Últimas notícias

Últimas notícias

Champions League

Liga Europa

História



A Copa do Mundo de 1970 é considerado por muitos como a melhor de todos os tempos. O México, ganhou em um congresso realizado em 1964 o direito de sediar este Mundial, batendo a Argentina. Uma complicação para as demais seleções seria a altitude e as altas temperaturas. A Copa seguiu tendo 16 seleções , dividas em quatro grupos de quatro. Desta vez no entanto , foram só nove seleções Européias (União Soviética, Bélgica, Itália, Suécia, Inglaterra, Romênia, Checoslováquia, Alemanha Ocidental e Bulgária) , e mais três Sul-americanas ( Uruguai , Peru e Brasil ), uma centro-americana (El Salvador ), uma Asiática (Israel) e uma africana (Marrocos), além é claro dos Mexicanos , donos da casa.

A Copa do Mundo de 1970 também marcou a inserção dos Cartões Amarelo e Vermelho, embora os rubros não tenham aparecido em nenhuma ocasião na competição.


Muito bem armada pelo técnico João  Saldanha , o Brasil passou sem problemas pelas Eliminatórias , já apresentando um grande futebol. Mas o Técnico teve problemas com alguns de seus jogadores durante a preparação, além de divergências na Complicada Política brasileira, e foi substituído por Zagalo, Bicampeão como jogador em 1958 e 1962.


A Copa foi aberta com uma partida entre México e União Soviética, que ficou devendo em nível técnico, com um empate em 0 x 0, algo totalmente contrário ao que aconteceria nas 32 partidas seguintes. Apesar do empate, União Soviética e México avançaram sem problemas neste grupo, com a Bélgica ficando na terceira colocação, e El Salvador em quarto. O grupo B foi muito mais equilibrado , com a Itália avançando com quatro pontos, um a mais do que os Uruguaios , que eliminaram a Suécia no saldo de gols.


A primeira partida do Brasil, teve uma vitória de virada por 4 x 1 sobre a Tchecoslováquia, rival 8 anos antes na final da Copa de 1962. Neste jogo, Pelé protagonizou um chute do meio de campo, que passou perto do gol, espantando quem assistia pela precisão e plasticidade.


A segunda partida da seleção Brasileira foi contra a então atual Campeã Inglaterra. O zagueiro Bobby Moore, um dos maiores de todos os tempos, marcou Pelé com extrema precisão, o que não impediu o Rei de desferir uma cabeçada defendida magistralmente por Gordon Banks , que entrou para  a história do futebol. Mas mesmo assim, o Brasil venceu por 1 x 0, com gol de Jairzinho, e com uma vitória sobre a Romênia por 3 x 2 na última rodada, avançou em primeiro de seu grupo para as quartas de final. Os Ingleses ficaram em segundo, com Romenos em terceiro e Tchecoslovacos em quarto.


Uma coisa a ser lembrada é que Bob Moore quase não jogou esta Copa, tudo porque foi detido na Colômbia acusado de roubar uma pulseira, e foi liberado apenas poucos dias antes do começo do Mundial.


A sensação da primeira fase foi o Peru, comandado por Didi, Campeão como jogador com a seleção Brasileira das Copas de 58 e 62. O selecionado andino avançou em segundo na chave D, após bater a Bulgária por 3 x 2 e o Marrocos por 3 x 0, perdendo apenas para a Alemanha Ocidental por 3 x 1. Os Germânicos também bateram Marrocos (2 x 1 ) e Búlgaria (5 x2 ), e avançaram na Liderança. Vale lembrar que os Peruanos haviam eliminado a Argentina nas eliminatórias, para chegar à Copa.


A primeira partida das quartas de final, viu a União Soviética perder por 1 x 0 para o Uruguai e ser eliminada. Os donos da casa sofreram um 4 x 1 da Itália e também caíram, assim como a Inglaterra, que em um jogaço, levou 3 x 2 da Alemanha Ocidental. No confronto Sul-americano, o Brasil derrotou o Peru por 4 x 2, e avançou para as semi-finais.


Pela primeira vez na História, as semi-finais da Copa do Mundo teriam quatro seleções campeãs mundiais: Uruguai , Brasil , Itália e Alemanha. Mais do que isto , quatro timaços. De um lado, tivemos o Clássico Sul-americano, entre Brasil e Uruguai, do outro o confronto Europeu, entre Alemanha e Itália.


Era também o primeiro confronto em Copas entre Brasil e Uruguai, desde que os Charrúas aprontaram o Maracanazzo para cima do Brasil , em 1950. E para assustar a torcida Brasileira, a Celeste saiu na frente: Cubilla abriu o placar para o Uruguai , após receber bom passe de Morales. Muito bem marcada, a seleção Brasileira pouco conseguia produzir. Mas foi ai que apareceu o dedo do mestre Zagalo no time. O "Velho Lobo" recuou Gerson e soltou Clodoaldo ao ataque. O Volante Santista marcou o gol de empate ainda no primeiro tempo, e fez o Brasil ir mais tranquilo para o Intervalo. Na segunda etapa, o Brasil virou, após uma tabela Fantástica entre Pelé, Tostão e Jairzinho, que marcou este tento, assim como fez gols em todas as partidas da Copa. Rivelino ainda ampliou o placar, levando o Brasil para a Final.


