Noite mágica na Champions: Barcelona conseguiu virada histórica

Noite mágica na Champions: Barcelona conseguiu virada histórica


Tivemos um dia histórico no futebol, e na UEFA Champions League. O Barcelona conseguiu nesta quarta-feira um feito inédito nas competições europeias, ao reverter uma desvantagem de derrota na ida, fora de casa, por 4 a 0. O time blaugrana bateu o PSG, no Camp Nou, por incríveis 6 a 1. Com esta virada sensacional, conseguida nos acréscimos, o Barça está nas quartas-de-final da Champions, e segue com o sonho de conquistar seu terceiro triplete.

A virada só foi possível por conta de o Barcelona ter acreditado nela. Jogadores e  comissão técnica compraram a idéia de que era possível, e conseguiram reverter uma situação impressionante. Desde o começo do jogo, o Barcelona começou marcando pressão, no campo de ataque, com linhas altas e todos os homens participando do jogo posicional. Sim, o ataque não saiu da melhor maneira possível, já que a equipe teve dificuldades para jogar entre as linhas de um PSG que "sentou" na vantagem ótima conquistada na ida, se acomoudou em  seu campo, e pouco atacou. Acabou empurrado pela vontade do Barça para dentro de suas próprias redes.

Precisando fazer gols, Luis Enrique escalou o Barcelona em 3-4-3, com um losango no meio, onde Messi atuava por trás de Suárez, com Rafinha e Neymar atuando abertos. Mascherano, e até mesmo Piqué e Umtiti apoiavam o ataque. O time circulava a bola, e tinha dificuldades para acionar Messi e Suárez pelo meio. Com isto, o jogo pelos lados foi a saída. Neymar foi muito chamado pela esquerda, e disse mais uma vez presente.

Sim, Neymar não estava tão inspirado, especialmente o primeiro tempo, mas não se ocultou. Viu Suárez abrir o placar logo no começo do jogo, e Kurzawa, com um gol contra, ampliar antes do intervalo. Logo no começo do segundo tempo, o brasileiro foi derrubado na área por Meunier, originando um Pênalti que Messi converteu.

O PSG se defendia, mas se defendia de maneira muito ruim. Os 4 homens de trás, Meunier, Marquinhos, Thiago Silva e Kurzawa, transitavam entre movimentos frouxos e estabanados. Aproveitando cansaço de Mascherano e Umtiti, e com a entrada de Dí Maria, o PSG conseguiu na metade do segundo tempo alguns contragolpes, e em um deles chegou ao seu gol, com Cavani.

Precisando de três gols em poucos minutos, o Barça foi todo ataque. Neymar passou a ser muito acionado pela esquerda. Messi, sem espaços no meio, passou a cair por ali, na tentativa de dividir a marcação, e abrir espaços. O PSG perdeu duas chances claras com Cavani e Dí Maria, dando chances para o Barcelona sonhar, e Neymar acreditar.

Sem se omitir do jogo, o brasileiro marcou um golaço de falta. Pouco depois, converteu uma cobrança de pênalti sofrido por Luis Suárez, em falta boba de Marquinhos. Já nos acréscimos, Sergi Roberto aproveitou o abafa para marcar o sexto gol blaugrana, e concretizar a classificação épica e histórica.

O Barcelona não chegou ao 6 a 1 por uma atuação fantástica, mas pela insistência. O time e Neymar nunca deixaram de acreditar, e sem se omitir nem jogar a toalha antes da hora, concretizaram uma das maiores façanhas da história do esporte.




Tecnologia do Blogger.