Grandes Times: o Porto de 1985-1987

Grandes Times: o Porto de 1985-1987


Até a Temporada 1986/87, apenas uma equipe portuguesa já havia vencido a Liga dos Campeões: O Benfica na década de 1960. Portugal amargava um jejum de mais de 20 anos sem levantar a taça mais importante de clubes do continente. Até o Porto mudar esta história.


Depois de perder a final da Recopa Européias da temporada 1983-1984 para a Juventus, o Porto concluiu que precisava de reforços para dar seguimento ao seu crescimento. Com isto, o clube buscou se fortalecer, trazendo o bom técnico Artur Jorge para o comando da equipe. Também vieram reforços qualificados, como o zagueiro Celso e os atacantes Paulo Futre e Rabah Madjer. Com a base vencedora, o dragão conquistou o Campeonato português da temporada 194-1985, mas acabou tropeçando no Ajax, ainda nas Oitavas de final da Copa dos Campeões da temporada seguinte. A eliminação precoce, contudo, serviu para o time focar e vencer a Liga nacional novamente na época 1985-1986, se garantindo na Champions 1986-1987.

O começo da caminhada portista na Liga dos Campeões 1986-1987 foi arrasador. O time começou aplicando uma goleada histórica de 9 x0 no Rabat Ajax de Malta logo na primeira fase, e com uma vitória simples de 1 x 0 no outro jogo, somou um 10 x 0 no agregado.

Logo na segunda etapa da competição, o atual Campeão Steua Bucarest acabou sendo eliminado pelo Anderlecht, em uma verdadeira vingança com relação á semi-final da edição anterior.

Os Dragões passaram pelo Vitkovice da República Tcheca nas oitavas-de-final (derrota por 1 x0 fora e 3 x0 vitória por 3 x0 fora), pelo Brøndby da Dinamarca nas quartas-de-final (vitória por 1 x0 em casa e empate em 1 x1 fora) e pelo Dínamo Kiev, com duas vitórias por 2x1 na Semifinal, chegando assim na Decisão, onde o adversário seria o Bayern de Munique.

O sempre forte time da Baviera havia eliminado anteriormente o Anderlecht, algoz da até então atual campeão europeu Steua Bucarest nas quartas de final e o não menos tradicional Real Madrid nas semifinais, contando com uma vitória por 4x1 na Alemanha.

O Bayern iria para a final sem o seu capitão Augenthaler (suspenso) e o atacante Roland Wohlfarth machucado. Mas mesmo assim foi o time bávaro quem abriu o placar, com Ludwig Kögl. Contudo, o Porto viraria com gols de um inspirado Madjer, que marcou de calcanhar, e de Juary, que entrou no segundo tempo, ficando assim com o caneco inédito.

Ainda em 1987, o Porto derrotaria o Ajax duas vezes por 1 a 0,  para conquistar a Supercopa da UEFA, e posteriormente, bateu o Peñarol por 2 a 1 no Japão para ficar com o Mundial de Clubes (Gomes e Madjer fizeram os gols dos Dragões contra os uruguaios).
Tecnologia do Blogger.