Grandes Times: o Feyenoord de 1968-1970

Grandes Times: o Feyenoord de 1968-1970



A Holanda já mostrava a força do seu Futebol nos anos 60. O Ajax e até o próprio Feyenoord já vinham fazendo boas campanhas na Copa dos Campeões, até que chegou a hora do título inédito, que viria no começo da década de 1970 com a equipe de Roterdã. Com jogadores como Treytel, Romeijn, Laseroms, Israël e van Duivenbode, a defesa era quase intransponível. Na hora de atacar, todo o estilo holandês, com velocidade e bom toque de bola, e craques do porte de Franz Hasil, Wim Jansen, van Hanegem, Wery, Kindvall e Moulijn.

O Feyenoord acabou perdendo o campeonato Holandês para o Ajax na temporada de 1969/70, mas a sorte foi diferente na Liga dos Campeões. A equipe começou a competição amassando o KR Reykjavík, da Islândia, fazendo no jogo de ida, a maior goleada da história da Liga dos Campeões: 12 a 2. Na volta, fez "só" 4 a 0.

Na segunda fase, o adversário seria bem mais complicado: o então atual campeão Milan. Na Itália, vitória do Rossonero por 1 X 0. Na volta, o Feyenoord virou o placar agregado: 2 a 0, com gols de Jansen e van Hanegem. Nas quartas de final, a vítima foi o Vorwärts Berlin, da Alemanha.

Nas semi-finais, o adversário do Feyenoord foi o forte time polonês do Légia Varsóvia, de Gadocha e Deyna. Mostrando mais uma vez o poderio da sua forte defesa, o Feyenoord segurou o 0 a 0 no primeiro jogo, e na Holanda transformou o seu estádio em uma verdadeiro alçapão, vencendo por 2 a 0, com gols de van Hanegem e Hasil.

Na outra semi-final, um feito inédito: um confronto britânico. O escocês Celtic eliminou o inglês Leeds, em um jogo que, por diversos fatores entrou para a história. Além do ineditismo, o público que presenciou a vitória do Celtic por 2 x 1 no Hampden Park foi recorde: 136 mil pessoas. Os gols do Celtic naquele dia foram de John Hughes e Bobby Murdoch.

Era hora da final. E seria no San Siro, onde o Feyenoord já havia perdido na temporada. Contra um Celtic, que 3 anos antes já havia sido campeão, e com isto levava um certo favoritismo. Os escoceses abriram o placar aos 30 minutos com um gol de Tommy Gemmell, mas dois minutos depois, Rinus Israël empatou. O jogo terminou empatado, e foi para a prorrogação. Faltando quatro minutos para o fim, Kindvall marcou para o Feyenoord, dando o primeiro título da história da Liga dos Campeões à uma equipe holandesa.

O Feyenoord ainda derrotaria o Estudiantes de la Plata no Mundial Interclubes, e três anos depois seria campeão da Taça UEFA, voltando a vencer a segunda competição mais importante da entidade máxima do futebol europeu na temporada 2001/02.


Tecnologia do Blogger.