Ousmane Dembélé lidera um BVB histórico

Ousmane Dembélé lidera um BVB histórico



O Borussia Dortmund sobreviveu ao desafio de encarar um Bayern completo, na Allianz Arena, vindo de uma sequência de insucessos, no que se inclui uma dramática eliminação na UEFA Champions League. Thomas Tuchel abriu mão de seu estilo para conter Arjen Robben e Franck Ribéry, e assim seguiu para a final da Copa da Alemanha, pela quarta temporada consecutiva. Agora, o objetivo aurinegro é conquistar a taça, que pode ser a única de 2017.

O Borussia Dortmund não fez nem de longe a sua melhor apresentação da temporada, mas o Bayern, esteve muito mal. Thomas Tuchel deixou para trás os três zagueiros, e atuou em um 4-4-2, com duas linhas de quatro homens. Os dois extremos, Raphael Guerreiro e Ousmane Dembelé, atuaram bem abertos, com Castro e Weigl no miolo, e Reus e Aubameyang no ataque. A escalaçõ de Guerreiro, originalmente lateral-esquerdo, na extrema esquerda, tinha a intenção de controlar as descidas de Arjen Robben, que fez estragos no sistema defensivo do BVB no jogo do segundo turno da Bundesliga. O Borussia entregou totalmente a posse ao Bayern, e esperou para jogar no contragolpe. E ele surgiu. Em uma recuada de bola de Javi Martínez totalmente errada, Guerreiro interceptou e chutou, com Ulreich defendendo parcialmente, para Reus, no rebote, abrir o placar.

Após marcar o seu gol, o Borussia Dortmund foi ainda mais empurrado para trás pelo toque de bola do Bayern. Thiago e Xabi Alonso foram ativando companheiros em melhor condição de receber os passes, enquanto os dois laterais pentravam pelos flancos, e Vidal exercia um forte trabalho de pressão no meio. Aos poucos, Xabi virou praticamente um terceiro zagueiro na frente da área, com Lahm e Alaba se somando ao meio, numa espécie de 3-4-3. O massacre, acabou dando resultado. Primeiro, Javi Martínez, empatou, após cobrança de escanteio. Depois, Hummels mandou para o fundo das redes uma bola que sobrou após um lance de bola parada, para virar o marcador. O 2 a 1 pareceu até pouco, pois o placar poderia ter sido ampliado, não fossem as chances perdidas pelo polonês Robert Lewandowski.

No segundo tempo, Tuchel mandou ao campo Erik Durm, passando a atuar no 4-3-2-1. Guerreiro e o próprio Durm atuaram na linha de ação dos volantes, auxiliando na marcação dos pontas e laterais do Bayern, enquanto Dembelé e Reus passaram a atuar atrás de Aubameyang, na mediapunta de um Bayern que dava espaços para eles trabalharem entre as linhas, já que partia em busca de matar o jogo. Lewandowski novamente teve várias chances, fazendo ótimos trabalhos de pivô, mas pecando nas finalizações. Se o centroavante do time da Baviera perdoava, o do time do Ruhr não o fez. Na metade da segunda etapa, Aubameyang deixou tudo igual, colocando fogo na partida.

Foi aí, também que apareceu Ousmane Dembelé. O garoto francês, de 19 anos, passou a atuar ao lado de Weigl, formando uma nova segunda de quatro, como interior. Primeiro, ele serviu Aubameyang com um cruzamento, no gol supracitado. Depois, Guerreiro desarmou Lahm e tocou para Reus, que teve calma para servir Dembelé, que marcou um golaço, com um belo chute. Depois do gol, o Borussia Dortmund foi só resistência, e o Bayern pressão pura, em busca do empate. Contudo, o Borussia segurou bem atrás, e fez história, se tornando o primeiro clube a chegar quatro vezes seguidas na final da Copa da Alemanha. O adversário desta vez será o Eintracht Frankfurt, um rival que merece respeito,mas parece inferior aos aurinegros.
Tecnologia do Blogger.