Últimas notícias

Últimas notícias

Grandes Times

Rivalidades

História

Besiktas tropeçou, evitando o fracasso do Benfica


O Benfica está pelo segundo ano seguido nas Oitavas de final da UEFA Champions League. As águias passaram longe de ter um desempenho brilhante nesta fase de grupos, onde estavam na chave B, e inclusive, perderam os seus dois jogos para o Napoli, e só empataram suas duas partidas contra o Besiktas. Sim, mas mesmo sem vencer os times mais fortes do grupo, fizeram o básico, batendo o Dínamo de Kiev duas vezes, enquanto os turcos, protagonizaram um tombo enorme nesta Terça na Ucrânia.

O Besiktas precisava apenas vencer o Dínamo de Kiev, já eliminado, para se classificar para as oitavas de final. Contudo, o time turco tropeçou feio, e acabou sendo goleado por 6 a 0, em jogo onde acabou prejudicado pela arbitragem, e se desmanchou. No estádio da Luz, o Benfica jogava em casa, precisando só vencer o Napoli para terminar na liderança deste grupo B. Contudo, os comandados de Rui Vitória tiveram uma atuação fraca, acabaram dominados amplamente pelos italianos. Não fosse o tropeço do Besiktas na Ucrânia, teriam sido eliminados. 

Desde o começo do jogo, o Benfica procurou encurtar espaços, aproximando as suas linhas e dificultando a saída de de bola dos comandados de Maurizio Sarri. Se os primeiros 20 minutos de jogo foram de equilíbrio, com o Benfica tendo a posse, no restante da partida, especialmente no segundo tempo, o Napoli foi quem dominou as ações, e praticamente não deixou o time português sequer atacar. Sem profundidade no ataque, com dificuldades na armação e erros na defesa, o Benfica acabou se perdendo no jogo, e só conseguiu descontar no finalzinho da partida, com um gol de Raúl Jimenez, que contou com falha bizarra de Raúl Albiol.

Por outro lado, o Napoli, dentro da sua inconstância de um jogo para o outro, conseguiu atuar como em seus melhores momentos da temporada. O time Partenopei controlou o Benfica, mesmo sem a bola nos minutos inciais, e no decorrer do jogo passou a dominar com a posse. O lateral Faouzi Ghoulam controlou bem as ações de Salvio e ainda apareceu em alguns momentos no ataque, em uma grande atuação. Marek Hamsík soube encontrar espaços entre as linhas de marcação do Benfica, e conseguiu acionar muito os dois extremos, Lorenzo Insigne e José Callejón. O time melhorou ainda mais após a entrada de Dries Mertens na função de “falso 9”, ganhando muito em mobilidade.

O rápido jogador belga mudou completamente os rumos da partida após ingressar em campo, dando a assistência para Callejón abrir o placar, e marcando o segundo gol, em uma boa jogada individual na área. O 2 a 1 poderia até ter sido ampliado pelos italianos, que exigiram boas defesas do brasileiro Ederson, e viram Pep Reina quase não ser ameaçado.


«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Post a Comment


Top