Sevilla e Atlético de Madrid fizeram duelo direto em La Liga

Sevilla e Atlético de Madrid fizeram duelo direto em La Liga


Atlético de Madrid e Sevilla se enfrentaram neste Domingo, em confronto direto de La Liga. As duas equipes, que mudaram de patamar recentemente, vem em momentos distintos na temporada. Enquanto o Atlético se estabiliza, o Sevilla cai de rendimento, por conta do desgaste e da falta de soluções táticas. O resultado, foi a derrota do time da Andaluzia por 3 a 1, em uma atuação para o esquadrão colchonero ganhar confiança.

A mudança do Atlético


Na última quarta-feira, o Atlético de Madrid alcançou a vaga nas quartas de final da Champions League pelo quarto ano seguido, mudando de patamar desde a chegada de Simeone ao clube. O grande trabalho do Cholo, no momento, é trazer uma segunda mudança de patamar ao Atlético. Ele transformou um clube com moral em decadência, em uma agremiação respeitada em toda a Europa, mas agora,  necessidade é fazer o clube ser temido pelos adversários, como acontece com Real Madrid, Barcelona e Bayern de Munique.

Para isto, o Atlético torrou milhões de euros em busca de atacantes nas últimas janelas, e Simeone tem tratado de priorizar o ataque, em um time conhecido outrora por sua defesa extremamente sólida. Não tem sido incomum o time do Cholo atuar em um 4-4-2 que vira um 4-4-1-1, ou até mesmo um 4-2-4 em fase ofensiva. Quando ataca posicionado, o Atlético espeta dois jogadores pelos lados do campo, e centraliza dois atacantes, também adiantando seus interiores e laterais.

Contra o Sevilla, neste Domingo, ficou a certeza da força do atual sistema, e da individualidade de Griezmann. O francês fez um golaço de falta, serviu Godín, e mostrou que é capaz de fazer a diferença nesta reta final de temporada.


A mudança do Sevilla


No Sevilla, Sampaoli também conseguiu dar um novo patamar ao clube, mesmo com apenas meia temporada de trabalho. Hoje, dá para dizer que o Sevilla andou uma casa na tabela de La Liga, e tem um nível alto de competição na Champions. A questão é, se o clube terá condições de nas próximas temporadas, lutar pelos títulos de La Liga e da Champions, como fez nos últimos anos com a Liga Europa.

No começo da temporada, Sampaoli atuava em um 3-1-4-2, que variava muito para um 4-3-3, 4-2-3-1, e até mesmo um 4-1-4-1. O sistema de jogo rojiblanco exigia muito de seus jogadores. O desgaste físico, em muito explica a queda de rendimento nos últimos jogos, e em geral nesta segunda metade da temporada (algo similar ao que ocorreu com o Liverpool de Klopp na Inglaterra).

Tentando minimizar isto, Sampaoli alterou o sistema de jogo, mas errou muito a mão, e não tem encontrado soluções. Contra o Atlético, ele escalou Escudero como interior, Sarabia aberto na ala, Ben Yedder como extremo esquerdo, e Nasri como falso 9. Na primeira metade, o ex-pequeno Zidane foi um dos destaques do time, jogando ao lado de Franco Vazquez como interior, com N'zonzi na frente da zaga.

Ao perder está estrutura, o Sevilla também perdeu estabilidade, e como resultado, viveu um março para esquecer.



Imagem: Atlético de Madrid
Tecnologia do Blogger.