Real Madrid é campeão espanhol após temporada quase perfeita



Já estava praticamente assegurado após as goleadas sobre Sevilla e Celta, mas o Real Madrid confirmou neste Domingo o título de campeão espanhol da temporada 2016/17, após derrotar o Málaga, fora de casa, por 2 a 0. O Barcelona até venceu o Eibar, de virada, por 4 a 2, mas foi inútil. O time merengue foi o mais regular em uma La Liga disputada até a última rodada, e foi vencedor com merecimento.

O Real Madrid disputou até a última rodada o título com o Barça, e levou a melhor por conta de competir em um nível melhor durante as 38 rodadas. Perdeu o confronto direto, mas mesmo assim ficou com a taça, pois perdeu menos pontos para os outros 18 clubes de La Liga, que se mostraram num nível abaixo da dupla. O trio Casemiro-Kroos-Modric foi a principal garantia de competitividade e equilíbrio, e consequentemente pontos. A trinca é capaz de gerar gols contra qualquer tipo de defesa, trabalhando bem com Cristiano Ronaldo e Benzema. 

Ao contrário de outras situações, o Real não foi dependente dos gols de Cristiano Ronaldo, o que não anula a sua ótima temporada. A questão, é que desta vez ele precisou buscar menos o gol pelo gol, e o tento virou apenas uma consequência. Nem mesmo as lesões de Bale trouxeram problemas, e ainda geraram  incrível solução: Isco Alarcón. 

No começo da temporada cotado como eterna promessa e reserva, Isco se converteu no mais importante jogador madridista na campanha em La Liga. Soube usar os minutos em campo no time reserva, ou entrando no decorrer dos jogos, aproveitou a lesão de Bale, cavou seu lugar no time titular, e não saiu mais. Zidane até mudou o sistema de jogo do Real, passando a atuar em um 4-3-1-2, com Isco atuando na mediapunta adversária, e se tornando um diferencial. Isco melhorou o jogo associativo da equipe, as transições e a pressão no meio, ajudando a equipe a roubar cada vez mais em zonas adiantadas, ter mais a posse da bola e de fato dominar os rivais, dando o primeiro passo para as vitórias. 

Com três centrocampistas e dois atacantes à frente de Casemiro, a participação de Sergio Ramos na circulação da bola passou a ser mais ativa, e os dois laterais receberam a missão de dar a profundidade necessária pelos lados ao time, cumprindo com extrema eficiência a missão. Tanto Marcelo, quanto Carvajal, geraram muito pelos lados, seja tabelando com jogadores por dentro, seja com os cruzamentos, que sempre geram ocasiões de perigo de gol ao adversário. Os dois também foram importantes na pressão pelos lados, e várias roubadas de bola deles viararam jogadas de gol.

Agora, o Real Madrid aguarda a disputa da Final da UEFA Champions League, dia 3 de Junho, em Cardiff, no País de Gales.
Tecnologia do Blogger.