Juventus amassou o Barcelona de maneira impressionante





Juventus e Barcelona fizeram nesta Terça-feira na Itália a partida de ida das quartas de final da Champions. A Juve foi senhora do jogo, dominou o Barça desde o início, e venceu por 3 a 0, no que foi a primeira grande noite européia da jóia argentina Paulo Dybala.

A Juventus começou a partida marcando pressão a saída de jogo do Barcelona, que não conseguia jogar. E logo abriu 2 a 0, com o argentino Paulo Dybala marcando duas vezes, aos 7 e 22 minutos de jogo. Em todos os instantes, Dybala incomodava a defesa do Barça. Miralem Pjanic e Sami Khedira, o pivote duplo da Juve, avançava o seu posicionamento,proporcionando roubos de bola em zonas adiantadas. No 4-3-3, o Barça deixava a entrada da área muito exposta,e tinha como lateral-esquerdo Mathieu, que em nenhum momento apoiava Neymar, mas também não marcava firme, levando um baile da dupla Cuadrado e Daniel Alves. Por ali, saiu o primeiro gol de Dybala. No segundo, o croata Mario Mandzukic, pela ponta-esquerda, apareceu e tocou para trás, para a jóia finalizar sem chances de defesa para Ter Stegen.


Juventus x Barcelona (11/04/2017) - Horário, TV e prognóstico (Champions League)


A Juve, após marcar os seus dois gols, deu uma leve recuada no final do primeiro tempo, deixando o Barcelona instalar-se em seu campo e rondar a área, esperando pela inspiração individual de seus craques. No intervalo, Luis Enrique sacou Mathieu e mandou André Gomes ao campo. Mesmo assim, a Juve voltou a acelerar jogando pelos lados, sempre buscando o passe para trás, onde algum jogador bianconero sempre estava pronto para finalizar ou armar alguma jogada. Após uma cobrança de escanteio de Pjanic, o zagueiro Giorgio Chiellini fez o terceiro tento bianconero, que já dava ares de tranquilidade.

Com uma boa vantagem no marcador, a Juve resguardou mais as suas linhas de marcação, congestionando bastante os lados, especialmente após a entrada de Lemina no lugar de Cuadrado. Neymar pouco conseguiu fazer. Messi deu as caras e buscava jogo, circulando a partir da direita no primeiro tempo, e centralizado no segundo, onde encontrou brechas na dupla de pivotes da Juve. Ele deu dois passes que colocaram Suárez e Iniesta em condições de marcar, mas ambos não tiveram sucesso, diante de um Buffon mais uma vez espetacular.

Com o Barcelona saindo de Turim sem marcar e com três gols sofridos, dá para dizer que a Juventus tem o cenário ideal para a classificação. Apesar de um 3 a 0 ter um quadro teoricamente mais reversível que um 4 a 0, a Juventus tem um DNA diferente do que o PSG possui,carregando consigo a força defensiva italiana e o tamanho de um gigante nacional e continental. O jogo da volta, no Camp Nou, está marcado para 19 de abril.

Tecnologia do Blogger.