Guia da Premier League 2016/17

Guia da Premier League 2016/17

Guia da Premier League 2016/17



E está começando a temporada 2016/17 da Premier League, a mais aguardada de todos os tempos. As chegadas de José Mourinho, Pep Guardiola e Antonio Conte trazem enormes expectativas, assim como outras histórias que cercam o campeonato. Como se sairá o Leicester na temporada em que defende o título? O Tottenham e o Arsenal irão conseguir sair do quase? Esta temporada será a da retomada de Liverpool e Everton? Como irá se sair o West Ham no Estádio olímpico? Questões que começarão a ser respondidas com o decorrer da temporada.



Esta é a primeira temporada da Premier League com o novo contrato de TV em validade. Com ele, o mercado ficou completamente inflacionado. As equipes se reforçaram, e diversos jogadores, como Pogba, Ibrahimovic e Gündogan chegaram à Liga, e outros como Kanté e Mané trocaram de clubes.

Vamos conferir agora o perfil das 20 equipes, que nós dividimos em três blocos. No primeiro, os clubes que brigam pelo título e as vagas na Champions League; no segundo, os clubes que não deverão correr risco de cair, mas que precisarão de sorte para beliscar uma vaga na Liga Europa; e por último, as equipes que tentarão não voltar para a Championship.


Para quem tem conhecimento do idioma inglês, eu também recomendo esta leitura aqui do site whoscored.com, que complemente bem o material que produzimos.


Brigão pela Taça e as vagas na Champions 


Arsenal


Imagem: Sky Sports


O Arsenal não é campeão da Premier League desde 2003/04, quando conquistou a competição de maneira invicta. Desde então, o clube sempre conseguiu terminar no Top-4 do torneio, mas de certa forma, não tem conseguido brigar diretamente pelo título.

Leicester

Imagem: Sky Sports


Muito se espera do Leicester de Claudio Ranieri nesta temporada. Os foxes defendem o título de campeão da Premier League, após terem espantado o mundo na última temporada, e agora a missão é se manter no topo. Na prática, o elenco perdeu apenas Kanté para o Chelsea, mas manteve Vardy e Mahrez, além de ter se reforçado muito bem.
O Leicester hoje conta com um elenco melhor do que o da temporada passada. Contratou o bom atacante Ahmed Musa, o volante Nampalys Mendy, de ótimo desempenho no Nice na temporada passada, a grande promessa Bartosz Kaputska, o bom goleiro Ron-Robert Zieler, e o zagueiro  Luis Hernández.
Exigir mais um título do Leicester seria crueldade, mas a equipe pode sim lutar pelo topo, e quem sabe até ficar com a taça. Não apontar o clube na briga pelo título, uma temporada depois de ser campeão e com um elenco reforçado, não teria lógica.

Manchester City


Imagem: Sky Sports
Nada gera mais expectativa nesta Premier League, do que o trabalho de Pep Guardiola no Manchester City. O treinador que revolucionou o futebol moderno chega à Premier League tentando adaptar o seu estilo ao da melhor Liga do mundo. Ainda não dá para saber exatamente qual será o resultado desta mistura, mas ela deverá ser espetacular.
Nesta janela, o Manchester já contratou o volante Gündogan, o zagueiro Stones, e os meia-atacantes Sané, Nolito, Zinchenko, Gabriel Jesus e Marlos Moreno (os últimos dois não se juntam ainda nesta janela de verão ao elenco). As jovens contratações se juntam a uma boa base, que conta com nomes como Zabaleta, Otamendi, Kompany, Fernandinho, De Bruyne, Silva e Aguero. 
Imagem: Sky Sports

Um grande elenco, que se não for afetado por lesões (algo que tem perseguido tanto o City, quanto Guardiola nas últimas temporadas), irá brigar pelos quatro títulos que disputa na temporada.

Manchester United


Imagem: Sky Sports

Depois de uma temporada 2015/16 decepcionante, o Manchester United foi ao mercado, e agora comandado por José Mourinho, se destacou na janela. Por conta da presença do Special One, o peso da camisa, e especialmente, o poderio financeiro, os Red Devils, mesmo sem disputar a Champions League e a Europa League,  conseguiram contratar vários reforços de ponta. A qualidade que Mourinho terá em mãos após as chegadas de Baily, Mikhitaryan, Ibrahimovic e Pogba é enorme. Grande também, será a expectativa em Carrington.

José Mourinho conhece a Premier League como pouco. Prova disto, é que foi preciso nas contratações, apesar de ter gasto muito. A chegada de Baily preenche uma lacuna importante, já que enfim Smalling terá um bom parceiro de zaga. Mkhitaryan dará a Rooney a condição de poder voltar a jogar mais pero do gol, e os dois, ao lado do cracaço Ibrahimovic e do jovem Martial, devem formar um quarteto de ataque fantástico. 


