Guia da Premier League 2015-2016

Guia da Premier League 2015-2016
Imagem: Sports Insights


Guia da Premier League 2015-2016


A angústia acabou, e foi menor este ano. Apenas dois meses e três dias nos separaram da Final da UEFA Champions League e da Rodada Inaugural da Premier League, no Offseason mais curto dos últimos anos (ainda preenchido com a Copa América e a Copa do Mundo Feminina, além de uma janela de transferências bem agitada). De certo, está começando uma nova temporada da Premier League.

O fã de verdade irá botar o despertador ligado no sábado pela manhã, para estar de pé às 8h45 e assistir o jogão entre Manchester United e Tottenham, no místico estádio de  Old Trafford. Um louco, dirão os outros. Mas quem acompanha a Premier League, certamente se tornará louco por este Campeonato.

Nenhuma outra Liga da Europa hoje tem tantas equipes com qualidade, e candidatos ao título quanto a EPL. Mesmo nos mercados mais periféricos do Velho Continente, há uma "casta", e só um ou dois, no máximo três equipes tem condições de brigar pelo título e as vagas europeias. Sim, o Chelsea é o favorito para conquistar esta Premier League. Mas há, ao menos, quatro candidatos ao título, e nove candidatos ás vagas nos torneios UEFA. Além do mais, um jogo entre o líder e um dos últimos colocados, está sempre longe de ser decidido até o último minutos (quem não se lembra daquele Crystal Palace 3x3 Liverpool na Premier League 2013-2014?).

Sim, os Blues largam como favoritos , mas os rivais de Manchester e o Arsenal tem todas as condições de levantarem o caneco. O Liverpool pode surpreender, e até mesmo entrar nesta briga pela taça, como fez na temporada retrasada. Tottenham e Southampton passam longe de serem cartas fora do baralho, e Everton e Swansea tem peças no elenco de dar invenja em vários times de ponta de outras Ligas.

Na parte baixa, Algumas equipes são mais cotadas para o rebaixamento, mas não estam impedidas de surpreender e aparecer na primeira metade da tabela.

Enfim, está começando a melhor Liga da Europa. E a melhor Liga da Europa, é a melhor Liga do Mundo! Preparamos este Guia abaixo, para você ir aquecendo e ficar por dentro de tudo sobre as 20 equipes participantes da EPL 2015-2016.

Boa leitura!

Arsenal


O Arsenal tenta voltar a ser Campeão da Premier League, algo que não faz desde 2004, quando Henry, Vieira e cia transformam os Gunners em um time quase imbatível. Desde que se mudou para o Emirates Stadium a conquista não chega, embora, não da para negar que o nível da equipe melhorou recentemente, algo que a terceira colocação no ano passado, o bicampeonato consecutivo da FA Cup e a chegada de reforços de nível Mundial, como Mesut Ozil e Alexis Sanchez deixa nítido.


Arsene Wenger é o técnico há mais tempo em clube da Premier League atualmente. Ele conhece plenamente a instituição, a torcida e o grupo de jogadores, e mais do que isto, tem a confiança deles. Não ter que jogar os playoffs da Champions League este ano, ee acima de tudo contar com um elenco mais experiente, especialmente após a chegada de Petr Cech, pode dar muita consistência ao time. Nas temporadas recentes, as arrancadas dos Gunners tem sido boas, mas o time parece perder gás na sequênciua.

O elenco também tem hoje a profundidade necessária, especialmente no ataque. Com Danny Welbeck ou Olivier Giroud  (ou mesmo Walcott como "falso 9") o comando de ataque está bem servido. Jack Wilshere e Aaron Ramsey e Francis Coquelin vem amadurecendo e crescendo muito de produção. Alexis Sanchez e Cazorla, são jogadores para qualquer time do Mundo.

Se há alguma preocupação para Wenger, é no sistema defensivo, que ainda apresenta uma certa oscilação, até mesmo física dos atletas. Sofrer menos gols parece algo fundamental para subir ainda mais na tabela. Com um goleiro de Confiança, como Cech, se espera que o conjunto defensivo como um todo cresça. Como ele levou seu preparador de goleiros, o jovem Emi Martínez também deverá evoluir muito, podendo ser nas próximas temporadas o arqueiro titular.

É esperado que o Arsenal consiga pelo menos uma vaga na próxima UEFA Champions League, e pelo menos alcance as quartas de final na atual edição do certame da UEFA. Um título? A FA Cup ainda parece o mais palpável, mas sonhar, especialmente com a Premier League, não é nada irreal.

