Euro 2016: A consagração de Portugal

Euro 2016: A consagração de Portugal

A Euro 2016 foi a primeira edição da competição com 24 participantes. O inchaço, não resultou em um melhor nível técnico, mas certamente agregou em animação. A maioria das seleções estreantes trouxeram com elas os seus fanáticos torcedores, que deram um verdadeiro show nas arquibancadas. O torneio com um novo formato também contou com um campeão inédito, consagrando Portugal com a sua primeira grande taça na história.

A primeira fase da Euro 2016 acabou sm muitas surpresas. Afinal, 16 das 24 seleções participantes avançavam de fase, e era difícil um favorito pegar de fora. Depois de chegar sob desconfiança à França, a Itália de Conte soube usar esta etapa para crescer, e nas Oitavas de final, eliminou a então atual campeã Espanha, só caindo nas quartas de final, diante da Alemanha. Quem também fez bonito foi a Islândia, que empurrada pela sua fanática torcida, passou de seu grupo e eliminou a Inglaterra nas Oitavas de final, só caindo diante dos anfitriões franceses nas quartas. Outra estreante que fez bonito foi a Irlanda do Norte. Com sua torcida entoando o inesquecível canto "Will Grigg is On fire", o selecionado só caiu diante de outro selecionado britânico, o País de Gales, nas Oitavas de final.

As semifinais

O País de Gales de Gareth Bale, Ramsey, Williams e Allen, por sinal, foi um dos grandes destaques do torneio. Depois de eliminar a Bélgica nas quartas, os galeses só caíram diante de Portugal nas semis. Os tugas, depois de passarem sufoco na fase de grupos, nas Oitavas diante da Croácia, e nas quartas, quando precisaram dos pênaltis para eliminar a Polônia, acabaram deslanchando contra os galeses, muito por conta do bom futebol de Cristiano Ronaldo.

Na outra semifinal, a Alemanha acabou eliminada pela França. Os germânicos encurralaram os gauleses em seu campo na maior parte do jogo, mas acabaram não tendo um dia de sorte e viram a França marcar duas vezes com Griezmann, uma delas cobrando um pênalti.


A Grande final



Na decisão, Portugal venceu a França na prorrogação por 1×0, e conquistou o primeiro grande título de sua história no futebol. Algo justo, já que era a única potência futebolística sem troféus. A campanha portuguesa, nem de longe foi perfeita, e certamente os tugas não tinham a melhor seleção. Contudo, a pátria lusitana soube sofrer e crescer na certa, característica comum em torneios de tiro curto, e saiu assim premiada com a conquista da taça.


A França começou melhor a decisão. Portugal perdeu seu principal jogador, Cristiano Ronaldo, logo no comecinho da partida, após uma dividida com Payet. A perda de seu craque poderia ter sido fatal. Mas comandados por Rui Patricio, Pepe e Nani, os guerreiros portugueses levaram o jogo com bravura, e encararam o badalado time francês, na sua casa, de igual para igual.

Os franceses, mais pressionados, buscavam incessantemente o ataque, e foram transformando Rui Patrício no nome do jogo. O arqueiro travou um duelo particular com Sissoko, melhor homem em campo da França. O meia do Newcastle arrematou diversas vezes, mas sempre parava nos milagres de Rui.


No segundo tempo, Portugal se encontrou melhor, e conseguia exigir um pouco mais de Lloris, embora não tanto, como a França exigia de Rui Patrício, que mesmo assim seguiu pegando tudo. O goleiro lusitano foi intransponível. Mesmo quando ele não defendeu, já nos acréscimos da segunda etapa, a trave salvou os portugueses em arremate de Gignac.

A primeira final de Eurocopa a terminar sem gols no tempo normal foi para a prorrogação. Com os dois times cansados, os pênaltis pareciam o caminho certo. Até que, brilhou a estrela de Éder, o herói improvável. Após entrar no jogo no segundo tempo, o camisa 9 acertou um chute preciso, de fora da área, sem chances para Lloris.

Era o gol da primeira conquista portuguesa. Na beira do campo, Cristiano Ronaldo chorava. Ele apenas refletia o sentimento de todo um povo até então sem títulos, que após 12 anos de perder a final em casa para a Grécia, tinha o grito de campeão libertado da garganta.


Ficha Técnica

Portugal 1×0 França

Escalações:


França: Lloris; Sagna, Koscielny, Umtiti, Evra; Matuidi, Pogba; Sissoko, Griezmann, Payet; Giroud

Portugal:
Rui Patricio; Cedric, Fonte, Pepe, Guerreiro; W.Carvalho, Sanches, João Mário, Adrienl Nani, Cristiano Ronaldo.

Data: 10 de julho de 2016

Local: Stade de France, Saint-Denis, França

Árbitro: Mark Clattenburg

Gol: Éder aos 3′ do segundo tempo da prorrogação (Portugal)


Tecnologia do Blogger.