Últimas notícias

Últimas notícias

Champions League

Liga Europa

História




A História do Sevilla, Bicampeão da Copa da UEFA



Temporada 2005-2006: Vai Sevilla!


O Sevilla estava a 44 anos sem chegar a uma final Européia, e desde 1948 não ganhava um título de expressão. Mas isto mudaria começaria a mudar na disputa da Copa da UEFA  da  temporada 2005/06. Para tanto, o Sevilla montou um grande time, que era capaz de rivalizar com Real Madrid e Barcelona na Liga Espanhola, e como curiosidade, chegou a empatar com a seleção Brasileira, em um amistoso comemorativo ao centenário do Clube em 2005. Jogadores como Kanoute, Luis Fabiano, Saviola, Daniel Alves, Maresca e Adriano encantariam a Espanha comandados pelo técnico Juande Ramos, entrando para sempre na História do Futebol Europeu. 


No começo da Campanha vencedora na Copa da UEFA, o time Andaluz eliminou o Mainz 05, da Alemanha. No primeiro jogo, em Sevilha, empate em 0 a 0, mas na Alemanha, com dois gols de Kanouté, o Sevilla venceu por 2 x 0, e se garantiu na fase de grupos. Nela, o time da Andaluzia venceu o Besiktas em casa por 3 x 0, com gols de Saviola e Kanouté (marcou duas vezes), perdeu para o Zenit fora de casa, por 2 x 1, venceu o Vitória Guimarães por 3 x 1, em casa, com gols dois gols de Saviola  e um de Adriano e fechou com empate em 1 x 1 contra o Bolton, na Inglaterra, terminando assim na liderança desta chave H. 



Em seguida, o time eliminou o Lokomotiv Moscou, o Lille e o Zenit St. Petersburg, chegando na Semi-Final, onde encarou o Schalke 04. Era o ano do centenário do Clube, que após um empate sem gols em Gelsenkirchen, venceu na prorrogação o Ramón Sánchez-Pizjuán, com um gol de Antonio Puerta, chegou a Final da Copa da UEFA, onde encararia os Ingleses do Middlesbrough.



Era esperado um duelo muito equilibrado. Se o Sevilla tinha vários grandes jogadores, como o goleiro Palop, Daniel Alves, Navarro, Jesús Navas, Maresca, Adriano, Saviola e Luís Fabiano, os ingleses não ficavam por menos com jogadores como o goleiro Schwarzer, o zagueiro Southgate, o volante brasileiro Fábio Rochemback e o atacante Viduka.


Com uma atuação de Luxo, o Seviila se impôs, e venceu por 4 x 0: Primeiro Luis Fabiano marcou de cabeça, após cruzamento de Daniel Alves; Maresca marcou duas vezes em seguida e Kanouté  fechou a conta, dando assim o Primeiro título à nível Europeu do Clube Andaluz, logo na temporada do Centenário e após quase 60 anos sem Títulos.


Image

Final da Copa UEFA  2006




Sevilla 4 x 0 Middlesbrough


Escalações:


Sevilla: Palop; Daniel Alves, Navarro, Escudé, Castedo; Jesús Navas, Martí, Maresca, Claro (Puerta); Saviola (Kanouté), Luís Fabiano (Renato). Técnico: Juande Ramos




Middlesbrough: Schwarzer; Riggot, Southgate, Queudrue (Ayegbeni), Parnaby; Fábio Rochemback, G. Boateng, Downing, Morrison (Maccarone); Hasselbaink, Viduka (Cattermole). Técnico: Steve McClaren

Gols: Luis Fabiano, Maresca 2x e Kanouté


Local : Philips Stadion, Eindhoven, Holanda




Artilheiro desta Edição - Matías Delgado (Basel) – 7 gols



**************




2006/07 - Sevilla Bicampeão!


A Copa da UEFA 2006/07 seria marcada por partidas emocionantes, surpresas e o sucesso Espanhol. Uma destas equipes que surpreendeu foi o Ethnikos Achnas do Chipre, que após vencer o Intertoto, quase alcançou a fase de grupos da Copa da UEFA, parando apenas no Lens, uma etapa antes disto. Já era um sinal que no futuro, o Chipre incomodaria muito nos torneios da UEFA.


O Sevilla começou a Copa da UEFA 2006/09 encarando o Atromitos, da Grécia. Sem muitos problemas, o time venceu as duas partidas, por 2 x 1 e 4 x 0, e se garantiu sem nenhum problema na fase de grupos.

O Sevilla caiu no Grupo C da Competição. Nesta temporada, o clube disputou ponto á ponto o título Espanhol com Real Madrid, Barcelona e Valência, chegando até a última rodada com chances de ser Campeão. Isto acarretou em uma divisão de atenções com a Copa da UEFA, o que explica alguns resultados não tão bons nesta fase de grupos, como o empate em 0 x 0 com o Slovan Liberec da República Tcheca.

O Clube Andaluz, no entanto, se reabilitou, ao vencer o Braga por 2 x 0, com gols de Luís Fabiano e Chevantón e golear o Grasshopper da Suíça por 4 x 0, em uma grande atuação do Lateral-Direito Brasileiro Daniel Alves, que marcou dois gols, com um de Chevantón e um de Kepa completando o Placar. A primeira derrota veio em casa contra o AZ Alkmaar por 2 x 1, mas não atrapalhou a classificação.