Luta Por: Título

Time-Base: Cech; Bellerin, Mertesacker, Koscielny e Monreal; Wilshere, Cazorla, Ozil - Ramsey e Sanchez; Giroud.

Chegaram: Petr Cech (Chelsea), Jeffe Reine-Adelaide e Yassin Fortune (Lens), Jordi Osei-Tutu (Reading), Vlad Dragomir (Poli Timisoara)

Saíram: Abou Diaby, Semi Ajayi (Cardiff City), Ryo Miyaichi (St. Pauli), Lukas Podolski (Galatasaray)

Aston Villa



A temporada parecia estar começando bem para o Aston Villa. Micah Richards tinha sido contratado, Fabian Delph parecia ter assegurado sua permanência, e Christian Benteke também tinha tudo para não se mudar. Mas, nas duas últimas semanas, Delph foi para o Manchester City e Benteke para o Liverpool. A equipe também perdeu Tom Cleverley e Ron Vlaar. De uma hora para outra, todas as expectativas mudaram ...


Sherwood recebeu apenas Idrissa Gueye como reforço de real destaque para o meio-campo/ataque. A expectativa, é que atuando na base do contragolpe, o time consiga ao menos se manter na EPL.

Luta Por: Permanência na Premier League

Time-Base: Guzan, Hutton, Richards, Clark, Amavi, Bacuna, Westwood, Gueye, Grealish, Ayew, Agbonlahor

Chegaram: Jordan Ayew  (Lorient), Idrissa Gueye



Bournemouth




Após escapar do rebaixamento na League Two na temporada 2008/2009, o Bournemout foi subindo degrau por degrau, e hoje está na Premier League. O técnico Eddie Howe organiza uma equipe sem estrelas, mas muito bem agrupada.

Para tentar se manter na Premier League, o  Bournemouth foi ao mercado, e buscou nomes experientes, como o goleiro Artur Boruc e o bom  defensorSylvain Distin. Também há aposta em jovens, como o ganês Christian Atsu e Tyrone Mings.

Luta Por: Permanência na Premier League

Time-base: Boruc, Francis, Elphick, Cook e Daniels; Ritchie, Arter, Surman e Pugh; Kermorgant e Wilson

Chegaram: Sylvain Distin (Everton), Tyrone Mings (Ipswich Town), Artur Boruc, Adam Federici, Christian Atsu (Chelsea), Joshua King (Blackburn) e Filippo Costa (Chievo)





Chelsea



O atual Campeão Chelsea, é o grande favorito ao título novamente.  Tudo por conta do fato de os Blues terem conservado a base campeã, alterando pouco do que já era melhor do que os outros 19 clubes do Campeonato, que de certo, terão de correr atrás e fazer muito mais ajustes.

O futebol do Chelsea de Mourinho parece perfeito para a Premier League. É eficaz para somar pontos, e encarar um campeonato cascudo, onde um jogo contra o lanterna não é sinônimo de vitória. Geralmente, não será o time mais brilhante, o mais qualificado ou o que gasta mais que ganhará a EPL, e sim o mais estável e regular. Foi com regularidade que o Chelsea buscou a taça no ano passado. Se Manchester City, Manchester United e Arsenal viveram picos e depressões ao redor da temporada, os Blues jogaram em sua maior parte aquele jogo redondinho, que erra pouco na defesa, não concede muitos gols, é eficiente no contragolpe e não deixa de pontuar. 



O único porém, a ser dito sobre este time do Chelsea, é se o formato que serve para o mercado Nacional vale também para os torneios de mata-mata, em especial a UEFA Champions League, onde, de maneira geral, da para dizer que a equipe ficou devendo muito. Não só pelo resultado (eliminado nas Oitavas pelo PSG), mas muito pelo futebol (não) mostrado. José Mourinho já venceu a UEFA Champions League, e sabe que se quiser voltar a vencer novamente, serão necessários ajustes. Sem loucuras, é claro.

De destaque, da para citar como saídas do elenco campeão Filipe Luís, Drogba e Cech. O primeiro, não mostrou a que veio em sua primeira temporada no Stanford Bridge. O segundo (que foi para o Montreal Impact) e o terceiro (que foi para o rival Arsenal), encerram os seus ciclos. Os reforços de impacto, e que realmente garantiram aumento na qualidade, Fábregas e Diego Costa, foram contratados no começo da temporada passada. O substituto de Cech como goleiro titular, Courtois, assumiu esta condição ainda na temporada passada, com todos os méritos, após um longo e vitorioso período emprestado ao Atlético de Madrid.