Mas atrás, Pogba terá a missão de ser o centro do time. Mourinho transformou o francês no jogador mais caro da história, porque sabia que precisava de alguém com as suas características no time. Lampard foi o grande destaque do primeiro Chelsea de Mourinho, e Fábregas do segundo. Ozil foi peça-chave no Real Madrid, e Sneijer na Internazionale. O armador central acaba sendo o coração de qualquer equipe, e nos times de Mourinho, ele ganha mais importância ainda. A pressão sobre Pogba, será tão grande quanto o dinheiro pago por ele, mas também é verdade, que o seu talento, e a capacidade de dominar o meio-campo, tem uma dimensão enorme.

O United não tem competições européias para disputar, e irá se dedicar quase que exclusivamente à Premier League. Terá a obrigação de fazer uma boa campanha, e não pode deixar de ser apontado como um grande candidato á taça.

Tottenham

Imagem: Sky Sports

Mauricio Pochettino terá a missão de manter os Spurs entre as potências do futebol inglês. A manutenção das peças-chave, como Erik Lamela, Harry Kane e Eriksen foi fundamental, já que a temporada será longa, agora com a disputa acumulada da Champions League. Pensando nisto, o clube trouxe o atacante Vincent Janssen, artilheiro da última Eredivisie com a camisa do AZ Alkmaar, e o volante Victor Wanyama, ex-Southampton.

Será difícil lutar pelo título, mas ver os Spurs sem lutar ao menos por uma vaga na Champions, será uma surpresa enorme. A curiosidade é saber como Pochettino irá lidar com o acúmulo de competições, mesmo contando com um elenco relativamente raso.

Chelsea

Imagem: Sky Sports
Depois do fracasso na temporada 2015/16, o Chelsea vem com mudanças, na tentativa de voltar ao topo da Premier League. A principal delas, está no banco de reservas, já que Antonio Conte é o novo comandante da equipe.
O Chelsea escolheu por onde começar o seu time para a próxima temporada com a contratação do volante N'golo Kanté, de 25 anos, que pertencia ao Leicester. O clube londrino pagou a multa do atleta, que foi um pedido do técnico Antonio Conte, e ele tem tudo para se tornar uma peça chave para o meio-campo dos Blues. Além dele, o centroavante Batshuayi, ex-Marseille, foi a outra grande contratação feita até aqui. Entretanto, o grande reforço deverá mesmo ser a retomada do futebol de Eden Hazard, potencialmente um dos melhores jogadores do mundo, mas que ficou com um rendimento muito abaixo do esperado na temporada passada.

O Chelsea tem tudo para fazer uma temporada melhor. Hazard deve voltar ao seu melhor, reforços de qualidade chegaram, e Conte é um treinador de qualidade inquestionável. A grande questão é saber se já será possível lutar pelo título nesta temporada, ou o retorno à Champions League pode ser o objetivo máximo alcançável. 


Liverpool

Imagem: Sky Sports


Depois de chegar no meio da temporada passada, Jurgen Klopp desta vez terá o tempo necessário para trabalhar um elenco, que também foi reforçado. Os veteranos zagueiros Skrtel e Kolo Touré deixaram o Anfield, enquanto as principais chegadas, foram as do defensor Matip, ex-Schalke 04, do atacante Mané, ex-Southampton, e do meia Wijnaldum, ex-Newcastle.

Os Reds não conquistam a Premier League desde 1990. Na temporada 2013/14, quando não tinham competições européias para disputar, brigaram pela taça. Nesta temporada, novamente não terão torneios da UEFA em disputa, o que pode ser um bom sinal. Não há um craque como Suárez, mas há um treinador melhor e mais vibrante no banco, o que pode ser um bom sinal.

Entretanto, para que os resultados, e especialmente o futebol da temporada 2013/14 sejam similares aos desta, o desempenho de Philippe Coutinho, um dos destaques naquela época será fundamental. O brasileiro pode ser a chave e o diferencial, para acabar com a seca do gigante da terra dos Beatles.

Brigam por vaga nas competições européias


West Ham


Imagem: Sky Sports

O West Ham conseguiu manter o meia Francês Dimitri Payet e o técnico Slaven Bilic, reforçou um elenco que já era bom com peças de apoio como André Ayew , Feghouli e Calleri, e agora ainda terá o Estádio Olímpico de Londres, para mandar os seus jogos. Ingredientes que colocam o time como maior desafiante aos favoritos, e fazem o torcedor dos Hammers sonhar, que ao menos uma vaga na próxima Champions League possa ser alcançada.

A questão é justamente saber se o time vai manter o desempenho que teve em casa na temporada passada, jogando agora no olímpico já que a mística, sempre é um ingrediente fundamental no ambiente de um estádio. Além disto, o time e o seu estilo já não são mais surpresa, e ainda haverá a Liga Europa em disputa.

Everton

Imagem: Sky Sports

Muito se esperava do Everton na janela. Com o novo investidor, o clube chegou a especular reforços como Graay, Witsel e Juan Mata, mas praticamente só repôs as perdas de Howard e Stones com Sketelenburg e Williams, além de ter trago o competente Gueye. No banco, o holandês Ronald Koeman substitui o demitido espanhol Roberto Martínez, no que deve representar uma pequena mudança na maneira de atuar da equipe.

