Últimas notícias

Últimas notícias

Champions League

Liga Europa

História


O Stade Reims dos anos 50


Esquadrões Alternativos da Champions League: O Stade Reims dos anos 50


A França ostenta apenas um título de Copa/Liga dos Campeões em toda a História, o mesmo número de Romênia, Escócia e Sérvia. Além do Olimpique de Marselha, campeão Europeu em 1993, somente outra equipe alcançou a final da maior competição da Europa: o Stade de Reims, duas vezes vice-campeão da Copa dos Campeões (1956 e 1959). Naquele tempo, a equipe dominava o futebol francês, e só não teve melhor desempenho na Europa porque em seu caminho estava o incrível Real Madrid de Di Stéfano. Por causa do estilo de jogo bonito, o clube ganou o apelido de “football champagne”, já que Reims é uma região de grande produção da famosa bebida.

Um nome emblemático na História do Stade Reims é Albert Batteux. Ele atuou no clube até 1949, an em que também se sagrou campeão da Liga, e logo em seguida, assumiu um cargo na direção do clube. Ele implantou na equipe um estilo de jogo bem parecido com o Tiki-taka, baseado na posse de bola  e nos passes curtos. Assim, faturou o título nacional nos anos de  1953, 55, 58, 60 e 62 e a Copa Latina de 1953.

Para quem não sabe, a Copa Latina é uma espécie de precursora da Champions League, assim como foi a Mitropa Cup. A Copa Latina contava com clubes da Itália, da França, de Portugal e da Espanha. Na decisão de 95 o Stade de Reims derrotou o Milan de Gunnar Gren, Gunnar Nordahl e Nils Liedholm por 3 x 0, com show Raymond Kopa, que a partir dali entrava para a História como um dos grandes futebolistas de todas as épocas.

O futebol começava a se internacionalizar cada vez mais a partir dos anos 50, e com este processo veio o surgimento da Copa dos Campeões, em 1955. Era mais uma oportunidade para o Stade Reims brilhar, como faria logo de cara. Já a primeira final do certame colocou lado a lado o escrete vermelho e branco, liderado pelo supracitado Kopa e por Fontaine (artilheiro da Copa do Mundo de 1958 com inigualáveis 13 gols) e o Real Madrid, de Di Stéfano, Rial e Gento.

Os merengues levaram a melhor, vencendo por 4 X 3 na final, em atuação emblemática de um dos maiores gênios da história do futebol: Alfredo Di Stéfano. Em 1959, os dois clubes voltaram a se encontrar na final da Copa dos Campeões, e mais uma vez o Real levou a melhor, vencendo por 2 x 0, gols de Mateos e Di Stefano e ficando com mais uma taça.


As glória internacionais do Reims começariam assim a cessar, assim como posteriormente as nacionais. Depois do vice-campeonato francês na temporada 1962/63, o time acabou sendo rebaixado para a segunda divisão no ano seguinte. Se afundando cada vez mais, o clube vermelho e branco decretou a falência em outubro de 1991. Acaou sendo futuramente reinaugurado, como o nome de Stade de Reims Champagne e iniciou uma nova caminhada, a partir da Sexta Divisão. Na temporada 2013/14 o clube retornou à Ligue 1, para a alegria dos nostalgistas da bola. Quem sabe um dia, o clube não retorna  à Champions, agora na era moderna?

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Post a Comment


Top