Em resumo, o Chelsea entra como favorito na Premier League (o que não significa que será o Campeão), e não entra como favorito na Champions League (o que não significa que não possa ser o Campeão). De todo modo, estará muito provavelmente na Champions 2016-2017, pois não vejo algum meio dos Blues não ficarem entre os quatro melhores desta Premier League.



Luta Por: Título

Time-Base: Courtois, Ivanovic, Cahill (Zouma), Terry, Azpilicueta; Matic, Fàbregas, Willian, Oscar, Hazard; Diego Costa

Chegaram: Radamel Falcao (AS Monaco FC, empréstimo), Nathan (Atlético Paranaense, emprestado de imediato ao Vitesse), Asmir Begović (Stoke City), Danilo Pantić (FK Partizan)

Saíram: Christian Atsu (Bournemouth FC, empréstimo), Didier Drogba (fim de contrato, Montreal Impact), Gaël Kakuta (Sevilla FC), Petr Čech (Arsenal FC), Mario Pašalić (AS Monaco FC, empréstimo), Patrick Bamford (Crystal Palace FC, empréstimo), Filipe Luís (Club Atlético de Madrid)



Crystal Palace



A Premier League mostra como todas as equipes de uma Liga podem crescer juntas. Mesmo sem ser considerado um gigante, o Crystal Palace foi até o Paris Saint-Germain buscar Yohan Cabaye, volante que atua várias vezes como titular da seleção da França.

Dificilmente o Palace vá brigar por competições europeias, mas busca se manter com tranquilidade na Premier League, algo que pode sim acontecer.


Luta Por: Ficar na primeira metade da tabela

Time-Base: McCarthy ,Hangeland, Dann, Ward, Souaré, Jedinak, Cabaye, McArthur, Bolasie, Zaha e Bamford.


Chegaram: Cabaye (PSG), Alex McCarthy e Patrick Baford (Chelsea).

Everton



A Liga Europa pode prejudicar muito o desempenho de uma equipe em uma grande Liga. Jogar quinta-Domingo acaba com um elenco raso. Exemplo disto, é o Everton, que com duas competições na temporada passada, não foi sombra de outras, com as atenções voltadas a Premier League.

A espinha dorsal dos Toffees é muito forte. A defesa, com Howard no gol, John Stones e Phil Jagielka na zaga e Seamus Coleman e Leighton Baines pelas laterais é a melhor entre as equipes medianas da Premier League.

No meio e no ataque, há qualidade e quantidade. Barry, Barkley, Muhamed Besic, o recém-chegado Cleverley, Mirallas, Deulofeu, Naismith, McGeady, Steven Pienaar, Aaron Lennon, Lukaku e Kone são excelentes opções.

Destes, Barkley e Lukaku podem ser considerados os maiores expoentes técnicos. Deulofeu é a esperança de um diferencial caso realemente se firme e seja aquilo que sempre se esperou.

O problema, é que sonha com a Champions League ainda parece complicado. E tentar voltar a Europa League, é como correr atrás do próprio rabo.


Luta Por: Vaga na Europa League

Time-Base: Howard, Stones, Jagielka, Coleman, Galloway, McCarthy, Barkley, Mirallas, Deulofeu e Lukaku

Chegaram: Tom Cleverley (Manchester United), Gerard Deulofeu (Barcelona), David Henen (Olympiacos).



Leicester City





O  Leicester City começou a temporada 2014-2015 como a sensação da Premier League. A vitória por 5x3 sobre o Manchester United ficou marcada como uma das melhores partidas de todo o campeonato, e Ulloa iniciou a temporada voando, e marcando gols com enorme facilidade. Com o passar das rodadas, o gás foi acabando, não o suficiente para ser rebaixado.
Um dos principais responsáveis pela boa campanha, o técnico Nigel Pearson, teve desavenças com a diretoria e deixou o clube. Outro pilar, o experiente volante argentino Cambiasso, não renovou. O veterano Claudio Ranieri assumiu o comando técnico e entre as aquisições, chama atenção o atacante japonês Shinji Okazaki. Ainda podemos destacar no elenco o bom austríaco  Christian Fuchs e o talentoso jovem croata Andrej Kramaric.

