Últimas notícias

Últimas notícias

Champions League

Liga Europa

História





Liga dos Campeões da UEFA 2014–2015


A Liga dos Campeões da UEFA 2014–15 foi a 60ª edição da Liga dos Campeões da UEFA, o maior torneio de clubes da Europa. A competição, mais uma vez foi organizada pela UEFA, e consagrou na sua final, disputada no dia 6 de junho de 2015 no Estádio Olímpico em Berlim, na Alemanha, o Barcelona como Campeão.

Campeão europeu pela primeira vez em 1992, o Barcelona, com a conquista, se juntou ao Bayern de Munique e ao Liverpool como pentacampeão europeu. A final contra a Juventus foi vencida por 3x1 , com gols de Ivan Rakitić, Luis Suárez e Neymar para o Barça. Álvaro Morata fez o tento da Juve. Com a conquista, o Barcelona chegou ao seu segundo triplete na História (o primeiro havia sido ganho na temporada 2008-2009), conquistando o Campeonato Espanhol, a Copa do Rei e a UEFA Champions League na sequência.



O Barcelona não havia começado, contudo, a competição como o favorito ao título. Tal condição era do Real Madrid, que venceu as suas seis partidas da fase de grupos e começou o mata-mata ganhando do Schalke 04, na Alemanha, em jogo válido pela ida das oitavas-de-final. A derrota por 4x3 não impediu o Real de avançar até as quartas, onde eliminou o rival Atlético de Madrid. Nas semi-finais, no entanto, os merengues cairiam diante da Juventus, com um agregado de 3x2.




O grande destaque da fase de grupos, no entanto, foi o atacante brasileiro Luiz Adriano, do Shakhtar Donetsk, que marcou oito gols em dois jogos contra  FC BATE Borisov.



Caminho do Barcelona até a Final




Uma temporada que prometia ser complicada, ameaçou turbulências, mas que no fim, pode ser perfeita. Diversas dúvidas sobre o trabalho de Luis Henrique e o seu relacionamento com peças chaves do elenco Culé, em especial Lionel Messi, colocavam em xeque a temporada do Barcelona. Uma derrota no Anoeta para a Real Sociedad, no primeiro jogo do ano de 2015, válido pelo Campeonato espanhol, parecia anunciar mais uma temporada sem títulos no Camp Nou. Mas entre Anoeta e Berlim, muita coisa aconteceu, para o Bem do barça.





O cargo de Luís Henrique foi colocado em perigo, mas uma vitória sobre o Atlético de Madrid, uma semana depois, foi o anúncio de que coisas melhores viriam pela frente. A classificação contra o Atlético de Madrid nas quartas de final da Copa do Rei da Espanha e a sequência de vitórias em La Liga, foram a prova de que o Barça estava preparado para os mata-matas da Champions, que chegaram em fevereiro.




Antes disto tudo, o Barcelona teve de passar pela fase de grupos, onde esteve no grupo Fao lado de Paris Saint-Germain, Ajax e Apoel. Conseguiu se classificar na primeira colocação, com 16 pontos, obtendo cinco vitórias e um empate. Depois de um primeiro turno morto, com vitórias em casa sobre Apoel e Ajax e uma derrota para o PSG na França, o clube culé embalou mesmo foi na segunda volta. A vitória sobre o Ajax em Amsterdã por 2 x 0, serviu para Messi igualar Raúl na artilharia histórica da Champions League, e no jogo seguinte, a goleada por 4 x 0 sobre o Apoel, com Hat-Trick do argentino, marcou a quebra da marca do lendário madridista. No último jogo da fase de grupos, o Barça decidiu a primeira colocação da Chave com o PSG, e com uma vitória de virada por 3 x 1, com gols dos três integrantes do trio MSN, mostrou que não estava na competição para brincadeiras.



Nas Oitavas de final, o sorteio colocou o Campeão Inglês Manchester City novamente no caminho do Barcelona. A classificação foi até mais tranquila do que no ano anterior, com duas vitórias, uma por 2 x 1 em Manchester e outra por 1 x 0 na Espanha, jogo que só não teve placar mais dilatado por conta da atuação fantástica do arqueiro Citizen, Joe Hart.



Nas quartas de final, o Paris Saint-Germain foi outro a aparecer novamente no caminho do Barcelona, fazendo parecer que as bolinhas da UEFA estão viciadas. Novamente o Barça não teve dificuldades para passar de fase, obtendo duas vitórias, primeiro por 3 x 1 em Paris, com show  e dois golaços de Luis Suárez, depois por 2 x 0 no Camp Nou, com dois tentos de Neymar e um placar agregado de 5 x 1 .




