Lendas da Champions League: Eusébio, o Pantera

Lendas da Champions League: Eusébio, o Pantera


Lendas da Champions League: Eusébio



Nascido na cidade de Maputo, em Moçambique, no dia 25 de janeiro de 1942, Eusébio da Silva Ferreira cresceu em uma família humilde, mas nunca deixou de lado a paixão pelo futebol, que ele sempre acreditou ser a chave para a sua ascensão social.

Eusébio começou a carreira aos 15 anos, jogando no Brasileiros Futebol Clube, de Moçambique. Alguns anos depois, se transferiu  para o Sporting Lourenço Marques, filial moçambicana do Sporting Lisboa. Contudo, o técnico  Béla Guttmann, se encantou com o seu futebol, e decidiu levá-lo para o Benfica, de Portugal.

Eusébio estreou com a camisa encarnada no dia 23 de maio de 1961, marcando um hat-trick na vitória sobre o Atlético Clube de Portugal por 4 a 2. Era só o começo, de uma trajetória brilhante, Ao todo, Eusébio marcou 638 gols em 614 jogos pelo clube da Luz, do qual é o maior artilheiro da história.

Além de muitos gols marcados, Eusébio ainda conduziu as águias à muitas glórias. Conquistou com o clube onze Campeonatos Portugueses (1960-1961, 1962-1963, 1963-1964, 1964-1965, 1966-1967, 1967-1968, 1968-1969, 1970-1971, 1971-1972, 1972-1973 e 1974-1975), cinco Taças de Portugal (1961-1962, 1963-1964, 1968-1969, 1969-1970 e 1971-1972) e uma Liga dos Campeões da Europa (1961-1962). Ainda foi artilheiro do campeonato português sete vezes (1963-1964, 1964-1965, 1965-1966, 1966-1967, 1967-1968, 1969-1970 e 1972-1973).
Um dos grandes momentos da carreira de Eusébio, foi em junho de 1961, quando o Benfica entrou em campo contra o Santos de Pelé, pela final do Torneio de Paris. As águias meteram um sonoro 4 a 0 no peixe, com hat-trick de Eusébio, que ainda cavou uma penalidade, que José Augusto não conseguiu converter. Foi sua primeira projeção Internacional, e ele ganhou a capa do L'Equipe.
7602516N 1963 EUROPEAN CUP

Eusébio chegou perto de garantir a famosa Bola de Ouro em 1962 e em 1966. Ficou atrás do também fantástico Josef Masopust em 62, enquanto que quatro anos mais tarde terminou atrás apenas de Bobby Charlton, perdendo por um único voto (81-80 ). Em 1965, porém, a história foi diferente. A Bola de ouro acabou com o Pantera negra, que enfim recebia a glória que tanto merecia.
Com a seleção portuguesa, o maior momentos da carreira de Eusébio foi na Copa do Mundo de 1966. Ele levou o time da pátria mãe de Moçambique ao terceiro lugar, melhor campanha da história. Nas quartas de final, contra a surpreendente Coréia do Norte, ele virou um jogo quase sozinho. Os asiáticos,  abriram 3 a 0 em 25 minutos. Entretanto, o Pantera Negra marcaria quatro gols no restante do jogo, viraria o jogo para 4 a 3, e ainda veria Augusto marcar o quinto. Portugal chegava às semifinais, onde perdeu para a Inglaterra, futura campeã daquela Copa.

Contudo, de todos os prêmios que Eusébio já recebeu, certamente o mais valoroso é o carinho e o reconhecimento de todo o Mundo do futebol.
Tecnologia do Blogger.