Últimas notícias

Últimas notícias

Champions League

Liga Europa

História




Está começando nesta quinta-feira, dia 04 de Agosto, o torneio olímpico masculino de futebol. A competição, que já foi o grande palco do esporte rei, em 2016 se apresenta em uma das suas piores versões, com praticamente todas as seleções desfalcadas por conta da não liberação de jogadores. Entranhada entre a Euro e a temporada européia, a competição agoniza, e pede mudanças urgentes.

Quem acaba perdendo com a briga COI e FIFA é o torcedor. Ao lado do golfe, o futebol é o único esporte que não estará com a sua força máxima no Rio, embora ambos, nos seus torneios femininos, terão as melhores desportistas. Se a saída do Golfe para Tóquio-2020 já é provável, a do Futebol também era de ser pensada. O esporte e os jogos olímpicos tem tomado rumos tão opostos que talvez já não consigam mais andar juntos. Separar o torneio olímpico dos Jogos, ou até mesmo excluir el é uma hipótese a ser analisada.

Em meio a isto, 16 seleções iniciam a luta pelas medalhadas, e você confere abaixo, o perfil de cada uma delas.


Grupo A: Brasil, Dinamarca, Iraque e África do Sul



Brasil





Rogério Micale terá mais uma vez uma tarefa difícil em suas mãos. Depois de assumir a seleção brasileira Sub-20 pouco antes do começo do Mundial da categoria na Nova Zelândia, agora ele assumiu o cargo de treinador da Seleção Olímpica, faltando dois meses para as Olimpíadas do Rio 2016. Desta vez, a tarefa veio após a demissão de Dunga, que acumulou fracassos com a Seleção Principal. O novo comandante do escrete canarinho, Tite, decidiu deixar a equipe olímpica com Micale, que terá uma oportunidade tão grandiosa quanto os seus desafios. 




Jogando em casa, o Brasil terá a disposição o seu melhor jogador, Neymar, e praticamente a força máxima Sub-23, no que se incluiu a excelente safra de meias e atacantes, que inclui nomes como Rafinha, Felipe Anderson, Gabriel, Gabriel Jesus e Luan. A medalha de ouro inédita é quase uma obrigação, mas resta saber como estes garotos, muitos sem bagagem, irão lidar com a pressão. Além de Neymar, o meia-atacante Renato Augusto é o único jogador brasileiro com mais de 23 anos convocado, que estará presente no Rio. 




O experiente goleiro Fernando Prass também havia sido convocado, mas uma lesão no cotovelo gerou o seu corte. Com isto, o Brasil terá apenas os jovens Uilson e Jean para a posição. Exceção feita aos zagueiros Luan e Marquinhos, o restante do sistema defensivo também não é muito rodado, gerando uma certa preocupação nos torcedores. 


Lista de convocados:


Goleiros: Weverton (Atlético-PR) e Uilson (Atlético-MG)

Defensores: Zeca (Santos), Marquinhos (Paris Saint-Germain-FRA), Rodrigo Caio (São Paulo), Douglas Santos (Atlético-MG), Luan Garcia (Vasco) e William (Internacional)
Meio-campistas: Thiago Maia (Santos), Rafinha Alcântara (Barcelona-ESP), Rodrigo Dourado (Internacional), Walace (Grêmio), Renato Augusto (Beijing Guoan-CHN) e Felipe Anderson (Lazio-ITA)
Atacantes: Neymar (Barcelona-ESP), Gabriel Jesus (Palmeiras), Gabriel (Santos) e Luan (Grêmio)


Dinamarca



A Dinamarca tem revelado bons valores nos últimos anos, mas não poderá contar com seus principais atletas da categoria no Rio-2016, como o atacante Viktor Fischer, os defensores Andreas Christensen, Vestergaard e Sorensen, e o meia Pierre Hojbjerg. Com isto, o técnico Niels Frederiksen decidiu convocar três atletas acima dos 23 anos, na esperança de fazer uma boa campanha. Destes, os nomes mais conhecidos são os do meia Lasse Vibe, do Brentford-ING, e o do atacante Emil Larsen, jogador do Lyngbyrr que já marcou 11 gols com a camisa da seleção principal. 




Dos jogadores Sub-23, a principal figura é a de Yussuf Poulsen, centroavante de 22 anos do Leipzig-ALE. Muito forte no jogo aéreo, ele foi um dos grandes destaques da equipe nas eliminatórias da Euro Sub-21, com 38 gols marcados em 12 jogos.



