Corinne Diacre: a Mulher que faz sucesso no Futebol francês.




Que o futebol é um meio extremamente machista, todo Mundo sabe. Se o futebol feminino, quase um Mundo à parte na Bola, já é colocado em segundo plano, uma mulher no futebol masculino, terá de se esforçar ainda mais se quiser sair vitóriosa.

E este é o caso de Corinne Diacre, treinadora do Clermont Foot, clube da League 2, que hoje estaria conseguindo o acesso para a League 1. A profissional já se consolida no meio, e após muito preconceito, foi eleita a melhor treinadora da competição em 2015, pela revista France Football.


post-feature-image


Ex-capitã da seleção francesa, Corinne era zagueira, e teve uma carreira de sucesso, até que aos 31 anos, uma lesão no joelho a afastou dos gramados. Foi auxiliar técnica na Seleção francesa e treinou o time femino do Soyaux entre 2010 e 2014, até virar uma grande pioneira no comando de uma equipe masculina.

Corinne foi convidada para treinar o time masculino do Clermont em julho de 2014, e aceitou o desafio. Muitos acreditavam que seu trabalho não daria certo, e que a sua chegada não passava de uma jogada de marketing do presidente do Clermont, Claude Michy. Em 2014, ele havia contratado a portuguesa Helena Costa, que não suportou o preconceito e ficou poucos dias no cargo, sem chegar a comandar a equipe em um jogo.




Logo na temporada 2014-2015, a sua primeira no comando do Clermont, Corinne já conseguiu salvar uma equipe que era candidata ao descenso para a Ligue 3. No total, somou 12 vitórias, 13 empates e 13 derrotas, mas é nesta temporada que ela realmente está fazendo sucesso. Hoje, o Clermont Foot é o terceiro colocado da League 2, com 8 vitórias, 7 empates e 4 derrotas, somando 31 pontos. Está em posição de acesso à League 1, e ainda tem chances de subir com título.



"Eu não sinto uma pressão particular, mais sei que estou em um mundo onde ganhar é sempre fundamental. A minha idéia é transmitir serenidade aos jogadores, para que os mesmos se sintam bem em campo", declarou Corinne logo na sua primeira coletiva após assumir o Clermont. Com um 4-3-3  bem armado, e unindo o grupo, ela encontrou a chave para a aceitação. Vale ressaltar, que o Clermont tem a terceira folha salarial mais baixa da League 2.





Uma história de Conto de Fadas e inspiradora, que todos nós esperamos que tenha um final feliz. E tomara, que mais treinadoras como Corinne, ganhem chances no futebol masculino nos próximos anos.
Tecnologia do Blogger.