Grandes Times: o Estrela Vermelha de 1990-1991



Depois de fundações e refundações, o Estrela Vermelha só se firmou mesmo após a 2° Guerra Mundial. Após algumas irregularidades, a equipe viveu o seu auge entre o final dos anos de 1980 e o começo dos anos de 1990, quando montou uma grande equipe, capaz de conquistar a Europa.

Durante muitos anos, os títulos da Copa Mitropa eram os únicos conquistados pelo Estrela Vermelha fora de seu país. Tudo mudou quando Vasovic assumiu o cargo de treinador do clube. Campeão Europeu com o Ajax, em 1971, ele levou a filosofia do "Futebol Total" ao clube iugoslavo nos anos 80. Após a sua saída, Ljupko Petrovic, ídolo do clube nos anos 60, deu sequência ao trabalho. Ao mesmo tempo, os dirigentes foram buscando cada ve mais reforços, formando uma base muito forte.

Capitão e uma das referências do time, o goleiro Stevan Stojanovic era um excepcional defensor de pênaltis. Na sua frente, a zaga tinha Miodrag Belodedici, Dusko Radinovic e Ilija Najdoski, três dos melhores zagueiros da Europa na época. O lateral Slobodan Marovic era outra peça importante do setor defensivo.

O responsável pela contenção no meio-campo era Sinisa Mihajlovic. Na sua frente, Robert Prosinecki era o responsável pelo início das jogadas. O grande armador do time era Dejan Savicevic. Com excelente capacidade de drible e visão de jogo, ainda desfilou o se talento com a camisa do Milan entre 1992 e 1998. Ao seu lado, brilhava Dragan Stojkovic, outro grande talento do futebol local.

O principal atacante era Darko Pancev. Artilheiro nato, ele conquistou a Chuteira de Ouro da Europa na temporada 1990-1991, e ainda levou a Bola de Prata, na eleição da France Football.
Na campanha vencedora da Liga dos Campeões 1990-1991, o Estrela Vermelha passou por Grasshopper, Rangers e Dynamo Dresden até derrotar o Bayern nas semifinais, e alcançar a decisão, onde enfrentaria o Olimpique de Marselha.


As equipes empatariam em 0 X 0 no tempo normal, e o jogo acabou indo para as grandes penalidades. O goleiro Stojanovic do Estrela Vermelha foi o grande Herói, após defender a primeira cobrança dos Franceses, efetuada por Amoros. As duas equipes não erraram nenhum outro chute, e coube a Pancev a última cobrança do Estrela Vermelha.
Ele não desperdiçou, e deu o título a equipe sérvia.


A equipe ainda bateria o Colo-Colo na final do Mundial de Clubes no final do ano. A partir de 1992, entretanto, começaria a se esfacelar, como toda a Iugoslávia.

Time-base: Stojanovic; Sabanadzovic, Belodedici, Radinovic (Najdoski), Marovic; Jugovic, Mihajlovic, Prosinecki, Savicevic; Pancev e Binic. Técnico: Ljupko Petrovic
Tecnologia do Blogger.