Euro 1988: a grande conquista holandesa





A Euro chegava em sua Oitava edição no ano de 1988. Participaram dela Alemanha Ocidental (país-sede), União Soviética, Espanha, Itália, Inglaterra, Holanda, Dinamarca  e Irlanda. A Eurocopa de 1988 não contou com a atual campeã, a França, defendendo o seu título, o que não significou falta de craques ou qualidade.

A Alemanha vinha fortíssima com a geração de Matthäus, Klinsmann, Völler e Brehme, treinados por Franz Beckenbauer, a Itália já contava com Zenga, Baresi, Maldini  e Roberto Mancini e a Holanda retornava à Euro, com craques do nível de Rijkaard, Koeman, Gullit e Van Basten, comandados por Rinus Michels.


As oito seleções foram divididas em dois grupos de quatro: No Grupo 1, ficaram Alemanha Ocidental, Dinamarca, Espanha e Itália. No Grupo 2, Holanda, Inglaterra, Irlanda e União Soviética.

A abertura da competição aconteceu em Düsseldorf, um jogo complicado entre Alemanha Ocidental e Itália, que terminou empatado em 1x1. As duas seleções passaram de fase, deixando Espanha e Dinamarca pelo caminho.


No Grupo 2, Holanda  e União Soviética avançaram de fase, deixando para trás Inglaterra e Irlanda. Os ingleses também chegaram à Euro gerando muitas expectativas, mas mais uma vez decepcionaram.



A semifinal, colocou frente a frente Alemanha Ocidental e Holanda, no Volksparkstadion, em Hamburgo. Os holandeses saíram na frente, com um gol de Koeman cobrando pênalti. A Alemanha empatou com Matthaus, também cobrando pênalti, mostrando toda a sua tradição. Contudo, já no finalzinho, van Basten voltou a colocar a Holanda na frente.

O jogo terminou com vitória holandesa por 2x1, e classificação para a final. Na outra semi, a União Soviética venceu a Itália por 2x0, e também avançou.



A final da Euro 1988 aconteceu no Olympiastadion de Munique, com um público de mais de 70 mil pessoas. Gullit abriu o placar para a Holanda, e Van Basten, artilheiro daquela Euro com cinco gols, ampliou com um tento de voleio, sem ângulo, que encobriu o arqueiro soviético Dasaev. Até hoje este gol é considerado um dos mais bonitos da história do Futebol.


Os soviéticos chegaram a perder um pênalti com Belanov, defendido pelo goleirão holandês Van Breukelen,  o mesmo que havia defendido a cobrança decisiva que deu o título da Liga dos Campeões de 1988 ao PSV Eindhoven.


Não teve jeito. A vitória e o título foram para a Holanda, que conquistou aquele que é até hoje, o seu único grande troféu na história.


Euro 1988:


Campeã: Holanda

País-Sede: Alemanha

Final: Holanda 2 x 0 União Soviética
Tecnologia do Blogger.