Pressão do United foi premiada com o empate contra o Liverpool


Imagem: Jogadores.pt

Liverpool e Manchester United fizeram neste Domingo, mais uma edição do dérbi do norte da Inglaterra. As duas equipes viviam das melhores fases da temporada, o que naturalmente gerava expectativas para o duelo, que correspondeu em campo. O empate em 1 a 1 mostra o que foi o jogo, com as duas equipes atuando bem dentro de suas propostas, e deixando dois pontos pelo caminho.

O United começou no hoje habitual 4-1-4-1, com Mkhitaryan e Martial nas beiradas, Herrera e Pogba por dentro, e Ibrahimovic como centroavante. Jogando em Old Trafford, os Red Devils tiveram a iniciativa do jogo, mas viam as transições rápidas do Liverpool ameaçarem durante todo o tempo. Com uma transição absurda, o time de Klopp atacava e defendia sempre em conjunto, e com várias peças, caracterizando bem o trabalho coletivo fantástico.

MANCHESTER UNITED - LIVERPOOL WALLPAPER

Sem a bola, até Origi recuava bastante, tornando o sistema de jogo, praticamente um 4-6-0 na tábua tática. O trabalho do Firmino na fase defensiva era espetacular, e a partir da retomada de bola, os Reds encaixavam bem os seus ataques. Assim, aproveitando uma penalidade máxima cedida pelo Manchester United, o Liverpool abriu o placar aos 27 minutos de jogo, com Milner.

Na segunda etapa, Mourinho retirou o seu volante Carrick, e mandou ao campo Wayne  Rooney. A idéia era dar companhia à Pogba, que fazia uma partida terrível, somada ao erro no lance do pênalti que originou no gol. Assim, Pogba recuou com Herrera para a linha dos volantes, e Rooney se somou a Mkhitaryan e Martial na linha de três homens, que atuava por trás de Ibrahimovic, então o comandante do ataque.

Logicamente, o United foi  quem manteve a iniciativa no segundo tempo. Bem posicionada, a defesa do Liverpool, no que era possível incluir o goleiro Mignolet, espanava tudo bem, especialmente orquestrada por mais uma atuação muito segura de Lovren. Aos poucos, os Red Devils ficavam sem meio-campo, e só apostavam em jogadas pelas laterais, Rooney, naturalmente, colava em Ibrahimovic. O United pressionava intensamente, e aos poucos o Liverpool começou a não ter saídas para o contragolpe.

Pensando em ganhar posse com controle de bola, Klopp mandou Countinho ao campo, no lugar de Origi na altura da metade do segundo tempo. O belga parecia estabanado, e perdia muitas chances na frente, consequentemente dando muito campo ao time da casa. Ainda ssim, o Liverpool segurou a pressão até os 84 minutos de jogo, quando Ibrahimovic empatou o marcador. Nesta altura, o United já era todo ataque, com Mourinho terminando a partida com Fellaini enfiado no ataque, e Mkhitaryan  como lateral-esquerdo.

O resultado, não foi o melhor, nem para um time nem para o outro. Os dois marcam passo, em uma rodada onde o Chelsea, o Arsenal e o Tottenham venceram, e o Manchester City levou 4 a 0 do Everton. Uma parte emblemática do torneio, que vai vendo o seu segundo terço chegar ao final.
Tecnologia do Blogger.