Muito cobiçado, o centroavante belga Romelu Lukaku permaneceu no Godinson Park, assim como o zagueiro argentino Ramiro Funes Mori, que deve formar uma zaga cascuda com Williams.


Stoke

Imagem: Sky Sports

Sensação da temporada passada, o Stoke de Mark Hughes sonha com uma temporada ainda melhor. Recém-chegado, o meia de Gales Joe Allen terá a missão de comandar o meio-campo. A aposta é nele, na força do Britannia Stadium, e na manutenção da base, liderada por Imbula, Shaqiri, Arnautovic e Bojan.


Southampton

O Southampton vem de excelentes temporadas sob o comando de Pochettino e Koeman, e agora tenta se manter na primeira metade da tabela com o francês Claude Puel, que fez um grande trabalho no comando do Nice na Ligue 1 2015/16. Novamente o time perdeu destaques, como os atacantes Mané e Pellé e o volante Wanyama, mas se reforçou com o meia Höjberg, o atacante Redmond e o lateral-direito Pied, tudo sem muitos custos.

Os Saints tem tudo para novamente se manter na elite com tranquilidade, e quem sabe sonhar com uma vaga na Liga Europa.

West Bromwich


O West Bromwich trouxe apenas o atacante Matt Phillips, ex-QPR, nesta janela, e deve postar na manutenção da base e no trabalho do técnico Tony Pulis para se manter na elite. Os destaques da equipe são Fletcher, Lambert e Berahino e o goleiro Forster.

Watford


O Watford se movimentou bem na janela. O time do técnico italiano Walter Mazzarri contratou o atacante Success, ex-Granada, o lateral colombiano Zuniga e o atacante Sinclair. O destaque da equipe segue sendo o meia suíço Behrami. O grande objetivo é a manutenção na Premier League, algo que deve ser alcançado.

Swansea

Imagem: Sky Sports

O time de Gales foi bastante irregular na última temporada, e isto acabou gerando a demissão do técnico Gary Monk. Se substituto, Francesco Guidolin, conseguiu manter o time na elite, e desta vez, o objetivo é o mesmo. Até aqui, as únicas contratações que realmente agregaram qualidade foram as de Leroy Fer, ex-Queens Park Rangers, e Fernando Llorente, ex-Sevilla.

Lutam contra a queda



Burnley


Depois de investir muito e ser campeão da Championship 2015/16, o Burnley volta à Premier League, pensando em se manter. Para isto, apostou na permanência do atacante galês Vokes, e nas chegada do islandês Johann Berg Gudmundsson, ambos destaques da última Eurocopa.

Middlesbrough


Imagem: Sky Sports

Retornando à Premier League depois de cinco temporadas, o Middlesbrough tem tudo para se manter. O bom trabalho do técnico Karanka, aliado a manutenção da base a e achegada de excelentes reforços deve impedir a equipe de sofrer um novo descenso. Só nesta janela, o clube contratou Marten de Roon, ex-Atalanta, Viktor Fischer, ex-Ajax, Antonio Barragán, ex-Valencia, Victor Valdés, ex-Manchester United, Gastón Ramirez, ex-Southampton, Brad Guzan, ex-Aston Villa, e Álvaro Negredo, emprestado pelo Valencia.


Crystal Palace

Vice-campeão da última FA Cup, o Crystal Palace de Alan Pardew sofreu na luta contra o rebaixamento na temporada passada. Desta vez, a idéia é não correr tantos riscos. Para isto, o clube buscou o goleiro Steve Mandanda, o zagueiro James Tonkins e o meia-atacante Andros Townsend. Jogadores que acrescentam na equipe, mas que ainda deve se preocupar mais com a permanência do que com a primeira metade da tabela, mesmo que deva permanecer na elite.

Sunderland


Imagem: Sky Sports

O Sunderland conseguiu escapar novamente da Championship nas ultimas rodadas da última temporada, um filme que tem se repetido com frequência. O técnico Sam Allardyce deixou o clube para assumir a seleção inglesa, e em seu lugar assumiu o escocês David Moyes.

Bournemouth


Imagem: Sky Sports

O Bournemouth conseguiu se manter na elite na primeira temporada após o acesso com relativa tranquilidade, o que foi muito importante para a sua consolidação. O jovem treinador Eddie Howe deve manter o estilo da equipe, que tem no jovem Jordan Ibe a sua principal referência.

Hull City

O Hull é outro time que voltou a Premier League, e busca não cair logo de cara. A perda do técnico Steve Bruce é preocupante, já que o time começa a temporada com Mike Phelan como interino, e um elenco fraco. Ou se movimenta rápido, ou deve cair.

O atacante uruguaio Hernández foi o grande destaque da equipe na campanha do acesso na Championship, e qualquer chance de permanência deve passar por ele.
Tecnologia do Blogger.