Grandes Times: O Steua Bucarest de 1982-1987

Grandes Times: O Steua Bucarest de 1982-1987



Entre o Final dos anos 80 e o começo dos anos 90, o Futebol Romeno viveu aquele que foi provavelmente o seu maior momento da história. E o ápice, foi sem dúvidas, a conquista da Copa dos Campeões Europeus de 1985/86 por parte do Steua Bucareste.


Comandado por Emerich Jenei, o Steua Bucarest assustaria a Europa nesta temporada. Assustaria de uma forma positiva, após a tragédia de Heysel na época anterior, que resultou na suspensão das equipes inglesas por cinco anos da maior competição européia, a elegibilidade das cidades Belgas para sediar grandes eventos da UEFA, e obrigou a Juventus a atuar por dois jogos com portões fechados.

A primeira vítima foi o Vejle, da Suíça, onde já com 33 anos, atuava Allan 'Simonet' Simonsen. O Steua empatou fora de casa em 1 a 1, mas goleou por 4 a 1 em Bucareste, com gols de Piturca, Boloni, Balint e Stoica, e avançou para as oitavas de final, onde fez o clássico da cortina de ferro contra o Budapest Honvéd, da Hungria. No primeiro jogo, em Budapeste, os Húngaros venceram por 1 a 0, mas na volta, Piturca, Lacatus, Barbulescu e Majearu marcaram, e o Steua Bucarest goleou por 4 a 1 o rival.


A sorte sempre acompanha um time campeão. O Steua já estava nas quartas, mas mesmo assim viu no seu caminho um rival sem expressão no futebol Europeu: os finlandeses do Kuusysi. Foi só segurar o 0 a 0 em casa e vencer por 1 a 0 na Finlândia, com gol de Piturca, para agarrar a vaga nas semi-finais. Além de tudo, os favoritos acabaram se enfrentando logo nas quartas: o Anderlecht eliminou o Bayern de Munique, enquanto o Barcelona eliminou a então atual campeã Juventus. Uma curiosidade é que o outro semi-finalista foi o Gotenborg, que eliminou o Aberdeen nas quartas de final.



Na Semifinal, o Steua teve que mostrar força e bater um adversário poderoso: o Anderlecht de Scifo, Vandereycken e Vercauteren. Os belgas venceram por 1 a 0 em Vanden Stock, gol de Scifo. Mas na volta, foram surpreendidos em Bucarest, graças aos dois gols de Piturca e Balint logo no começo do jogo para o time Romeno. Piturca ainda fez o terceiro tento do Steua no segundo tempo, que garantiu o time na final da maior competição de clubes da Europa.


O rival seria nada mais, nada menos do que o todo poderoso Barcelona, que havia eliminado o Gotenborg nas semifinais, e a partida seria em Sevilla, justamente na Espanha, país do time Catalão.
O Estádio Ramón Sanchez Pijuan estava lotado com mais de 50 mil torcedores do Barça, naquele 07 de maio de 1986. O jogo foi nervoso, e o Steua Bucarest apostou naquilo que sabia que tinha de melhor: a sua defesa. O time conseguiu segurar os Culés e o 0 a 0, levando a partida para os pênaltis.

O goleiro do time Romeno, Duckadam foi sensacional. Ele defendeu as quatro cobranças catalãs, e como Lacatus e Balint converteram sua cobranças, o Steua se sagrou campeão Europeu pela primeira, e até agora única vez em sua história.

A equipe ainda seria campeã da supercopa européia neste mesmo ano, ao bater o Dínamo Kiev por 1 a 0, gol de Gheorghe Hagi, que estreava pela equipe naquela partida. Perdeu, no entanto, a final do Mundial Interclubes para o River Plate, no Japão.

Se as participações posteriores do Steua nos anos seguintes a esta grande conquista não seriam tão gloriosas como esta em termos de título, em termos de encantamento, foram ainda maiores, tudo graças a um nome: Gheorghe Hagi. O " Maradona dos Carpatos ", como era conhecido foi sem dúvida alguma um dos maiores futebolistas de todos os tempos, e encantou o mundo.

Na temporada seguinte, os romenos viram o Anderlecht fazer a revanche e os eliminar logo na segunda fase. Mas na temporada 1987/88, o Steua Bucarest novamente voltaria as semifinais da Copa dos Campeões Europeus, caindo apenas para o Benfica nesta fase. Na temporada 1988/89, o Steua foi vice-campeão Europeu, perdendo apenas para aquele supertime do Milan, de Rijkaard, Gulit e Van Basten na decisão.

Contudo, depois disto, a equipe nunca voltou a obter sucesso parecido. Uma grave crise política tomaria conta da Romênia, levando os craques do Steua a se transferirem para equipes de fora. Hagi foi para o Real Madrid, Lacatus para a Fiorentina e Rotariu para o Galatasaray. Se desintegrava assim um grande time, que deixou saudades.
Tecnologia do Blogger.