Luta Por: Permanência na Premier League
Time-Base: Kasper Schmeichel; Marcin Wasilewski, Robert Huth e Ben Chilwell, Marc Albrighton, Andy King, Dean Hammond e Christian Fuchs, Andrej Kramaric, Shinji Okazaki e Leonardo Ulloa.

Chegaram: Christian Fuchs (Schalke), Shinji Okazaki (Mainz), Claudio Ranieri( treinador).


Liverpool



Decepcionante. Só assim para definir a temporada passada do Liverpool. Se em 2013-2014 os Reds brigaram pelo título da Premier League, em 2014-2015 o time fez uma campanha beirando o vexatório nas competições da UEFA (Champions League e Europa League) e não alcançou nem mesmo a vaga na próxima Champions. Os Reds parecem ter dado um passo para trás. Para piorar o quadro, o capitão Steven Gerrard deixou o Anfield e foi jogar no LA Galaxy na MLS. A segunda perda importante em menos de um ano (a primeira foi Suárez). A derrota por 6 a 1 para o Stoke City na última rodada da EPL passada encerrou com chave de lata uma temporada para esquecer.

Por isto mesmo, o Liverpool foi ao mercado buscar novas contratações. Roberto Firmino (ex-Hoffenheim) e Christian Benteke, (ex-Aston Villa) custaram pequenas fortunas aos cofres da equipe, mas a expéctativa, é que agreguem qualidade, no ataque . Uma pequena fortuna também foi o que o City pagou pela grande promessa do Liverpool,  Sterling (necessariamente, 49 milhões de Libras). De resto, o mercado do Liverpool ainda foi marcada pela aquisição do bom lateral Nathaniel Clyne, de excelente temporada passada pelo Southampton, pela chegada do jovem e promissor zagueiro Joe Gomez (Ex-Charlton), além das chegadas de Adam Bogdan, James Milner e Danny Ings de graça.

O setor da equipe, mais carente foi justamente o mais reforçado. Os 32,5 milhões de Libras pagos por Benteke foram na esperança de encontrar um substituto para Suárez. Gols, também são o que se espera que Roberto Firmino, de recentes boas temporadas pelo Hoffenhein na Alemanha, traga ao Anfield. Mas o melhor reforço, pode ser mesmo Daniel Sturridge. O atacante foi peça chave no bom time do Liverpool armado por Brendo Rodgers há duas temporadas, e atrapalhado por lesões, quase não entrou em campo na época passada.


Contudo, fica difícil imaginar o Liverpool brigando pelo título da Premier League 2015-2016. Ainda assim, a camisa é tão pesada que não dá para ser descartada esta possibilidade. Mas, ao menos conquistar uma vaga na próxima UEFA Champions League, é um sonho bem real.

Luta Por: Vaga na Champions League

Time-Base: Mignolet; Clyne, Skrtel, Sakho, Moreno; Henderson, Milner, Coutinho; Firmino, Sturridge e Benteke

Chegaram: Adam Bogdan , Joe Gomez (Charlton), Nathaniel Clyne (Southampton), James Milner, Danny Ings, Roberto Firmino (Hoffenheim), Christian Benteke (Aston Villa)

Saíram: Brad Jones, Sebastian Coates (Sunderland), Andre Wisdom (Norwich) Glen Johnson, Steven Gerrard (LA Galaxy), Raheem Sterling (Manchester City), Rickie Lambert (West Brom)



Manchester City





Consistência. É o que ganha o projeto do Manchester City a cada temporada. As peças mais importantes do elenco (Hart, Silva, Yaya Touré e Aguero) e o técnico Manuel Pellegrini seguem no Etihad, e além de tudo, o City foi buscar jovens ingleses no mercado.


O clube azul de Manchester pagou 44 milhões de euros em Raheen Sterling. Um valor que de ínico, pode parecer absurdo. Mas, a verdade é que ninguém sabe até onde Sterling pode chegar. E se o ity queria contratar jovens jogadores ingleses, trouxe o mais promissor. Nesta linha, também veio Patrick Roberts, ex-Fulham.


Outro jogador jovem que chegou foi Fabian Delph, também inglês, de 25 anos. Para um jogador desta idade, foi barato (8 milhões de euros). O City pechinchou muito, mas conseguiu este jogador. De resto, teve retornos de empréstimo, como os dos promissores Zuculini e Rony Lopes.


