atuando como lateral-direito, dando liberdade para Daniel Alves ser o extremo por este setor. O sistema pode mudar a qualquer momento para um 3-4-1-2, com Alex Sandro virando ala pela esquerda, e o trio BBC atrás. Bonucci e Chiellini tem grande capacidade de sair bem jogando de trás e se associar com o ataque, seja com a saída pelo chão, seja com a bola longa. Assim, a Juve raramente perde a bola em  seu campo, e com isto, pode se defender melhor posicionada.

Quando os dois alas atacam, jogam bem abertos, alargando o campo e ampliando as opções de passe. Assim, o trio Dybala-Mandzukic-Higuaín não precisa de afastar tanto da área adversária, podendo jogar pelo miolo. Este posicionamento também  ajuda na hora da recomposição defensiva, fazendo com que o time não fique exposto aos contragolpes adversários. Assim, a Juve pode sempre defender com  as duas linhas de quatro bem compactas, sem espaços entre elas. Passa a dominar o adversário, algo fundamental para se obter sucesso na Champions League. Vale lembrar que equipes inglesas e italianas, de modos diferentes, não dominam os rivais, e vem obtendo resultados ruins na Champions e na Europa League, com raras exceções, ao contrário dos espanhóis, que se caracterizaram justamente pelo domínio de campo e espaço nos últimos anos.

Se a defesa foi a base de uma Juventus defensiva, ela será a  encarregada de obstruir a forte armada ofensiva do Real Madrid em Cardiff. Uma tarefa complicada, mas não impossível para esta muralha, que ainda conta com o lendário Giggi Buffon sob as traves.
Tecnologia do Blogger.