No mata-mata, o Sevilla enfrentou os romenos do Steaua Bucarest, e em mais uma grande atuação, aplicou 2 x 0 no adversário no Steaua Stadium, com gols de Poulsen e Kanouté. Na volta, o time administrou o jogo, e venceu por 1 x 0, com gol do Russo Kerzhakov.



Nas oitavas de Final,  o Sevilla encarou
 o Shakhtar Donetsk, A partida de ida do confronto foi disputada no estádio Ramón Sánchez Pizjuán e terminou empatada em 2x2. Um jogo de três pênaltis, onde o Sevilla abriu o placar com Martí, enquanto Hübschman e Matuzalém chegaram a virar para o Shakhtar. Contudo, já no finalzinho da partida, Maresca empatou para os andaluzes, que iam vivos até a Ucrânia tentar buscar a classificação.







A partida de volta aconteceu no Olympiyskiy Stadium, em Donetsk. Após um primeiro tempo sem gols, o segundo tempo pegou fogo. Matuzalém abriu o placar para o Shakhtar, com um golaço de lambreta. O Sevilla empatou com Maresca, de cabeça, mas logo depois, Elano voltou a colocar o Shakhtar em vantagem no marcador. Já no finalzinho do jogo, o goleiro Palop foi para a área adversária, e de cabeça, empatou heroicamente a partida.





Na prorrogação, o uruguaio Chevantón marcou, e deu a classificação para o Sevilla. Mas o destaque, foi mesmo Palop. Ele se tornou o décimo goleiro a marcar um gol em um jogo de Copa da Uefa. 


Nas quartas de final, o Sevilla pegou o Tottenham, que havia sido Campeão da Copa da UEFA em seus primórdios e ensaiava um crescimento no cenário do Futebol  Inglês (tanto que três anos depois, chegaria à Liga dos Campeões ). O primeiro jogo foi na Andaluzia e o Sevilla venceu por 2 x 1, com gols de Kanouté e Kerzhakov. Na partida de volta,em White Hart Lane, na Inglaterra, o Sevilla chegou a abrir 2 x 0 com gols de Malbranque (contra) e Kanouté. Mas se partidas da Liga dos Campeões já são geralmente emocionantes meio loucas, as da Europa League/Copa da UEFA, nem se fala. O Tottenham reagiu, chegou ao empate e pressionou buscando o gol que lhe daria a vaga na Semi-final, mas não conseguiu.


O principal rival do Sevilla, parecia ser o Feyenoord, que com um futebol bonito e comandado por Louis Van Gaal, encantou a Europa. Mas a equipe caiu nas quartas de final para o Werder Bremem, que foi a  única equipe de fora da Espanha a alcançar as semi-finais desta Copa da UEFA 2006-07. Além do Sevilla, os outros Hispânicos a alcançarem as semi-finais foram o Osasuna (que eliminou o Bayer Leverkusen com um surpreendente 4 x 0 no agregado) e o Espanyol, do artilheiro uruguaio Walter Pandiani (os catalães eliminaram o Benfica nas quartas de Final ).

Na semi-final espanhola entre Osasuna e Sevilla, os mandantes venceram: na ida o Osasuna venceu por 1x0, gol de Soldado. Na volta, em Sevilha, o Sevilla fez 2 x 0, gols de Luís Fabiano e Renato, e se garantiu na segunda final consecutiva. Na outra semi-final, uma certa surpresa: mesmo invicto, o Espanyol não era favorito contra o Werder Bremen do Brasileiro Diego. Mas com uma vitória de goleada por 3 x 0 na Catalunha, e outra vitória por 2 x 0 na Alemanha, o time da cidade de Barcelona garantiu uma final 100 % Espanhola.









A Final da Copa da UEFA da temporada 2006-2007 aconteceu em Glasgow, no Hampden Park, na Escócia. A partida terminou empatada no tempo normal: O Brasileiro Adriano, lateral-esquerdo, abriu o placar para o clube Andaluz, mas Riera empatou para os Catalães. Na prorrogação, Kanouté fez 2 x 1 para o Sevilla, mas o brasileiro Jônatas empatou de novo o jogo, que foi para a decisão por pênaltis. Lá, Palop novamente foi Herói: ele defendeu três pênaltis e deu o Bicampeonato da Copa da UEFA para o Sevilla. Apenas pela segunda vez na história um time defendeu o seu título com sucesso na Competição. O outro clube à garantir tal feito também era Espanhol: o Real Madrid, que foi Bicampeão em 1985 e 1986.




Ficha Técnica :

Sevilla 2 (3) x (1) 2 Espanyol






Escalações

Sevilla: Palop; Daniel Alves, Navarro, Puerta, Dragutinovic, Martí, Poulsen, Adriano (Renato), Maresca (Jesús Navas), Luís Fabiano (Kerzakov), Kanouté. Técnico: Juande Ramos

Espanyol: Iraizoz, Zabaleta, Torrejón, Jarque, David, Hurtado, Rufete (Pandiani), Riera, De La Peña (Jônatas), Luís García, Tamudo (Lacruz). Técnico: Ernesto Valverde

Local: Hampden Park, Glasgow

Árbitro: Massimo Busacca (Sui)

Artilheiro desta Edição: Walter Pandiani (Espanyol) – 11 gols
 

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Post a Comment


Top