Mudanças não surtiram efeito, e Roma sofreu com o Napoli no Olímpico

Mudanças não surtiram efeito, e Roma sofreu com o Napoli no Olímpico


A Roma construiu o seu sucesso na temporada, entre Agosto e Fevereiro, muito por causa de sua consistência defensiva, estabelecida pelo seu sistema tático. A equipe de Spaletti costumava atuar com três zagueiros, se defendendo em um 5-4-1, e atacando no 4-4-3, ou no 3-4-3. A linha de 5 na defesa tira muito da profundidade do ataque do adversário. Após a derrota para a Lazio na Coppa Italia, Spaletti mandou ao campo neste Sábado, contra o Napoli, um time com quatro zagueiros de origem, formando uma linha de quatro homens atrás, que deu toda a profundidade para o veloz ataque napolitano.

Sem o seu tradicional 5-4-1, a Roma abria buracos entre as linhas, e atrás da sua última linha. O time romano, jogando no Olímpico, tomou a iniciativa e teve a posse, mas também tinha muitos problemas quando a perdia. Hoje, o Napoli de Sarri joga sem um centroavante, com o veloz Dries Mertens ocupando a posição de falso 9. Pois o belga teve todo o espaço para trabalhar entre as linhas da Roma, e sem encontrar um terceiro homem na defesa adversária, passar por ela sem maiores problemas.

O Napoli se fechou bem. Sem os alas, Sarri sabia que a Roma jogaria pouco pelos lados, e fechou o miolo do campo, aproximando bem as linhas do seu 4-1-4-1. Quando tinha a bola, o time Partenoppei tinha campo para trabalhar com seus homens de velocidade. Em um destas ocasiões, o hoje interior eslovaco se infiltrou entre as linhas dos Giallorossi, e acionou Mertens em profundidade. O belga passou em velocidade por Rudiger, Fazio, Manolas e Juan Jesus, que em linha, apostavam no impedimento, enquanto brasileiro dava condições de jogo. Assim, bastou a Mertens dar um leve toque, por cima do goleiro Szsesny, para abrir o placar para os visitantes.

Com a vantagem, o Napoli ficou ainda mais confortável em campo, e poderia ter ampliado ainda na primeira etapa. Logo no começo do segundo tempo, o extremo Insigne apareceu bem pelo flanco esquerdo, e cruzou para Mertens, entre a zaga e o gol. O atacante belga se antecipou bem aos zagueiro, e aumentou a vantagem partenoppei, deixando a Roma desnorteada.

Pensando em tornar seu time mais ofensivo, Spaletti voltou ao sistema com três zagueiros, e mandou ao campo o egípcio Salah e o ala brasileiro Bruno Peres, na expectativa de aumentar sua força pelos lados, até para tentar acionar Dzeko pelo alto. Mesmo assim, a defensiva napolitana seguia dando poucos espaços, tirando a chance de a Roma atacarem profundidade. Quando a bola vinha pelo meio, encontrava a defesa bem postada, e pronta para se livrar o perigo, mesmo que fosse acionando o goleiro Reina. Contudo, o abafa era forte, e nesta pressão, o máximo que a Roma conseguiu foi descontar, com um gol de Strootman, após um bate e rebate na área.

Uma semana para a Roma esquecer. Depois de perder o dérbi para a Lazio, desta vez amarga esta derrota por 2 a 1, em casa, em um duelo direto na luta pelo vice-campeonato. Agora, a loba se prepara para encarar o Lyon, quinta-feira, em jogo válido pela ida das oitavas da Europa League. Já o Napoli encara o Real Madrid, Terça-feira, só que pela Champions League.



Imagem: Twitter Roma Brasil oficial
Tecnologia do Blogger.