A história do Ajax nas competições da UEFA

Copa da UEFA 1991-1992: Ajax


Um gigante acorda. Depois de anos de ostracismo dentro do cenário do futebol europeu, o Ajax voltará às grandes decisões europeias, ao disputar a grande final da Europa League 2016-2017, contra o Manchester United, nesta quarta-feira. Sob o comando de Peter Bosz, discípulo da filosofia futebolistica de Johan Cruyff, e com um time cheio de garotos, os deuses chegaram em uma final europeia pela primeira vez desde 1996, quando acabaram derrotados pela Juventus, na decisão da Liga dos Campeões daquela temporada. E o mais importante, com um time que joga um futebol fiel ao histórico do clube.

Este jovem time do Ajax foi montado com a "pesca" em mercados alternativos, como a Escandinávia e a América do Sul. Do Norte da Europa, o Ajax buscou nomes importantes, como o centroavante Dolberg. Da Alemanha veio o atacante Younes. Ainda há Zyech, Onana e Traoré, que foi emprestado pelo Chelsea. Mas há símbolos da equipe, como Klassen e Shone. Tradicional formador, o Ajax colhe os frutos de uma base estruturada, que espalha valores construídos no passado glorioso do clube.

O Ajax entrou para o grande circuito do futebol europeu no começo dos anos 70, com aquela grande equipe que era treinada por Rinus Michels (posteriormente por Stefan Kovács), e liderada em campo pelo craque Johan Cruyff, conquistando a Copa dos Campeões em 1971, 1972 e 1973, além de formar a base da seleção holandesa que em 1974 foi vice campeã da Copa do Mundo.

Em 1987, há 30 anos, Cruyff já havia deixado os gramados, e virou técnico, para conduzir o clube ao título da Recopa da temporada 1986/87. Na caminhada até a taça, a equipe eliminou  o Bursaspor, o Olympiacos, o Malmö e o Zaragoza, até derrotar o Dínamo Leipzig e ficar com a taça, na grande decisão diputada em Atenas. O gol do título foi marcado pelo capitão Marco Van Basten, aos 21 minutos de jogo.

Os anos 90 seriam ainda mais brilhantes. O grande Ajax, que seria campeão europeu em 1995, já mostrava força na Copa da UEFA 1991-1992. Edwin Van der Sar era o goleiro reserva, Danny Blind, Sonny Silooy, Wim Jonk, Aron Winter, Dennis Bergkamp, Stefan Pettersson e Frank De Boer já estavam no time, e o comandante já era Louis van Gaal. Os Godenzonen contavam com um time rápido e habilidoso, e espantaram a Europa.

Primeiro, o Ajax passou pelo Orebro, da Suécia, pelo Rot-Weiss Erfurt, da Alemanha, e pelo Osasuna nas oitavas, até eliminar os belgas do Gent nas quartas. Na semifinal, o Ajax eliminou o Genoa, de Branco e da dupla de ataque Tomas Skuhravy e Carlos Aguilera, com uma vitória por 3 a 2 na Itália, e um empate em 1 a 1 na Holanda. Na grande decisão, o Torino bem que tentou, mas não conseguiu evitar que o Ajax voltasse a conquistar uma competição organizada pela UEFA, apenas cinco anos mais tarde.





Esta mesma base foi a responsável por conquistar a Copa dos Campeões, a Supercopa e o Mundial de Clubes em 1995. Em 1996, o Ajax ainda chegou ao vice-campeonato da Europa, mas entrou em um hiato sem decisões da UEFA. Este hiato durou 21 anos, e vai se encerrar nesta quarta-feira.
Tecnologia do Blogger.