Lista de convocados:


Goleiros: Jeppe Hojbjerg e Lukas Fernandes

Defensores: Mikkel Desler, Kasper Larsen, Ediegerson Gomes, Jakob Blabjerg e Pascal Gregor 
Meio-campistas: Andreas Maxso, Vigen Christensen, Casper Nielsen e Jens Jonsson
Atacantes: Lasse Vibe, Nicolai Brock-Madsen, Yurary Poulsen, Manich Bech, Frederik Borsting, Emil Larsen e Robert Skov


Iraque 




Depois de 12 anos, o Iraque volta ao torneio olímpico de futebol masculino. Em Atenas-2004, a seleção do Oriente Médio passou da fase de grupos, com campanha que incluiu um 4 x 2 sobre o forte time de Portugal, de Cristiano Ronaldo. O país ainda passou pelas quartas, e só caiu nas semifinais, diante do Paraguai, perdendo também a disputa do terceiro lugar para Itália. 


Depois da campanha excelente no asiático Sub-23 no começo do ano, a se lamentar apenas os desfalques, que acometeram quase todas as seleções do torneio olímpico masculino este ano. 


Lista de convocados:


Goleiros: Fahad Talib e Mohammed Hameed

Defensores: Ahmed Ibrahim, Hawbir Khasro, Mustafa Nadhim, Ali Faez, Ali Adnan, Suad Natiq, Dhurgham Ismael e Alaa Ali
Meio-campistas: Mahdi Kamil, Ali Hisny, Humam Tareq, Saad Luaibi e Amjed Attwan
Atacantes: Hammadi Ahmed, Mohanad Abdulraheem e Sherko Kareem 


África do Sul 



A África do Sul foi terceira colocada na última Copa Africana de Nações sub-23. O goleiro February foi o grande herói da classificação, defendendo três cobranças na disputa de pênaltis contra Senegal, e colocando o seu time nas Olimpíadas. 


Para o Rio 2016, os "Bafana-Bafana" convocaram dois jogadores acima de 23 anos: o goleiro Itumeleng Khune e o zagueiro Erick Mathoho, ambos jogadores experientes do Kaizer Chiefs. O atacante Ty, do Grêmio, também estará presente na capital carioca. 



Lista de convocados:


Goleiros: Judy February e Itumeleng Khune

Defensores: Mulomowandau Mathoho, Repo Malepe, Rivaldo Coetzee, Kwandakwensizwa Mngonyama, Audrey Modiba, Abbubaker Mobara e Tebogo Moerane
Meio-campistas: Menzi Masuku, Tyroane Sandows, Gift Motupa, Phumlani Ntshangase e Deolin Mekoa

Atacantes: Mothobi Mwala, Tashreeq Morris, Keagan Dolly e Lebo Mothiba 



Grupo B: Colômbia, Suécia, Japão e Nigéria





Colômbia 


A Colômbia conta com uma geração muito boa para sua quinta participação nos Jogos Olímpicos. Mesmo sem ter o seu principal jogador da categoria Sub-23, o atacante Marlos Moreno, campeão da Libertadores com o Atlético Nacional, e já contratado pelo Manchester City, ainda sobram algumas peças de qualidade, como os atacantes Téo Gutiérrez e Borja, o meia Sebastián Perez e o zagueiro Kevin Balanta.

Para chegar aos Jogos Rio 2016, a Colômbia, após o vice-campeonato do Sul-americano Sub-20 em 2015, teve de passar pela repescagem intercontinental, contra os Estados Unidos.


Lista de convocados:


Goleiros: Cristian Bonilla e Luis Hurtado

Defensores: William Tesillo, Deivy Balanta, Deiver Machado, Felipe Aguilar, Helibelton Palacios e Cristian Borja
Meio-campistas: Jefferson Lerma, Sebastián Perez, Wilmar Barrios e Kevin Balanta

Atacantes: Miguel Borja, Dorlan Pabón, Harold Preciado, Andrés Roa, Andrés Rentería, e Teófilo Gutiérrez


Japão


O Japão garantiu a sua vaga no torneio olímpico do Rio 2016 após conquistar o pré-olímpico asiático, batendo na grande final a Coréia do Sul por 3 a 2. O jogo acabou sendo a revanche da decisão do bronze de Londres-2012, quando os coreanos acabaram levando a melhor.

No Rio, a idéia é repetir a campanha de quatro anos atrás, ou quem sabe melhorar o desempenhou, algo que será complicado. 
Os destaques deste Japão olímpico, são osatacantes Takuma Asano, do Arsenal, e Takumi Minamino, do Red Bull Salzburg.



