A inteligência tática do Atlético trouxe a primeira derrota ao Real na era Zidane

Imagem: Eurosport

Com um gol de Griezmann, o Atlético venceu o Real Madrid hoje no Santiago Bernabéu por 1x0, em duelo direto pela ponta do Campeonato Espanhol. Mais um dérbi madrilenho praticamente perfeito do time colchonero sob o comando de Diego Simeone, que desde que chegou ao Vicente Calderón vem reescrevendo a história do Clássico.


O primeiro tempo foi bastante morno e sem muitas chances claras de gol. O Real Madrid teve mais a iniciativa, mas era bem controlado. Com duas linhas de quatro, o Atlético impedia a entrada dos merengues em suas área com facilidade. Tanto pelo meio, quanto pelos lados, Cristiano Ronaldo não encontrava muitos espaços para jogar, sendo bem anulado pela defesa colchonera. Sua única oportunidade de marcar foi em uma cobrança de falta, defendida por Oblak.


Nos minutos finais da primeira etapa, o Atlético começou a buscar  mais o ataque, recuperando a bola mais longe de sua área e administrando mais a posse. Foi assim que Griezmann, com um chute de fora da área exigiu boa defesa de Keylor Navas, na primeira chance clara de gol do jogo.

Zidane surpreendeu muito ao voltar para o segundo tempo com Borja Mayoral no lugar de Benzema. A mudança até teve algum efeito, com Cristiano Ronaldo, mais na posição de centroavante, crescendo um pouco no jogo. No comando de ataque, ele teve a sua primeira chance para marcar com bola rolando aos 50 minutos de jogo, mas a bola passou apenas perto da trave do gol defendido por Oblak.

Foi aí que, aos 53 minutos, o Atlético chegou ao seu gol.  Griezmann tabelou bem com Felipe Luís, e arrematou sem chances de defesa para Keylor Navas.

O Real Madrid sentiu o golpe, especialmente ao ouvir as primeiras vaias da arquibancada. O nervosismo foi tomando conta dos jogadores, que até arrematavam, mas sem dificultar muito a vida de Oblak. O Atlético aproveitava para quebrar o ritmo do jogo, e até criava as suas chances, mas também era impedido por Navas de amliar a sua vantagem no marcador.

No final, mais uma derrota em jogo grande do Real. Atuando muito aberto, o time não consegue marcar pressão, e deixando a sua defesa muito aberta. Do para a frente, Kroos e James nem marcam, e nem conseguem criar. Também falta algum homem capaz de desequilibrar no 1x1. Quem mais chegava perto de fazer isto era Bale, no momento lesionado. Somando tudo isto, que falta faz Dí Maria ...

Do outro lado, mais uma vitória em jogo grande do Atlético, taticamente, mais uma vez impecável. Augusto Fernandez foi um leão no meio-campo, controlando bem a criação de jogadas do Real, e mostrando porque Simeone quis tanto contratá-lo no começo do ano.


Griezmann, por sua vez, se reencontrou com as redes. Mais do ques isto, ele foi fundamental na transição e na compactação entre o meio e o ataque.

Assim, o francês facilitou muito a variação tática do Atlético, que passava com facilidade do 4-4-2 para o 4-2-3-1, e até mesmo para o 4-3-3. Atuou na maior parte do tempo pela direita, fechando por dentro, hora triçocando de posição com Torres, hora atuando ao lado do espanhol, com Koke aparecendo mais pela esquerda.

Com a vitória, o Atlético chegou aos 58 pontos, ficando oito pontos atrás do líder Barcelona. Já o Real, para nos 54, e fica bem distante da liderança.

Curiosidade: Com a vitória de hoje, o Atlético de Madrid se tornou a primeira equipe em toda a história da La Liga a vencer por três vezes consecutivas o Real Madrid no Santiago Bernabéu.
Tecnologia do Blogger.