Um elenco bom, com potencial para ser Campeão, e que este ano poderá inscrever 25 atletas na Champions League, sem as restrições da UEFA por descumprir o Fair Play Financeiro. Fato, que deve tirar um pouco a carga sobre algumas peças (como Aguero), evitando as lesões, que tiraram a equipe da luta pelo título na temporada passada. O Manchester City larga como segunda força, um pouco atrás do Chelsea e vendo Arsenal e Manchester United no retrovisor. Como a corrida irá acabar, só saberemos após o encerramento do Campeonato.



Luta Por: Título

Time-Base: Hart; Clichy; Kompany; Mangala e Kolarov; Fernando; Fernandinho e Toure; David Silva; Sterling e Aguero.


Chegaram: Enes Unal (Bursaspor), Raheem Sterling (Liverpool), Fabian Delph (Aston Villa), Patrick Roberts (Fulham), Bruno Zuculini, Jason Denayer, Shay Facey, Rony Lopes,  Angelino, Patrick Roberts.

Saíram: Negred, Nastatick, Rekik, Scott Sinclair, Dedryck Boyata, Jordi Hiwula, Fofana, Micah Richards, James Milner, Adam Drury, John Guidetti, Frank Lampard



Manchester United 



Com todo o investimento feito pelo Manchester United na Era Louis Van Gaal, a pressão é grande em Old Trafford. A torcida quer títulos, e condições há para isto.

Para tentar voltar ao topo da Premier League, o United não poupou grana. Só neste verão, chegaram em Old Trafford o jovem holandês Memphis Depay, ex-PSV, o experiente volante alemão Bastian Schweinsteiger, ex-Bayern de Munique, o volante francês Morgan Schneiderlin, ex-Southampton, o defensor Matteo Darmian, ex Torino e o goleiro titular da Seleção Argentina, vice Campeão do Mundo e da América, Sergio Romero.

No papel, o elenco do Manchester United em nada deve a nenhum outro da Inglaterra. Falta montar um time. E se isto não acontecer, a responsabilidade será de Louis Van Gaal. Da para destacar também, que novamente, a defesa não foi tão bem reforçada como o meio e o ataque. Olhando para o elenco dos Red Devils atrás, não há nenhum zagueiro ou lateral "World Class". Sergio Ramos foi tentado, mas preferiu renovar com o Real Madrid. Otamendi é outro que foi muito cogitado, assim como seu companheiro de seleção argentina, Garay, mas nenhum dos dois eram viáveis. Darmian é uma aposta, que até pode dar muito certo. Rojo, de todos, é o jogador mais firmado. Com Blind devendo se fixar na lateral-esquerda, ele deverá ser o zagueiro pelo setor, arrumando assim metade da cozinha, ao menos.

Se atrás, ainda há algumas incógnitas, do meio para frente, a quantidade de qualidade é evidente. Schweinsteiger, Carrick, Schneiderlin, Herrera, Juan Mata, Memphis Depay, Young, Rooney são peças que qualquer treinador gostaria de contar. Basta fazer a engrenagem funcionar, algo que não foi conseguido em sua plenitude na temporada passada. 

Este ano, o United ainda terá a Champions League, um torneio a mais, mas que o clube sabe jogar, e talvez seja até o com maior potencial entre os ingleses para este formato. Se Van Gaal conseguir dar uma cara ao time, as chances ainda aumentam. Ainda há a FA Cup e a Copa da Liga, como taças menores. Se ao menos uma destas quatro conquistas não vier, o holandês não deverá seguir em Old Trafford para a temporada 2016-2017 ....



Luta Por: Título


Time-Base: De Gea; Matteo Darmian, Smalling, Rojo e Blind; Schweinsteiger, Schneiderlin, Herrera; Juan Mata, Memphis Depay, Rooney.

Chegaram: Memphis Depay (PSV), Bastian Schweinsteiger (Bayern), Matteo Darmian (Torino), Morgan Schneiderlin (Southampton), Sergio Romero (Sampdoria)

Saíram: Van Persie (Fenerbahce), Nani (Fenerbahce), Reece James (Wigan), Cleverley (Everton), Angelo Henriquez (Dinamo Zagreb), Bem Amos (Bolton), Falcao Garcia (Monaco/emprestado ao Chelsea)

Newcastle




Flertando com o rebaixamento na temporada passada, o Newcastle escapou da Championship apenas e tão somente na última Rodada, graças a um tento salvador do heróico Jonas Gutiérrez, que superou um câncer para salvar os Magpies. 

Ainda na temporada passada, Alan Pardew deu lugar ao interino que virou efetivo Carver, que na offseason foi substituído pelo veterano técnico Steve McClaren.

