Chelsea deu uma nova chance para Pato na Europa. Ele vai aproveitar?

Chelsea deu uma nova chance para Pato na Europa. Ele vai aproveitar?


Alexandre Pato surgiu em 2006, como uma das grandes promessas do Futebol Mundial. O garoto, então com 17 anos recém completados, estreou na equipe profissional do Internacional (clube que o revelou) em uma partida contra o Palmeiras. Após um mês de carreira, ele já era Campeão do Mundial de Clubes. Era só o começo de uma ascensão meteórica.

No começo de 2007, ele foi Campeão do Sul-americano Sub-20 com a Seleção brasileira. O time canarinho começava a viver uma crise, especialmente na camisa 9, e Pato era o Messias, que daria seguimento a dinastia de Careca, Romário e Ronaldo na "centroavancia" do time brazuca. Em Agosto deste mesmo ano, Pato já estava vendido ao Milan, então Campeão da Europa. Isto, alguns dias antes de completar 18 anos. Por isto, passou seis meses sem jogar, apenas treinando. A partir de 2008, contudo, começaria a viver entre altos e baixos. A boa estréia com gol pelo Rossonero, geraria ainda mais expectativas, que muitas vezes não seriam cumpridas. Um casamento controverso com a atriz Sthefany Britto, elevou a sua condição de Popstar, mas prejudicou o seu desempenho em campo, se unindo às várias lesões que o acompanharam por todo o tempo em Milão. Os anos foram passando, e em 2013, com apenas 23 anos, Pato retornou ao Brasil, comprado pelo Corinthians.




Se a vinda para o coringão era a tentativa retomar de retomar a carreira, e jogar a Copa do Mundo de 2014, no Brasil, as lesões mais uma vez não deixaram. Em 2014, Pato foi colocado em um troca-troca por empréstimo com Jadson, envolvendo Corintians e São Paulo. No tricolor paulista, "The Duck" viveria os seus melhores momentos desde o começo no Milan, mas longe de ser o craque que era esperado. No começo de 2016, retornou ao Corinthians, mas foi repassado ao Chelsea nesta semana, por empréstimo de seis meses, com opção de compra por 19 milhões de euros.


Pato recebe do Chelsea, uma nova chance de brilhar na Europa, e realizar o sonho do começo da carreira. Talvez a última oportunidade, em uma grande Liga. É raro a Bola dar para alguém uma segunda chance em um gigante europeu, mas Pato a recebe, mostrando que é um jogador, por algum motivo, diferenciado. Claramente, os Blues não confiam nos garotos da base e no francês Remy, e Falcao Garcia, aposta individual de Mourinho, parece já não ter mais condições físicas de jogar futebol, após a grave lesão que sofreu em Janeiro de 2014, quando defendia o Monaco. Com a saída do português, o Tigre ficou sem espaço, e o Chelsea, carecendo de homens de frente. Só não é viável acreditar que Pato possa ser um reserva de Diego Costa. Pato é segundo atacante. O esquema ideal para seu melhor rendimento, é o 4-4-2. No 4-2-3-1, ele não tem como se posicionar em campo da melhor maneira. Como winger, ou como centroavante, ele até pode jogar, mas vai sempre parecer torto, ou fora de área. Pato não tem características, inclusive físicas, para atuar no meio da zaga. Como winger, ele tem dificuldade para conseguir a vitória pessoal e abrir espaços. Talvez o principal motivo para a carreira de Pato não ter decolado, seja realmente o vício da maioria das equipes e treinadores no 4-2-3-1, que ditou o Futebol, durante quase 10 anos.

Curiosamente, antes de Pato ir para o Milan em 2007, o Chelsea tentou a sua contratação, e hoje concretiza, com quase nove anos de atraso, um objetivo antigo.
Tecnologia do Blogger.