Superliga Europeia: A melhor solução, ou não?




Super Liga Europeia de Clubes: A melhor solução, ou não?



Foi levantada no encontro da ECA nesta quarta-feira, para debater o fair play financeiro, a criação de uma Liga Europeia de Clubes. A ideia foi levantada pelo presidente do Bayern de Munique, Karl-Heinz Rummenigge, e envolveria ao todo 20 clubes das cinco grandes Ligas Europeias: La Liga, Premier League, Serie A TIM, Bundesliga e League 1.

A ideia surge no momento em que a FIFA e a UEFA vivem uma grande instabilidade política, e a maioria dos países da Europa sofre com a polarização de algumas equipes em seus campeonatos. Entre as Ligas supracitadas, dá para citar os exemplos da Bundesliga e da League 1, que vivem um domínio absoluto de Bayern de Munique e Paris Saint-Germain.

Dificilmente a idéia irá para frente. As outras três vão muito bem como estão, e uma mudança no momento iria prejudicar diversas equipes medianas. É muito mais lógico discutir o modelo atual, embora encontrar uma solução para aumentar a competitividade na League 1 e na Bundesliga não seja algo fácil. Quem sabe a adoção de um sistema similar ao do Campeonato Belga, que de uma certa maneira acabou com a hegemonia do Anderlecht (O Gent foi o último Campeão), não seja uma solução.

Acabar com a UEFA Champions League também não seria a melhor saída, e realizar a mesma em pontos corridos com 20 clubes seria algo inviável em termos de datas, fora que acabaria com uma das coisas mais legais da competição, que são os playoffs e especialmente a Final da Champions. Não ter os dois melhores (ou mais competentes) clubes do Velho Continente, decidindo a competição mais importante a nível de Clubes, em um jogo que acaba por parar o planeta Bola, seria um prejuízo tremendo. Para aumentar os lucros da Champions, o caminho mais óbvio seria aumentar o número de jogos, e a partir daí já poderíamos começar a arrumar algumas soluções. Acabando com as Copas da Liga existentes e Datas FIFA com amistosos caça-níqueis, poderia se preencher a competição com mais algumas datas. Poderíamos ter um torneio com jogos mais espaçados, sem ter aquelas rodas cheias com um monte de bons jogos simultâneos, e o retorno da Segunda fase de grupos, ou algo similar. Com mais datas, as TVs pagariam mais para exibir a UCL, se aproximando das cifras pagas para as grandes Ligas americanas, como a NFL e a NBA, para citar as mais populares no Brasil.

Fora que as consequências da Lei Bosman e a má gestão de Platini, que teve como grande ponto negativo a mudança na etapa de Playoffs da Champions League, que desencadeou em um sistema de criação de "castas" em praticamente todos os Campeonatos da Europa não é algo simples de ser solucionado. Não é só a Bundesliga e a Ligue 1 que sofrem com a polarização. Poderíamos citar aqui vários exemplos, como a Liga Suíça dominada pelo Basel, a Liga escocesa dominada pelo Celtic, a Liga de Belarus dominada pelo BATE Borisov, a Liga croata dominada pelo Dínamo Zagreb e muitos outros, que ocupariam ainda mais várias Linhas deste texto que você lê.

O debate é amplo, o tema é polêmico, e ao menos já é questionado e admitido, o que é o primeiro passo para que enfim, se encontre uma Solução.
Tecnologia do Blogger.