Para tentar não brigar para não cair nesta temporada, o Newcastle foi ao mercado, e buscou jogadores de boa qualidade, como o holandês Georginio Wijnaldum,ex-PSV e o promissor Aleksandar Mitrović, contratado junto ao Anderlecht, de onde também veio Mbemba, considerado o futuro substituto de Coloccini, que por hora segue no elenco.

Luta Por: Ficar na primeira metade da Tabela

Time-Base: Krul, Janmaat, Coloccini, Williamson, Haidara, Colback, Wijnaldum, Sissoko, De Jong, Ayoze Pérez e Cisse.

Chegaram: Steve McClaren (Derby County, treinador), Georginio Wijnaldum (PSV), Mitrovic (Anderlecht)

Norwich City


Os canários estão de volta. Depois de três temporadas na Premier League, apenas na última o time perdeu gás e foi rebaixado, mas conseguiu fazer o famoso bate e volta, subindo logo de cara.

O time que foi e voltou, é quase o mesmo. Conseguirá se manter agora?


Luta Por: Permanência na Premier League

Time-Base: Ruddy; Bassong, Martin, Wisdom, Olsson; Johnson, Mulumbu, Brady, Redmond, Hoolahan; Jerome

Chegaram: Graham Dorrans (West Bromwich), Youssouf Mulumbu, André Wisdom (Liverpool), Robbie Brady (Hull City)


Southampton 





Seja sob o comando de Mauricio Pochettino, seja sob as orientações de  Ronald Koeman , mesmo perdendo jogadores, o Southampton vem mantendo nível (bom). Se mais uma vez a janela foi cruel, levando os excelentes Morgan Schneiderlin para o Manchester United e Nathaniel Clyne para o Liverpool, a criatividade no mercado trouxe outros nomes muito promissores.

Jordy Clasie, ex-Feyenoord é o principal reforço dos Saints. Jogador com nível de seleção holandesa, é um cara que não deve dar errado. Também bons e baratos, chegaram Marteen Stekelenburg (Fulham), Juanmi (Málaga), Cuco Martina (Twente), Cedric Soares (Sporting), Steven Caulker (QPR). Se os dois primeiros já são mais veteranos e Caulker é bem conhecido do fã da EPL, Cedric Soares e Cuco Martina tem tudo para ser algumas das boas surpresas desta Premier League. Uma curiosidade, é que a nacionalidade de Cuco: ele nasceu no Curaçao, no Ranking da FIFA, uma das piores seleções.

A boa notícia para o torcedor dos Saints é que o time está na Liga Europa. A má notícia, é que o time está na Liga Europa. Hoje, o lado bom de estar na Europa League é ter a possibilidade de conquistar um título Continental e que da vaga na Champions League. O lado ruim, é jogar quinta e Domingo, sem ter um grupo com profundidade para tal.



Luta por: Vaga na Liga Europa



Time-Base:Forster (Stekelenburg); Cedric, Martina, Fonte, Bertrand; Wanyama, Clasie, Ward-Prowse; Tadic, Mané (Jay Rodriguez), Pellè

Chegaram:  Jordy Clasie (Feyenoord), Marteen Stekelenburg (Fulham), Juanmi (Málaga), Cuco Martina (Twente), Cedric Soares (Sporting), Steven Caulker (Q.P.R)

Saíram: Morgan Schneiderlin (Manchester United), Nathaniel Clyne (Liverpool)




Stoke City



Os Potters começaram a temporada com uma expectativa, que aos poucos foi sendo frustrada. Se nomes como Yarmolenko eram especulados no inicio, as saídas de peças como o excelente goleiro Begovic para o Chelsea e do bom volante Steven N’Zonzi para o Sevilla é que chamam a atenção.

Chegaram neste verão europeu Philipp Wollscheid (Bayer Leverkusen), Jakob Haugaard (Midtjylland), Joselu (Hannover 96), Shay Given (Aston Villa), Marco van Ginkel (Chelsea), Glen Johnson (Liverpool), Moha El Ouriachi e Ibrahim Affelay (ambos do Barcelona) que acrescentam quantidade ao elenco. A dúvida é se tarrão realmente qualidade (o que é esperado pela torcida). A esperança, está depositada no promissor goleiro da Seleção Inglesa Sub-23 Jack Butland, um dos melhores do Mundo na categoria, e que tende a ter enfim a grande chance, após a saída de Begovic.


