Grandes Times: o Porto de 2002-2004

Grandes Times: o Porto de 2002-2004


José Mourinho apareceu para o Mundo como treinador de ponta no Porto campeão da Champions League, em 2004. Numa Champions dominada por zebras, o "Special One ", que depois brilharia no Chelsea, na Inter e no Real Madrid, chamou a atenção do planeta bola pela primeira vez.

O Porto de Mourinho não encheu os olhos pela qualidade, ou por um estilo de jogo atraente, mas era muito eficiente. Com um elenco sem craques e estrelas,  mas cheio de bons jogadores, o Porto fez história, se tornando ao lado do Olimpique de Marselha de 1993, e do Ajax de 1995, um dos três times a quebrar a hegemonia dos clubes das quatro grandes ligas na era moderna da UEFA Champions League. 


A maioria dos jogadores deste elenco do Porto eram portugueses. Mourinho reuniu um timaço, que fez história. Com o espetacular Vítor Baia no gol e Ricardo Carvalho na zaga, a defesa era extremamente segura. No meio, Costinha, Maniche e Deco ditavam o ritmo da equipe, que tinha em Derlei e McCarthy, dois atacantes que eram garantia de gols.

Um ano antes, na temporada 2002-2003, o Porto havia ganho a Copa da UEFA, batendo a Lazio de Peruzzi, Stankovic, Mihajlovic, Favalli, Fernando Couto, Simeone, Chiesa e Claudio López na semi-final, e o Celtic na decisão. Depois,  já na temporada 2003-2004, o Porto ganhou a sua nova casa, o estádio do Dragão, que substituiu o antigo estádio das antas.

Na Champions League 2003-2004, o Porto caiu na chave F, enfrentando Real Madrid, Olympique de Marselha e Partizan. O time só perdeu um jogo para o Real, no que seria a única derrota na competição. Nas Oitavas de final, o Dragão surpreendeu e eliminou o poderoso Manchester United, mostrando que não estava para brincadeira.

Nas quartas de final, o Porto conseguiu uma vitória de 2 X  0 no Dragão e um empate em 2 X 2 na França contra o Lyon de Coupet, Edmílson, Essien, Diarra, Juninho Pernambucano, Malouda, Govou e Élber, alcançando as semi-finais, onde passou pelo La Coruña. 

A Final foi um Show do Porto. O time mostrou desde o começo que era superior ao Monaco, não deu chance para a zebra e venceu por 3 x 0, conquistando assim o seu segundo título Europeu. Carlos Alberto, Deco e Alenitchev fizeram os gols Portistas.

Na Liga Sagres, o Porto, em 34 rodadas, conquistou 25 vitórias, sete empates e apenas duas derrotas, somando 82 pontos, oito mais que o vice-campeão Benfica e nove a mais que o Sporting. Ainda foi vice-campeão da Taça de Portugal, perdendo apenas na final para o Benfica, por 2 x 1, chegando próximo de se tornar o primeiro clube português a alcançar a triplíce coroa.

Ainda naquele ano de 2004, o Porto buscou as contratações de Ricardo Quaresma, do grego Seitaridis, e dos brasileiros Diego e Luís Fabiano, então promessas. Com esta base, o clube conquistaria a Supercopa de Portugal e o Mundial de Clubes, onde bateu o Once Caldas da Colômbia, nos pênaltis, após empate em 0 a 0 nos 120 minutos.

Após a ida de Mourinho para o Chelsea, o Porto já ia se desmontando. A agremiação seguiu forte durante mais muitos anos, mas sem a mesma força internacional, que só o "Special One" era capaz de dar.
Tecnologia do Blogger.