A fase de Cristiano Ronaldo e as eternas comparações com Messi






O Real Madrid não começou tão bem a temporada 2015/16. A equipe de Rafa Benítez apresentou os mesmos defeitos da de Ancelotti, e mais vários outros. Se Florentino Pérez mudou o comando técnico merengue esperando a correção de alguns erros, só viu problemas técnicos se agravando. A fragilidade defensiva da equipe, mal protegida pelo meio, que viveu sob o dilema do cobertor curto (se Casemiro ou Kovacic jogassen, o time ficava um pouco mais protegido, mas quase sem criação; se eles não atuassem, a equipe se tornava muito vulnerável, com um buraco entre volantes e defensores). Isto tudo ficou bem claro na goleada sofida contra o Barcelona, de 4x0.


O comandante espanhol acabou sendo demitido logo nos primeiros dias de 2016, e em seu lugar assumiu Zinedine Zidane, um dos maiores jogadores da história do Clube merengue. Mais do que montar uma equipe competitiva, o maior desafio de Zizou parece ser reativar o melhor futebol de seu melhor jogador: Cristiano Ronaldo. O gajo parece já não demonstrar mais a mesma alegria em campo de outros tempos. O jogador velocista e habilidoso do Manchester United e dos primeiros anos do Real Madrid, lá por 2012/2013 foi dando lugar a uma máquina de fazer gols, que buscava de maneira insana ser o melhor jogador de futebol do Mundo. Ronaldo é obstinado por ser o melhor, vive sob o ponto máximo do estresse, joga mesmo quando não está no seu melhor físico, força o seu corpo ao ápice do esgotamento nos treinos. É difícil viver desta maneira, e quando você começa a cair de rendimento, ainda é massacrado por críticas, e recebe vaias até da propria torcida, além de ser sempre comparado com ni.ninguém menos do que Lionel Messi. Coisas que cansarim qualquer homem que vive neste planeta. No último Sábado, meras e simples declarações de CR7 geraram muita polêmica, apenas por terem sido mal interpretadas. Muitos o consideram egoísta, mesmo sem o conherem, por conta de uma grande mania do Ser Humano: julgar pela aparência.


Sim, Messi é melhor que Cristiano Ronaldo. E daí? Messi é melhor em seu melhor do que qualquer outro jogador de futebol em toda a história, em qualquer forma. Cristiano Ronaldo foi o único jogador, que no tempo de Messi conseguiu superá-lo após o argentino completar 20 anos. Ronaldo pode não ser melhor do que Messi em toda a carreira, mas o foi em alguns momentos, e isto na prática é espetacular.


Sim, o futebol não é feito só do gol, mas o gol é o ápice do futebol. Cristiano Ronaldo, nos últimos anos se tornou um gênio do gol. Um gênio da área. Ronaldo hoje é mestre na hora de se movimentar, achar espaços, e finalizar. Assim, se sagrou o maior artilheiro da história do Real Madrid, o maior artilheiro da história da Seleção portuguesa, o maior artilheiro da história das competições europeias e o maior artilheiro da história da Liga dos Campeões, além de ter três Bolas de Ouro e quatro chuteiras de Ouro, somando o período do United mais a época no Real. Hoje o futebol de Cristiano não é o mais bonito de se ver, na relação com o outrora apresentado, por ele mesmo. Mas ainda assim, é um futebol para lá de competente, e que individualmente alcança recordes e é admirável. As duas versões de Ronaldo ajudaram Manchester United e Real Madrid a conquistarem títulos. Ao todo, Cristiano Ronaldo já conquistou três vezes a Premier League, uma vez o Campeonato Espanhol, duas vezes a Copa do Rei, uma vez a FA Cup, três vezes a Copa da Liga Inglesa, uma vez a Supercopa da Inglaterra, ma vez a Supercopa da Espanha, duas vezes a Champions League, duas vezes o Mundial de Clubes e uma vez a Supercopa da UEFA. Menos do que Messi ganhou com o Barcelona? Sim, é verdade. Mas voltamos ao mesmo ponto de antes: Que equipe foi tão dominante no Futebol durante o Século XXI quanto o Barcelona nos últimos anos? É natural que os jogadores mais laureados com conquistas coletivas do momento sejam os Blaugranas, parece obviedade. 



Hoje, Cristiano Ronaldo já escreveu seu nome na história, como um dos maiores jogadores de todos os tempos. Deverá ampliar alguns recordes que já possui em breve, conquistar ainda mais títulos coletivos e prêmios individuais em breve. Talvez ainda neste ano, se torne o primeiro jogador a romper a marca de 100 gols na Champions League, algo antes impensável. Quanto às demais conquistas, o tamanho delas dependerá do desempenho coletivo de Real Madrid e Portugal, especialmente em 2016. Tudo, porque o futebol é um esporte coletivo, que depende de um todo, noção que muitas vezes perdemos, tamanho o brilho individual dos dois gênios desta era ...
Tecnologia do Blogger.