Lista de convocados:


Goleiros: Masatoshi Kushibiki e Kosuke Nakamura

Defensores: Sei Muroya, Hiroki Fujiharu, Naomichi Ueda, Tsukasa Shiotani, Masashi Kamekawa e Takuya Iwanami
Meio-campistas: Wataru Endo, Riki Harakawa, Ryota Oshima, Shinya Yajima, Shoya Nakajima, Yosuke Ideguchi e Takumi Minamino
Atacantes: Yuya Kubo, Shinso Koroki e Takuma Asano


Nigéria

Campeã do africano Sub-23, após derrotar a Argélia por 2 a 1 na final, a Nigéria tenta dar sequência ao seu bom desempenho neste formato em Jogos Olímpicos, já que conquistou a medalha de ouro em Atlanta-1996, e a prata em Pequim-2008.



Convocado como um dos jogadores com maias de 23 anos Obi Mikel,  do Chelsea, é o principal destaque da equipe.



Lista de convocados:


Goleiros: Daniel Akpeyi e Emmanuel Daniel

Defensores: Muenfiuh Sincere, Kingsley Madu, Abdullahi Shehu, Saturday Erimuya, William Ekong, Nfifreke Udo e Stanley Amuzie
Meio-campistas: Oghenekaro Etebo, John Obi Mikel, Popoola Saliu, Okechukwu Azubuike e Usman Muhammed

Atacantes: Umar Aminu, Imoh Ezekiel, Oluwafemi Ajayi e Sadiq Umar


Suécia


A Suécia chega ao Rio 2016 após o título do Europeu sub-21 conquistado na República Tcheca, em 2015. A taça veio após a vitória sobre Portugal na decisão por pênaltis da final, deu o direito aos suecos de voltar a disputar os Jogos Olímpicos no Futebol Olímpico Masculino.

Ao todo, o país já conquistou três medalhas na competição, sendo uma de ouro, em 1948, e outra duas de bronze, em 1924 e 1952. 
Os principais destaques deste time sueco, são o meia Robin Quaison e o atacante Muamer Tankovic.


Lista de convocados:


Goleiros: Andreas Linde e Tim Erlandsson

Defensores: Adam Lundqvist, Alexander Milosevic, Joakim Nilsson, Pa Konate, Jacob Une Larsson, Sebastian Hedlund, Noah Sonko Sundberg
Meio-campistas: Simon Tibbling, Alexander Fransson, Robin Quaison, Astrit Ajdarevic, Ken Sema
Atacantes: Muamer Tankovic, Mikael Ishak e Jordan Larsson





Grupo C: México, Alemanha, Coreia do Sul e Fiji



México


Aual campeão olímpico, depois de derrotar o Brasil na final de Londres-2012 por 2 a 1, o México merece muito respeito no Rio. A vaga olímpica veio após a conquista do Pré-Olímpico Masculino da CONCACAF, em uma campanha quase perfeita. A equipe vence os seus três jogos da fase de grupos,  contra a Costa Rica (por 4 a 0), o Haiti (por 1 a 0) e Honduras (por 2 a 1), antes de derrotar o Canadá por 2 a 0 na semifinal e Honduras por 2 a 0 na decisão.


O principal destaque da equipe é o meia-atacante Hirvin Lozano. Dos jogadores com mais de 23 anos, Oribe Peralta, carrasco do Brasil em Londres, é quem chama a atenção.



Lista de convocados:


Goleiros: Alfredo Talavera e Manuel Lajud

Defensores: José Javier Abella, Erick Aguirre, César Montes, Carlos Salcedo, Jordan Silva e Jorge Torres Nilo
Meio-campistas: Carlos Cisneros, Rodolfo Pizarro, Victor Guzmán, Erick Gutiérrez, Michael Pérez, Hirving Lozano e Alfonso González

Atacantes: Oribe Peralta, Erick Torres e Marco Bueno.


Alemanha 



A Alemanha reunificada fará a sua estréia no torneio olímpico de futebol. Parece estranho que o país com mais títulos de grandes torneios (Copa do Mundo e Eurocopa), tenham tão pouca tradição olímpica. A extinta Alemanha Ocidental, e especialmente a Alemanha Oriental, até tiveram algum sucesso no antigo formato, mas estas medalhas, por conta dos critérios do COI, não foram herdadas.

Além disto, a mudança do formato do torneio para a categoria Sub-23, também explica a ausência de histórica olímpica no futebol alemão. Conquistar títulos não é a prioridade, mas sim a formação de novos valores. A campanha da Alemanha no Europeu Sub-21 de 2015, não foi nada fantástica. A equipe fez uma primeira fase modesta, e acabou levando 5 a 0 de Portugal na semifinal. Encerrou a sua campanha na quarta colocação, o suficiente para se garantir no Rio.


