Últimas notícias

Últimas notícias

Grandes Times

Rivalidades

História

Grandes Times: o Valencia de 1999-2001



Quando se fala no sucesso das equipes espanholas na UEFA Champions League, logo se vem à cabeça as memoráveis participações de Real Madrid e Barcelona no certame. Mas, no começo dos anos 2000, o Valência, mesmo sem muita badalação, surpreendeu a Europa, alcançando duas vezes a final do torneio.


Na temporada  1999/2000, Hector Cuper substituiu Claudio Ranieri, que estava se transferindo para o Atlético de Madrid, no comando técnico da equipe. Em campo, sobravam jogadores de qualidade. A equipe contava com o sensacional Mendieta, o goleador argentino Claudio López, o também argentino 'Kily' González, Angloma, Albelda, Farinós, e o grande goleiro Carnizares. O Valência estava retornando à Liga dos Campeões depois de quase três décadas ausente da maior competição da Europa. E este retorno seria inesquecível.




A equipe teve de jogar a fase de playoffs, onde não teve muitos problemas para eliminar o Hapoel Haifa com um 0-4  no agregado. Ao contrário da primeira fase de grupos, onde os Ches tiveram que encarar o atual vice-campeão Bayern de Munique, o  PSV Eindhoven de Van Nistelrooy, e o sempre perigoso Glasgow Rangers. O Mestalla foi determinante, pois o Valência bateu lá o Rangers e o PSV, e conseguiu um empate com o Bayern. Fora de casa, a equipe conseguiu uma vitória e dois empates.


Na segunda fase, os desafios não seriam menores: encarar o atual campeão Manchester United, o Bordeux e a Fiorentina, de Rui Costa, Toldo, Abel Balbo e Di Livio. Mas novamente, o Mestalla pesou, e a equipe conseguiu bater franceses e Italianos em casa, além de arrancar um empate contra o Manchester United. Fora de casa, as derrotas na Inglaterra e na Itália não pesaram muito, pois o time bateu o Bordeux na França, e conseguiu ficar em segundo lugar no grupo, avançando para as quartas.

Nas quartas de final, o desafio seria encarar a Lazio de Nedved, Inzaghi, Veron e Mihailovic. O time venceu no Mestalla  por 5 X 2, contando com um Hat-Trick de Gerard, e a derrota no Stadio Olimpico de Roma por 1 a 0, garantiu os Ches nas semi-finais.

Na semi-final o adversário seria o Barcelona, futuro campeão de La Liga. O Valência venceu por 4 a 1 no caldeirão do Mestalla e perdeu por  2 a 1 no Camp Nou, garantindo-se em sua primeira final de UEFA Champions League da história. O jogo seria contra o Real Madrid, que havia terminado em quinto em La Liga, bem atrás do Valência, que foi terceiro colocado no Campeonato Espanhol daquela temporada.

Mas foi um dia para o Valência esquecer. O Real Madrid fez 3 X 0, liderado por Raúl Gozalez, que marcou um dos gols. Os outros dois foram de Fernando Morientes e Steve McManaman. O inglês foi eleito o melhor da final, fazendo um golaço de voleio.


Ficha Técnica 


Real Madrid 3 X 0 Valência

Real Madrid

 Casillas; Salgado (Hierro),
Roberto Carlos, Karanka, Iván Campo,
Mc Manaman, Redondo, Helguera, Raúl,
Anelka (Sanchís), Morientes (Savio).


Valencia

Cañizares; Angloma, Djukic,
Pellegrino, Gerardo (Ilie); Mendieta,
Gerard, Farinós, Kily González;
Claudio López, Angulo.

Estádio: Stade de France
Local: Paris (FRA)


 Kily González, um dos reforços do Valencia para a temporada 2000-2001.

O verão europeu de 2000 viu vários jogadores deixarem o Mestalla. Claudio López, Gerard e Farinós foram para outras equipes, enquanto Carew, Ayala, Vicente, Baraja, Deschamps, Fábio Aurélio e Zahovic se juntaram aos Ches. 


Na Liga dos Campeões, a equipe passou com um 4-1 no agregado por cima do Tirol Innsbruck e chegou como favorita na fase de grupos, onde foi companheira de chave de Lyon, Olympiacos e Heerenveen. O Valência liderou com sobras, obtendo quatro vitórias logo nas quatro primeiras partidas. O time só cedeu um empate e uma derrota, já nas duas últimas rodadas, quando estava matematicamente classificado.

Na segunda fase, novamente o time caiu no grupo do Manchester United, que ainda contava com Panathinaikos e Sturm Graz. Os Ches conseguiram dois empates com os Red Devils (0X 0 na Espanha e 1 X 1 na Inglaterra), um empate e uma vitória contra o Panathinaikos e duas vitórias contra o Sturm Graz. Com isto, os espanhóis avançaram com a primeira colocação para as quartas de final, onde encararam o Arsenal de Henry, Vieira e Ljunberg. Com uma derrota por 2 X 1 em Londres e vitória por 1 X 0 no Mestalla, o Valência avançou graças ao qualificado para a semi-final.

Na semi-final o adversário foi outro time inglês, o Leeds. Com um empate em 0 X 0 na Inglaterra e vitória por 3 X 0 no Mestalla, os Ches voltavam para a final da UEFA Champions League, um ano depois da triste derrota para o Real Madrid.

Novamente o Valência caiu para um gigante: desta vez o Bayern de Munique. Os Bávaros bateram os Ches por 5 X4 nos pênaltis, após empate em 1 X 1 no tempo normal, no dia 23 maio 2001, no estádio San Siro, em Milão. O goleiro alemão Oliver Kahn foi o grande herói desta final.

Escalações:



Bayern de Munique:


Oliver Kahn - Willy Sagnol (46′ Carsten Jancker), Samuel Kuffour, Patrik Andersson, Thomas Linke, Bixente Lizarazu - Mehmet Scholl (108′ Paulo Sérgio), Owen Hargreaves, Stefan Effenberg, Hasan Salihamidžić - Giovane Elber (100′ Alexander Zickler)
Técnico : Ottmar Hitzfeld

Valencia


Santiago Cañizares - Jocelyn Angloma, Roberto Ayala (90′ Miroslav Đukić), Mauricio Pellegrino, Amedeo Carboni - Rubén Baraja, Gaizka Mendieta, Kily González, Juan Sánchez (66′ Zlatko Zahovič), Pablo Aimar (46′ David Albelda) - John Carew
Técnico : Héctor Cúper



Em 2002 e 2004, o Valencia se sagraria campeão do Campeonato Espanhol, quebrando um jejum que já durava anos. Nesta temporada 2003-2004, também faturou a Copa da UEFA, se impondo, enfim, na Europa.

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Post a Comment


Top