Na semifinal, o adversário do Barcelona seria o forte time do Bayern de Munique, e estava marcado um reencontro com Guardiola, um dos maiores jogadores e técnicos da história da agremiação Catalã. Na ida no Nou Camp, vitória do Barçaa por 3 x 0 , com os três gols sendo marcados nos 15 minutos finais. Nenhum torcedor Culé vai esquecer dos dois tentos de Messi, especialmente o segundo, quando ele entortou Boateng e o deixou caído no chão, para com uma cavadinha encobrir o goleiro Neuer. O terceiro gol, ainda contou com uma assistência genial do argentino. Na volta, na Alemanha, o Bayern até venceu por 3 x 2, mas o 5 x 3 no agregado colocou o Barcelona decisão, pela primeira vez na era pós-Guardiola.

A Final seria contra a Juventus, que após uma primeira fase com campanha apenas mediana, passou muito bem pelo Borussia Dortmund nas Oitavas, pelo Monaco nas quartas e pelo Real Madrid, nas semi-finais, naquela que foi uma das grandes surpresas do torneio.


A Final



Como já dito, a Decisão da Liga dos Campeões da UEFA 2014–2015 aconteceu no Estádio Olímpico de Berlim, no dia 6 de Junho de 2015. A vitória culé começou a se desenhar logo aos quatro minutos. Messi recebeu pelo meio, e virou o jogo para Jordi Alba. O lateral tocou para Neymar, que viu Iniesta, que rasgou a área e tocou para o croata Ivan Rakitic, que de primeira não deu chances para Buffon e inaugurou o marcador.

O primeiro tempo continuou com o Barça atacando e com a posse de bola, criando situações de gol. A Juventus aos pouco foi se achando no jogo, e começou a ameaçar mais a meta do goleiro Ter Stegen.

Logo no começo do segundo tempo, aos 9 minutos, Marchisio fez uma jogadaça, e Tevez Tévez chutou forte no canto esquerdo de Ter Stegen, que espalmou a bola para a pequena área, onde estava Morata, que só teve o trabalho de tocar para as redes para empatar.
Quando a coisa parecia que ia ficar difícil para os Blaugranas, foi aí que apareceu o Hulk. Não o super-herói, nem o jogador do Zenit, mas sim o cara que quando a situação fica tensa, vira um monstro: Lionel Messi. Ele recebeu a bola em um contra-ataque, arrancou e chutou forte. Buffon chegou a defender, mas não impediu que no rebote, Suárez, no rebote, Suárez fizesse o 2 x 1.
Pouco depois, o Barcelona chegou a marcar com Neymar de cabeça, mas o árbitro Cuneyt Çakir, auxiliado por um dos árbitros de fundo, anulou o lance, indicando que a bola havia tocado na mão de Ney.
Piqué ainda teve a chance de ampliar logo depois, mas zagueiro, não teve intimidade com a bola para finalizar. Zagueiros, aliás, viraram todos os jogadores do Barça no final da partida, espantando até pensamento da Juve da área culé. Neymar, assistido por Suárez, fez o terceiro em um contra-ataque no finalzinho.

Restou esperar o apito Final, para o Barça soltar o grito de é campeão. Esta foi a quinta conquista de Copa dos Campeões/UEFA Champions League da equipe Blaugrana.

Messi, Neymar e Cristiano Ronaldo, terminaram a competição empatados na artilharia com 10 gols. No critério de desempate, assistências, o argentino levou a melhor, no entanto.





Ficha técnica:

UEFA Champions League 2014-2015 - Final

Juventus 1 x 3 Barcelona

Escalações:



Juventus: 
Buffon; Lichtsteiner, Bonucci, Barzagli e Evra; Pirlo, Pogba, Marchisio e Vidal; Morata e Tévez. Técnico: Massimiliano Allegri.
Barcelona: Ter-Stegen; Daniel Alves, Piqué, Mascherano e Alba; Busquets, Rakitic e Iniesta; Luis Suárez, Messi e Neymar. Técnico: Luis Enrique.




Local: Estádio Olímpico de Berlim, na Alemanha

Árbitro: Cuneyt Cakir (TUR)
Cartões amarelos: Arturo Vidal, Paul Pogba (Juventus)

Vídeo com os Gols da Final:



«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Post a Comment


Top