Prova dá pouca importância que a Alemanha dá ao torneio olímpico, é que não hesitou de levar nem mesmo os seus destaques Sub-23 para Eurocopa, praticamente inviabilizando a sua ida para a Olimpíada. Nomes como Draxler, Krimmich e Sané, todos com menos de 23 anos, já fazem parte da equipe principal de Joachim Low. Os principais nomes do elenco tetracampeão do mundo, como Neuer, Muller e Ozil nem foram cogitados para vir ao Rio.


Com isto, poucos destaques alemães acabaram convocados. Único jogador presente na Copa do Mundo de 2014 a também vir ao Rio, Gunter espera ter a mesma sorte que teve em 2014, pouco mais de dois anos depois. Os irmãos Lars e Sven Bender são os grandes destaques dentre os jogadores com mais de 23 anos. Dos atletas Sub-23, o promissor Brandt, do Bayer Leverkuen, e a dupla Max Meyer e Leon Goretzka, do Schalke 04, são destaques.



Lista de convocados:


Goleiros: Timo Horn e Jannik Huth

Defensores: Robert Bauer, Matthias Ginter, Lukas Klostermann, Philipp Max, Niklas Sule, Jeremy Toljan
Meio-campistas: Lars Bender, Sven Bender, Julian Brandt, Max Christiansen, Serge Gnabry e Leon Goretzka

Atacantes: Max Meyer, Nils Petersen, Grischa Promel, Davie Selke




Coréia do Sul



A Coreia do Sul se garantiu nos Jogos Olímpicos do Rio 2016 após ser vice-campeã pré-olímpico asiático, quando acabou derrotada na grande final pelo Japão, por 3 a 2. Os coreanos somam impressionantes oito participações consecutivas no torneio de futebol, que demonstram o domínio do país no futebol asiático.

Os destaques desta seleção olímpica coreana, são os dois atacantes com mais de 23 anos convocados. Suk Hyunjun, do Porto, e Son Heung-Min, do Tottenham, fazem parte da seleção principal da Coréia, e o último é possivelmente o melhor jogador asiático da atualidade. Provas de que, este time coreano pode sim sonhar com uma medalha.


Lista de convocados:


Goleiros: Kim Dongjun, Gu Sungyun.

Defensores: Sim Sangmin, Kim Mintae, Choi Kyubaek, Jung Seunghyun, Jang Hyunsoo, Lee Seulchan, Park Dongjin.
Meias: Park Yongwoo, Lee Chandong, Lee Changmin, Moon Changjin, Ryu Seungwoo, Kwon Changhoon.
Atacantes: Son Heungmin, Suk Hyunjun, Hwang Heechan.






Fiji




Não fosse toda a bagunça da federação da Oceania, Fiji não estaria no torneio olímpico do Rio 2016. A vaga veio após a campanha nos Jogos do Pacífico, onde o país goleou na primeira fase a Micronésia por 38 a 0 (isto mesmo), e posteriormente derrotou Vanuatu nos pênaltis na Final. A base da equipe é a mesma da seleção principal, misturada com jogadores da seleção que disputou o Mundial Sub-20 em 2015, e chegou a derrotar Honduras por 3 a 0.



Lista de convocados:


Goleiros: Shaneel Naidu, Simione Tamanisau.

Defensores: Filipe Baravilala, Jale Dreloa, Praneel Naidu, Alvin Singh, Antonio Tuivuna.
Meio-campistas: Nickel Chand, Setareki Hughes, Savenaca Nakalevu, Joseph Turagabeci, Tevita Waranaivalu.
Atacantes: Anish Khem, Roy Krishna, Samuela Nabenia, Iosefo Verevou, Saula Waqa.




Grupo D: Argélia, Argentina, Honduras e Portugal



Argentina


Medalhista de ouro em Atenas-2004 e Pequim-2008, a Argentina chega forte na disputa por uma medalha no futebol masculino do Rio-2016. Mas, menos forte do que poderia chegar. Após garantir a vaga olímpica com o título do Sul-americano Sub-20 em 2015, se projetava a montagem de um projeto forte, mas que foi brevemente desestruturado.


A ideia inicial era de que o treinador da seleção principal, Tata Martino, dirigisse também a equipe olímpica no Rio. Pois faltando cerca de um mês para os Jogos, o mesmo acabou pedindo demissão, após dois vice e campeonatos da Copa América e vários meses de salários atrasados. Em meio a tudo isto, a AFA (Associação de Futebol da Argentina) vive a pior crise institucional de sua história. A entidade sofreu intervenções do governo argentino e da FIFA após o chamado "FIFA Gate" de forma interina por uma comissão normalizadora.