Nesta partida contra o Uruguai, dois lances geniais de Pelé: primeiro, ele desferiu um chute de voleio de primeira, após uma reposição de bola do Goleiro Celeste Mazurkiewicz, que pegou com dificuldade. Depois, o próprio Mazurkiewicz levou um drible de corpo sensacional de Pelé, que no lance não tocou na Bola, até arrematar para o gol , mas ver o Zagueirão Anchieta, desviar ela, com um Tufo de grama que sua chuteira arrancou do gramado.


Na outra partida, um jogaço. A Itália vencia a Alemanha por 1 x 0 até os acréscimos. Foi aí que o zagueiro Karl-Heinz Schnellinge empatou a partida. O jogo foi para a prorrogação, e o tampo extra contou com nada menos do que cinco gols. Gianni Rivera, que havia começado o jogo no banco, foi o Herói da Itália, que venceu por 4 x 3, também alcançando a final. Vale lembrar, que além de Beckembauer, a Alemanha já tinha Gerd Muller, o maior artilheiro da História das Copas no seu time.


A Final entre Brasil e Itália, aconteceu no Estádio Azteca , na Cidade do México. Pelé, de cabeça, abriu o placar para o Brasil. Boninsegna, ainda na primeira etapa, empatou para a Itália. Mas no Segundo tempo, o Brasil atropelou os italianos: Gérson, com um chutaço de canhota, Jairzinho e Carlos Alberto Torres, em uma troca de passes sensacional, mostrando a genialidade coletiva daquele Brasil, marcaram os três gols que complementaram a vitória Canarinho por 4 x 1, dando assim o Tricampeonato e a Taça Jules Rimet de maneira definitiva.






Os Jogos 



GRUPO A    

31/05 - México 0 x 0 União Soviética
03/06 - Bélgica 3 x 0 El Salvador
06/06 - União Soviética 4 x 1 Bélgica
07/06 - México 4 x 0  El Salvador
10/06 - União Soviética  2 x 0 El Salvador
11/06 - México 1 x 0 Bélgica


GRUPO B    

02/06 -  Uruguai 2 x 0 Israel
03/06 - Itália 1 x 0 Suécia
06/06 - Uruguai 0 x 0 Itália
07/06 - Israel 1 x 1 Suécia
10/06 - Suécia 1 x 0 Uruguai
11/06 - Itália 0 x 0 Israel

GRUPO C    
02/06 - Inglaterra 1 x 0 Romenia
03/06 - Brasil 4 x 1 Tchecoslováquia
06/06 - Romenia 2 x 1 Tchecoslováquia
07/06 - Brasil 1 x 0 Inglaterra
10/06 - Brasil 3 x 2 Romenia
11/06 - Inglaterra 1 x 0 Tchecoslováquia

GRUPO D    

02/06 - Peru 3 x 2 Bulgária
03/06 - Alemanha Ocidental 2 x 1 Marrocos
06/06 - Peru 3 x 1 Marrocos
07/06 - Alemanha Ocidental 5 x 2 Bulgária
10/06 - Alemanha Ocidental 3 x 1 Peru
11/06 - Bulgária 1 x 1 Marrocos

Quartas

    
14/06 - Uruguai 1 x 0 União Soviética
14/06 - Itália 4 x 1 México
14/06 - Brasil 4 x 2 Peru
14/06 - Alemanha Ocidental 3 x 2 Inglaterra

Semifinal

   
17/06 - Brasil 3 x 1 Uruguai
17/06 - Itália 4 x 3 Alemanha Ocidental


Disp. 3o. Lugar    


20/06 - Alemanha Ocidental 1 x 0 Uruguai


FINAL    



Ficha Técnica


Brasil 4 x 1 Itália 



21 de junho de 1970

Escalações:




Brasil: Félix; Carlos Alberto, Brito, Wilson Piazza e Everaldo; Clodoaldo, Gérson e Rivellino; Jairzinho, Tostão e Pelé .



Itália: Albertosi; Burgnich, Cera, Rosato e Facchetti; De Sisti, Bertini (Juliano) e Mazzola; Domenghini, Boninsegna (Rivera) e Riva


Gols: Pelé 18' e Boninsegna 37' do 1.º tempo; Gérson 21' , Jairzinho 26' e Carlos Alberto 41' do 2.º

Local: Estádio Azteca , Cidade do México
Árbitro: Rudi Gloeckner, da Alemanha Oriental

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Post a Comment


Top