Luta Por: Permanência na Premier League

Time-Base: Butland, Wollscheid, Muniesa, Glen Johson, Pieters, Whelan, Adam, N’Zonzi, Affelay, Walters e Diouf.

Chegaram:  Joselu (Hannover 96), van Ginkel (Chelsea), Shay Given (Aston Villa), Glen Johnson (Liverpool), Moha (Barcelona).



Sunderland


Os Blackcats iniciam a Premier League como um dos maiores candidatos ao rebaixamento. O time já tem flertado recentemente com a Championship, e buscou na janela apenas Sebastián Coates (Liverpool), Adam Matthews (Celtic), Jeremain Lens (Dynamo Kiev), Charis Mavrias e Younes Kaboul (Tottenham). Jogadores que até acrescentam, mas não o suficiente para uma temporada com tranquilidade, na Liga mais competitiva da Europa


Luta Por: Permanência na Premier League

Time-Base: Pantilimon; Kaboul, Coates, Matthwes, O’Shea; Cattermole, Rodwell, Charis Mavrias, Adam Johnson; Lens, Defoe



Chegaram: Sebastián Coates (Liverpool), Adam Matthews (Celtic), Jeremain Lens (Dynamo Kiev), Younes Kaboul (Tottenham)




Swansea




O Swansea, da crise na Legue One à Premier League, da mudança da vela casa para o Liberty Stadium, vem se consolidando como força mediana da EPL. O clube, hoje, não joga o futebol que encantava nos tempos de Laudrup já não existe mais, mas o clube do País de Gales ainda tem condições de fazer uma boa campanha nesta temporada.


Roberto Martinez, Paulo Sousa, Brendan Rodgers e especialmente Michael Laudrup deram toda sustentação para que hoje Garry Monk possa comandar com relativa tranquilidade uma equipe que não teve grandes perdas nesta janela (Bony saiu em janeiro para o City), e buscou alguns reforços importantes, como Andre Ayew, considerado peça importante no Olimpique de Marselha de Bielsa, que encantava a França, de onde também veio o bom Franck Tabanou lateral-esquerdo ex-St. Ettiene.

Mesmo com o assédio de outros clubes, Sigurdsson permaneceu em Swansea. O islandês foi o melhor jogador da equipe na temporada passada - e um dos melhores da EPL, especialmente no quesito assistências. Outro que permanece é o excelente Willians. Se espera que Fernandez e Gomis, mais adaptados, aumentem sua produção. O centroavante, agora terá a sombra do excelente Éder, goleador contratado junto ao Braga de Portugal.

Um elenco, que talvez não tenha condições de sonhar com vaga na Champions, mas tem na Liga Europa um objetivo bem realista. Esta será a temporada de Monk realmente mostrar o seu trabalho. Com mais peças e qualidade, não terminar ao amneos na primeira metade da tabela seria uma tremenda decepção.

Luta Por: Vaga na Europa League


Tim-Base: Fabianski; Naughton, Fede Fernandez, Williams, Tabanou; Cork, Ki (Shelvey); Montero, Sigurdsson, Ayew; Gomis

Chegaram: André Ayew (Marsella), Franck Tabanou (Saint-Etienne), Kristoffer Nordfeldt (Heerenveen), Éder (Braga), Olivier McBurnie (Bradford City).

Tottenham




Até a temporada passada, a quarta colocação da EPL era o Santo Graal para o Tottenham. O ressurgimento do Liverpool forte há dois anos, o refortalecimento do United e até o crescimento do Southampton deixaram esta tarefa ainda mais difícil. 

O bom trabalho à frente do Soupthampton, levou o argentino Maurício Pochettino ao comando técnico dos Spurs na temporada passada. Da para dizer que o seu trabalho não decepcionou, mas não foi tudo o que se esperava na temporada passada. Fica a expectativa de que tenha sido apenas a adaptação, e que o futuro seja melhor. A vitória sobre o Chelsea por 5x3 no dia 1º de Janeiro foi o ponto alto, e aquele modelo é a esperança de uma boa Premier League 2015-2016.

Os Spurs não foram ao mercado com a mesma fome de outras temporadas. Da para destacar a contratação do bom zagueiro Toby Alderweireld. O maior reforço talvez tenha sido a permanência do artilheiro Harry Keane, melhor jogador do Tottenham na Premier League passada. Peças chave, Llorris e Vertonghen  seguem em White Hart Lane. Eriksen e Lamela também, e se espera que, especialmente o segundo, enfim tenha a constância que dele se exige.