Sem uma equipe consolidada de dirigentes e um técnico, foi difícil negociar a liberação de atletas para a Olimpíada. O resultado, é que a Argentina não terá nenhum dos seus principais jogadores no Rio, incluindo aí os Sub-23. Messi, Aguero, Mascherano, Di Maria, e até mesmo os Sub-23 Dybala, Icardi, Paredes, Kranevitter, Vietto e Joaquin Correa estão com os seus clubes em pré-temporada, e assistirão as competições olímpicas pela TV. Entretanto, mesmo com todos os problemas, é difícil montar uma seleção argentina fraca. E isto ficou provado co, o time que vem ao Rio.


Mesmo sem os seus principais garotos e muita desfalcada, a Argentina conseguiu montar um bom time Sub-23, reforçado pelo goleiro Rulli e pelo defensor Cuesta, chamados na cota dos atletas com mais de 23 anos. O meia Lanzini se lesionou durante a preparação, mas Lo Celso, Angelito Correa, Calleri e Giovanni Simeone são alguns dos principais jogadores argentinos que vem ao Rio. Na prática, apenas o Brasil tem um time superior à Argentina no papel, mas vários outros países tem um projeto olímpico melhor montado e estabelecido. A dúvida é saber o que irá prevalecer em campo.


Lista de convocados:


Goleiros: Gerónimo Rulli e Axel Werner

Defensores: Víctor Cuesta, José Luis Gómez, Lautaro Gianetti, Alexis Soto, Lisandro Magallán e Leandro Vega
Meio-campistas: Santiago Ascacibar, Lucas Romero, Joaquín Arzura, Giovanni Lo Celso e Mauricio Martínez

Atacantes: Ángel Correa, Jonathan Calleri, Cristian Espinoza, Cristian Pavón e Giovanni Simeone



Argélia



A Argélia chega forte para o Rio-2016. Vice-campeã do Africano Sub-23, a equipe é formada basicamente por atletas locais, embora o grande destaque seja o meia Rachid Ait-Atmane, do Sporting Gijón. Ele é a principal referência técnica.



Lista de convocados:


Goleiros: Abdelkader Salhi e Farid Chaal

Defensores: Miloud Rebiai, Ayoub Abdellaoui, Abdelghani Demmou, Ryad Keniche e Houari Ferhani
Meio-campistas: Mohamed Benkemassa, Haris Belkebla, Abdelarouf Benguit, Sofiane Bendekba e Zakaria Draoui
Atacantes: Baghdad Bounedjah, Mohammed Benkablia, Ben Tahar Meziane, Zakarya Haddouche, Oussama Darfalou e Rachid Ait Atmane




Honduras


Vice-campeã do pré-olimpico da CONCACAF, perdendo a decisão por 2 a 0 para o México, Honduras tirou os EUA do Rio-2016, e merece respeito. Certamente, Portugal e Argentina largam como favoritos na chave, e a Argélia é a terceira força, mas não dá para esperar um nível muito baixo dos  hondurenhos.


Lista de convocados:


Goleiros: Luis López e Harold Fonseca

Defensores: Jonathan Paz, Marcelo Pereira, Kevin Álvarez, Allans Vargas, Johnny Palácios, Elder Torres e Brayan García
Meio-campistas: Bryan Acosta, Brayan Ramírez, Óscar Salas, Jhow Benavidez e Allan Banegas

Atacantes: Antony Lozano, Alberth Elis, Romell Quioto e Kevin López



Portugal



Portugal não terá Cristiano Ronaldo e o campeões da Europa, nem mesmo os que possuiam idade olímpica como Renato Sanches. O grande destaque da seleção lusitana no Rio-2016, será o meia Bruno Fernandes da Udinese, jogador de muita qualidade técnica. 


A vaga de Portugal no Rio-2016, veio após a equipe ser vice-campeã do Euro Sub-21 de 2015, derrotada na final apenas nas penalidades, pela Suécia. 


Por conta do fraco nível técnico do torneio, Portugal até pode sonhar com uma medalha, embora o seu time também esteja bem abaixo do imaginado, perto da excelente geração de jogadores que tem surgido no país.



Lista de convocados: 


Goleiros: Bruno Varela e Joel Pereira

Defensores: Ricardo Esgaio, Tobias Figueiredo, Tiago Ilori, Edgar Ié, Pité e Paulo Henrique
Meio-campistas: André, Bruno Fernandes, Tomás, Sérgio Oliveira, Chico Ramos, Fábio Sturgeon e Tiago Silva

Atacantes: Gonçalo Paciência, Salvador Agra e Mané

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Post a Comment


Top