Com Messi decisivo, Barcelona derrotou o Atlético para seguir sonhando com o título de La Liga





O Barcelona de Luís Enrique nunca foi um time pronto para entrar na história pela maneira como atuava. Não revolucionou nada, e só marcou época por contar com individualidades como o trio MSN e o meia Andrés Iniesta. Pois com o mago espanhol em uma fase irreconhecível após a grave lesão que sofreu, e a saída de bola prejudicada pela ausência de Mascherano, o time de Lucho é ainda mais precário em argumentos quando tem a bola, e para piorar a situação, sofre toda vez em que vê a sua defesa pressionada.

Neste sentido, a presença do goleiro Marc André ter Stegen tem sido um esteio. Além da sua qualidade no jogo com os pés, ele também tem salvado a equipe com atuações mágicas debaixo das traves, e contra o Atlético de Madrid, não foi diferente.

Após um início de jogo estudado, o Atlético passou a pressionar a saída de bola do  Barcelona, e assim se tornou superior na partida. Sem Daniel Alves e Xavi, e com Messi mais centralizado, o lado direito do Barcelona é só um rascunho do que foi outrora, e o lado esquerdo já não tem mais um Iniesta tão fantástico, limitando demais as ações de Neymar. Tentando compensar isto, Luis Enrique mandou a campo um sistema de jogo que atacava com um 3-5-2, com Rafinha e Neymar como alas, Sergi Roberto como interior direito, Messi e Suárez como atacantes, e Piqué, Mathieu e Umtiti como zagueiros. Quando a equipe defendia, Sergi Roberto e Mathieu eram laterais, e a equipe passava para um 4-4-2 com duas linhas, como aliás já vem acontecendo faz algum tempo.

Mesmo assim, o Barcelona seguiu sem argumentos ofensivos coletivamente, e viu o Atlético jogar mais para sair de campo vencedor. Contudo, o atacante uruguaio Luis Suárez foi fundamental ao criar duas ocasiões para o brasileiro Rafinha e Messi marcarem, e darem a vitória de 2 a 1 para a equipe Culé, que mesmo em sua pior fase coletiva em anos, segue sonhando com o título espanhol.

O Atlético, por sua vez, ao perder aquele que provavelmente foi o seu último jogo contra o Barcelona no atual Calderón, ficou praticamente sem chances de alcançar a taça, e vê uma aproximação perigosa da Real Sociedad, na luta pela última vaga espanhola, na próxima edição da UEFA Champions League.



Tecnologia do Blogger.