O Tottenham tem um elenco bom, mas que vem de picos e depressões nas últimas temporadas. Manter uma maior regularidade é a chave para sonhar com a Champions, mas não é uma tarefa fácil, especialmente em um elenco cheio de jovens.

Luta Por: Vaga na Champions League

Time-Base: Lloris; Walker, Alderweireld, Vertonghen, Bentaleb; Dembélé, Mason, Lamela, Eriksen, Chadli; Harry Kane.


Chegaram: Kevin Wimmer (Colonia), Kieran Trippier (Burnley), Toby Alderweireld (Atlético).

Saíram: Paulinho (Guangzhou Evergrande) Étienne Capoue (Watford), Younes Kaboul (Sunderland ), Benjamin Stambouli (PSG), Lewis Holtby (Hamburgo), Vlad Chiriches (Napoli)




Watford 




Desde junho de 2012, quando o italiano Giampaolo Pozzo adquiriu o Watford por 500 mil libras, o projeto era alcançar a Premier League, e fazer boas campanhas por lá. A hora chegou,  e para se manter na EPL, o Watford deve apostar em um estilo de jogo parecido com as equipes que não fizeram o bate e volta recentemente: Fator local forte, defesa eficiente e contragolpe veloz. Os reforços trazidos junto com o experiente comandante Quique Sánchez Flores mostram isto.

Para a defesa, chegaram os experientes Holebas, Sebastian Prodl e Miguel Britos, que farão companhia ao veterano goleiro brasileiro Gomes. Para a proteção da Cozinha, a principal contratação: o excelente volante francês Capoue, que estava no Tottenham.

Com Capoue, já deverá começar também o contragolpe rápido, coordenado por caras como o para lá de habilidoso Checo Vydra, Paredes, Deeney  e Jurado.




Luta Por: Permanência na Premier League

Time-Base: Gomes, Prodl, Angella, Berghius, Holebas, Capoue, Paredes, Beghius, Jurado, Deeney e Vydra

Chegaram: Quique Sánchez Flores ( treinador), Giedrius Arlauskis (Steaua), Sebastian Prödl (Werder Bremen), Jose Holebas (Roma), Etienne Capoue (Tottenham), Valon Behrami (Hamburgo), Allan Nyom (Granada), Miguel Britos (Napoli)



West Bromwich




Brigar pela permanência na Premier League é mais uma vez a Saga do West Bromnich. O plantel é bem médio, com expoente como Darren Fletcher, Claudio Yacob, Chris Brunt,  Gareth McAuley  e especialmente James Morrison.

Dificilmente a equipe poderá sonhar em repetir a campanha da temporada 2012-2013, quando sonhou com vaga em competições da UEFA, com Lukaku como expoente. Só se os atacantes Brown Ideye, decepcionante na temporada passada, e McManaman, jogarem tudo que deles se espera, e mais um pouco.

O grande reforço para a temporada é o artilheiro Rickie Lambert. O Albion espera estar trazendo o Rickie Lambert do Southampton, não o do Liverpool.


Luta Por: Permanência na Premier League

Chegaram: James McClean (Wigan), Rickie Lambert (Liverpool)



West Ham





A temporada passada do West Ham teve gosto de Chuchu. Não foi boa, e nem ruim. A equipe não foi ameaçada pelo fantasma do rebaixamento, mas se não fosse o Fair Play, não teria chegado nem na Liga Europa. Pouco, para o investimento feito recentemente, e que continuou sendo feito nesta temporada.

Além do técnico Bilic, os Hammers buscaram bons reforços, como as eternas promessas Ogbonna para  a defesa e Dmitri Payet para o ataque, que se espera, que enfim decolem.  Nesta linha, veio também o jovem Obiang.

Noble, Zarate e SAkho seguem por lá, dando a experiência necessária para um elenco, que com a Europa League, só terá de se preocupar com o calendário cheio, para não se complicar.



Luta Por: Primeira metade da Tabela  e não ser ameaçado pelo rebaixamento

Time-Base: Adrian; Ogbonna, Tomkins, Cresswell, Jenkinson; Obiang, Noble, Payet, Amalfitano, Zarate; Sakho

Chegaram: Pedro Obiang (Sampdoria), Slaven Bilic (Besiktas, treinador), Darren Randolph (Birmingham), Dimitri Payet (Marsella), Angelo Ogbonna (Juventus), Carl Jenkinson (Arsenal), Manuel Lanzini  (Al-Jazhira)
Tecnologia do Blogger.